Domingo, 13 de Dezembro de 2009

Fosse como fosse...

… Saddam Hussein teria de ser derrubado.

 

Foi a “noção de que ele era uma ameaça para a região” que inclinou a favor da invasão do Iraque, em 2003, disse Tony Blair em entrevista à BBC.

 

 

Se não fossem as pretensas ameaças armas de destruição em massa, teria sido necessário “recorrer a outros argumentos”, disse candidamente o ex-primeiro-ministro.

 

Recordo que seis meses antes do início da guerra, o governo britânico publicou um dossier com as  "provas" – agora completamente desacreditadas – de que o Iraque possuía armas de destruição em massa, prontas a serem utilizadas por Saddam Hussein em apenas 45 minutos.

"De qualquer modo, teria pensado que era justo afastá-lo. Obviamente que teria sido necessário usar outros argumentos, quanto à natureza da ameaça. Não creio que estaríamos melhor com ele e os seus dois filhos no comando".

 



Campbell, antigo líder liberal democrata, já veio dizer que Blair nunca teria obtido apoio do Governo nem do Parlamento para fazer a guerra ao Iraque se nessa altura se tivesse sido tão sincero como o está a fazer agora.
 

Saber mais em:

http://news.bbc.co.uk/2/hi/uk_news/politics/8408918.stm

http://news.bbc.co.uk/2/hi/uk_news/politics/8409526.stm

 

