Terça-feira, 10 de Novembro de 2009

Cuidem-se !!!

Australiano obrigado a pagar indemnização à amante.

 

A amante diz que, durante os 20 anos de relacionamento, lhe deu “muito apoio moral e emocional”e o advogado reforça a tese da cliente: “Muitos casamentos não duram assim tanto tempo”.

 

O Tribunal condenou o empresário, casado e pai de filhos, a pagar 100 mil dólares australianos (62 mil euros) por ela ter ficado “arrasada” com o fim da relação.

 

“Eu dei-lhe os melhores anos da minha vida”, declarou a senhora – já na casa dos 60 – ao jornal Sunday Herald Sun, revelando que ele se “comportou como um cavalheiro” na hora de pagar a indemnização.


"Ele sempre disse que ia ficar comigo, mas depois abandonou-me. Estive completamente comprometida com ele durante todos estes anos até que chegámos a um beco sem saída".

Esta notícia relembrou-me o que alguém disse um dia:

“Uma amante pode ser tão incómoda quanto uma esposa, quando se tem apenas uma.”

 

***Se a minha mulher lê isto...

      Pelo menos o meu sogro vai ler.

 

Luís Castro

Categorias: ,
publicado por Luís Castro às 22:43
link do post | comentar
35 comentários:
De Joana a 10 de Novembro de 2009 às 23:44
Há mulheres muito espertas ! lol :)
Beijo
De Luís Castro a 14 de Novembro de 2009 às 11:47
Esta foi esperta.
Porque inteligência é bem diferente.
Bj e bom fds.
LC
De Joana a 14 de Novembro de 2009 às 11:49
Concordo contigo.
Uma inteligente não fazia isto ;)
Bom fds.
Beijos
Joana
De Luís Castro a 14 de Novembro de 2009 às 11:56
Igualmente.
Bj
LC
De Jorge Soares a 11 de Novembro de 2009 às 00:23
Shiii, se a moda pega por cá ...... é desta que os tribunais entopem de vez!

Abraço
Jorge
De Luís Castro a 14 de Novembro de 2009 às 10:31
Já estão!|
Ab.
LC
De Ana Albuquerque Almeida a 11 de Novembro de 2009 às 09:55

Ainda consegui vir dar uma espreitadela, antes de ir para o Porto. Acho que estou a tornar-me "blogodependente"! rs

E o que é que a mulher fez? Eu tê-lo-ia posto na rua e exigir-lhe-ia também uma indemnização por ter andado tantos anos a ser enganada!

Bjs
De Luís Castro a 14 de Novembro de 2009 às 10:35
Bjs e bom fds.
LC
De Pedro Oliveira a 11 de Novembro de 2009 às 11:02
E cum carago, agora é que vai ser o belo se a moda pega por cá...
abraço

p.s. O sogro sabe bem o genro que tem...ou não!!
De Luís Castro a 14 de Novembro de 2009 às 10:37
Sabe.
Já lá vão quase 25 anos.
Ab.
LC
De SOGRO a 19 de Novembro de 2009 às 17:49
SABE SÃO DOIS TEIMOSOS.
De Luís Castro a 1 de Dezembro de 2009 às 22:03
Eheheheheh!
Ab
LC
De Ilda a 11 de Novembro de 2009 às 11:27
Olá Luís!
Tudo bem?
Quem é que o mandou andar a pular a cerca durante vinte anos?! Se calhar pensou que a dita cuja o deixava virar costas, ao fim de tantos anos, sem mais nem menos! Na minha opinião, fez ela muito bem. Ele que se tivesse deixado estar sossegado ou se estava mal muda-se de uma vez por todas agora uma no saco e outra no papo...
Boa semana.
Bj
Ilda
De Luís Castro a 14 de Novembro de 2009 às 10:38
Obrigado e bom fds.
Bj
LC
De Helder Pereira a 11 de Novembro de 2009 às 12:03
Luis, se os tribunais é que começam a resolver este tipo de disputas, então aí vamos ter o mundo de pernas para o ar...
De Luís Castro a 14 de Novembro de 2009 às 10:39
Mais?!
Isto já está um caos!
Ab e bom fds.
LC
De Azoth a 11 de Novembro de 2009 às 13:31
As relações humanas são sempre complicadas. Os casamentos, com os anos tornam-se monótonos e como solução muitos e muitas procuram na rua o que pensam que lhes falta em casa. Uns porque são volúveis, outros porque o casamento já não tem pernas para andar mas continuam a manter a relação, muitas das vezes para prejuízo de ambos os cônjuges. A solução nunca foi nem será uma relação paralela por vezes bem cara, como foi o caso. Enfim, factos da vida.
De Luís Castro a 14 de Novembro de 2009 às 10:41
Como dizia António Guterres:
É a vida!
Bom fds
LC
De Andesman a 11 de Novembro de 2009 às 13:48
Para a Austrália é que eu não vou viver, está definitivamente decidido. Com leis dessas...
De Luís Castro a 14 de Novembro de 2009 às 10:42
É melhor!
eheheheh
Ab e bom fds.
LC
De Márcia a 11 de Novembro de 2009 às 20:04
Engraçado, tal como eu, a maioria das mulheres que viu e comentou o post acha no fundo que este Sr. só "colheu o que semeou" e até achamos "bem-feito" que é para aprender! No caso dos homens o comentário principal é "olha se a moda pega...é um sarilho". Não deixa de ser distintivo da forma como os "géneros" vêem estas notícias... Vá e uma provocação pequenina ao lado masculino, vocês são terríveis, tanta preocupação com os sarilhos se a moda pega só pode significar que nós as mulheres temos mesmo de nos acautelar com o "pular da cerca" dos nosso meninos...humm!

Bjinhos
De Luís Castro a 14 de Novembro de 2009 às 10:44
E ao contrário,
também não acontece?
Bjs e bom fds.
LC
De Márcia a 15 de Novembro de 2009 às 12:39
Ah pois claro que acontece, nisso não há diferenças! Acho que as diferenças são apenas na forma como a sociedade vê o adultério em função dos géneros, ou melhor a sociedade portuguesa...Não estou a ver com facilidade um homem a pedir uma indemnização se estivesse numa situação semelhante... Em Portugal, nalguns sectores da sociedade, o homem até seria louvado pela proeza de "ir comer fora", já a mulher deveria ser logo classificada de "vaca" para cima! Mas isto dava-nos conversa para nunca mais acabar...quanto mais nem sou nada sexista, nem feminista, nem nada disso...Quanto a mim somos indispensáveis e complementares uns aos outros "mái nada"! Estava só a fazer uma provocaçãozinha!
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Ah pois claro que acontece, nisso não há diferenças! Acho que as diferenças são apenas na forma como a sociedade vê o adultério em função dos géneros, ou melhor a sociedade portuguesa...Não estou a ver com facilidade um homem a pedir uma indemnização se estivesse numa situação semelhante... Em Portugal, nalguns sectores da sociedade, o homem até seria louvado pela proeza de "ir comer fora", já a mulher deveria ser logo classificada de "vaca" para cima! Mas isto dava-nos conversa para nunca mais acabar...quanto mais nem sou nada sexista, nem feminista, nem nada disso...Quanto a mim somos indispensáveis e complementares uns aos outros "mái nada"! Estava só a fazer uma provocaçãozinha!<BR class=incorrect name="incorrect" <a>Bjinhos</A> e bom fim-de-semana
De Luís Castro a 28 de Novembro de 2009 às 18:42
Bjs e bom fds.
LC
De isabeltorrescabral@gmail.com a 11 de Novembro de 2009 às 22:08


62 mil, só para começar :)) não está mal !

porque logo a seguir vem a " legítima " exigir muito mais, calculo eu ~~

A sorte dele, foi mesmo ter-se-ficado por uma só "mulher " e uma só " amante " !

Que isto de assumir compromissos com muita gente ao mesmo tempo,

pelos vistos, não é para quem quer, é mesmo, só para quem pode :))

De Luís Castro a 14 de Novembro de 2009 às 10:45
Neste caso,
para quem pode pagar...
Bj
Bom fds
LC

Comentar post

Reportagem Angola - 1999



Reportagem Iraque - 2005


Reportagem Guiné - 2008


Reportagem Guiné - 2008


Reportagem Afeganistão - 2010

Livros

"Repórter de Guerra" relata alguns dos conflitos por onde andei. Iraque, Afeganistão, Angola, Cabinda, Guiné-Bissau e Timor-Leste. [Comprar]



"Por que Adoptámos Maddie" aborda o fenómeno mediático gerado à volta do desaparecimento de Madeleine McCann. [Comprar]


Sugestões para reportagem



Milhão e meio de portugueses elegem diariamente o Telejornal da RTP.
E porque o fazemos para vós, quero lançar-vos um desafio: proponho que usem o meu blogue para deixarem as vossas sugestões de reportagem.

Luís Castro
Editor Executivo
Informação - RTP

E-mail: cheiroapolvora@sapo.pt

Perfil

Jornalista desde 1988
- 8 anos em Rádio:
Rádio Lajes (Açores)
Rádio Nova (Porto)
Rádio Renascença
RDP/Antena 1

- Colaborações em Rádio:
Voz da América
Voz da Alemanha
BBC Rádio
Rádio Caracol (Colômbia)
Diversas - Brasil e na Argentina

- Colaborações Imprensa:
Expresso
Agência Lusa
Revistas diversas
Artigos de Opinião

RTP:
Editor de Política, Economia e Internacional na RTP-Porto (2001/2002)
Coordenador do "Bom-Dia Portugal" (2002/2004)
Coordenador do "Telejornal" (2004/2008)
Editor Executivo de Informação (2008/2010)

Enviado especial:
20 guerras/situações de conflito

Outras:
Formador em cursos relacionados com jornalismo de guerra e com forças especiais
Protagonista do documentário "Em nome de Allah", da televisão Iraniana
ONG "Missão Infinita" - Presidente

Obras publicadas:
"Repórter de Guerra" - autor
"Por que Adoptámos Maddie" - autor
"Curtas Letragens" - co-autor
"Os Dias de Bagdade" - colaboração
"Sonhos Que o Vento Levou" - colaboração
"10 Anos de Microcrédito" - colaboração

Pesquisar blog

Arquivos

Abril 2016

Janeiro 2016

Outubro 2015

Junho 2015

Maio 2015

Fevereiro 2013

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Agosto 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Categorias

política

economia

angola 2008

iraque 2008

sexo

afeganistão 2010

mau feitio

televisão

eua

mundo

amigo iraquiano

futebol

curiosidades

telejornal

saúde

iraque

missão infinita

religião

repórter de guerra - iraque

euro2008

guiné

humor

repórter de guerra - cabinda

acidentes

criminalidade

jornalismo

polícia

segurança

solidariedade

rtp

sociedade

terrorismo

afeganistão

caso maddie

crianças talibés

desporto

diversos

férias

futuro

justiça

todas as tags

subscrever feeds