Luís Castro

publicado por Luís Castro às 18:09
link do post | comentar
26 comentários:
De salvoconduto a 13 de Dezembro de 2009 às 20:39
Se esta corja pudesse passava a vida a depor governos pela força das armas...
De Luís Castro a 16 de Dezembro de 2009 às 00:36
Andam tantos...
LC
De Maria a 14 de Dezembro de 2009 às 01:29
Este assunto, era um dos que me prendia ao teclado durante uma vida inteira.
E ainda por cima, eu gosto de tudo muito bem "esmiuçado" , principalmente quando se trata de rebater tanta enormidade vinda do Sr. Bush e seus "amestrados seguidores".
Mas hoje e decorrido este tempo todo, já abordei, ouvi, li... enfim...já se mexeu tanto na porcaria (estou a usar o eufemismo... preferia a outra), vou resistir à tentação de me pôr para aqui a escrever uma looonnngga , história...sobre...
Deixo por isso, apenas algumas perguntas ao Sr. Blair (supostamente trabalhista/ socialista e portanto, à partida e na tabela de valores ideológicos, nem sequer deveria ter algo de muito comum com o tal American President.
Assim sendo, pegarei apenas nesta sua frase... exemplar:
" Não creio que estaríamos melhor com ele e os seus dois filhos no comando".
1- O que ganhou o Mundo com a morte de Saddam e seus filhos (também não perdido grande coisa, claro)?
2- Está o Iraque melhor agora, sem Saddam (supostamente deveria estar)?
3- O terrorismo acabou ou...pelo menos...diminuiu?
4- A morte e mutilação (não só física) de milhares de invasores e invadidos, valeram de algo?
5- As relações entre o Mundo muçulmano e não muçulmano... melhorou com a morte de Saddam ?
6- Vivem os seres humanos de todo o Planeta... mais seguros?
7- A população do Iraque está hoje mais segura, mais unida... deixou de morrer gente... diariamente?
8- O sr Blair já alguma vez pensou que com as suas mentiras sobre a invasão do Iraque, traiu o Povo Inglês, quando jurou cumprir com lealdade o cargo para o qual foi nomeado?
9- O sr Blair , ao ordenar o envio de jovens para uma guerra, com base numa mentira ( que já sabia ser mentira... não sei porque persiste... ele e os seus comparsas com a estafada treta), já se permitiu concluir que a morte dos milhares que tombaram, é da sua responsabilidade moral?
Não consigo continuar...
Até porque sei que ainda tenho que "aguentar" os que comigo possam não concordar...
Paciência!
Como digo sempre, é a minha opinião... um direito que por enquanto...ainda tenho e posso usar.
De EU a 14 de Dezembro de 2009 às 09:28
Maria, com o devido respeito e se me permite- acho que não se trata do "mundo" perder ou ganhar com a morte dos "Saddam"; a questão que se coloca aqui é: com que direito se interfere na história/vida de um povo? Se o Saddam e os seus filhos eram maus para o "povo" (ou parte dele), teria que ser esse povo a reagir. (sei o q está apensar: o povo não tinha força perante o seu exército.
Eu respondo-lhe: nós tivemos 1 ditadura durante décadas, 1 dia, a coisa mudou. Percebe onde quero chegar? E mais, ninguém veio ajudar o povo português durante a ditadura... (tb não me quero alongar rsrs)
Boas festas para si.
De EU a 14 de Dezembro de 2009 às 09:44
Maria, o Blair é muito mau, traíu o povo inglês (ponto 8)... ok.
Acho que se o compararmos com o G. Bush II e com a CIA, passa a ser um menino do coro.
O Blair tem hoje a coragem de falar abertamente sobre o assunto (certamente na altura achou que estava a agir bem) e admitir que houve erros. Acho que é 1 ponto a favor dele.
Ponto 10- Maria, pergunto-lhe: onde já viu enviar velhos para a guerra? e já viu alguma guerra baseada na "VERDADE"?
Os nossos foram para África baseado no quê?
(tenha calma, estou só a pensar alto)
De Luís Castro a 16 de Dezembro de 2009 às 00:44
Visto.
LC
De Maria a 14 de Dezembro de 2009 às 22:57
Caro Luís...
Mas parece que eu escrevi (desculpe o termo).
...chinês"
Eu vou apenas resumir:
1-Eu sou radicalmente e sempre fui contra a invasão do Iraque.
2-Eu nunca vou perdoar o que aqueles "acéfalos" do Bush e quejandos decidiram, em nome dos Iraquianos e...desculpe... mas também do nós todos que fomos, sim, também, afectados!
3-O Mundo "levou por tabela" sim e sofreu com o "efeito dominó" do "pós Iraque "...(estamos todos a "tremer", a cada esquina!!!
4- Para concluir , onde é que se deduz que eu alguma vez, escrevi ou sequer, dei a entender nas entrelinhas, que não deveria ter sido o Povo iraquiano a decidir do seu destino, independentemente das suas insuficiências, medos perante os ditadores que os amordaçavam?
Pelo contrário!
Eu defendo que somos nós, povos de cada País, a lutar.
Nós, é verdade, conseguimos mas... diga-se também... à custa de muita atrocidade e morte escondida (o Meu Pai foi preso por três vezes pela PIDE... a primeira tinha apenas 21 anos e um filho bébé .).
Conheço e senti a ditadura, muito bem... da pior forma.
Mas isso agora, não interessa nada, como dizia a outra Senhora... mas a família não esquece e tem as marcas sempre presentes.
Salvo, é claro, as tais terríveis excepções bem conhecidas e que apenas confirmam a regra.
Bem... vou acabar ...de vez!
Mas não sem antes, relembrar o que eu suspeitava!
Para além dos discordantes, ainda tenho que me confrontar com aqueles a quem não me fiz entender...
E eu que pensava que estava a coincidir com as suas ideias sobre este triste assunto!!!( não para lhe ser agradável... não faço caridade).
Paciência!
Abraço.
Maria.
De Luís Castro a 16 de Dezembro de 2009 às 01:20
???
Não estou a entender.
Não fui eu que escrevi...
Bj
LC
De Maria a 16 de Dezembro de 2009 às 18:24
Oops...
Luís...
Desculpe...mil vezes!
Claro que o comentário não é seu!
Só agora reparei (precipitada!!!! que fui!!!)...
Mas como os que tenho recebido no Mail, são apenas, até agora, os da sua autoria...
Dei como adquirido que este também era!
I am sorry for tremendous mistake. :-(
A hug.
Maria
De Luís Castro a 16 de Dezembro de 2009 às 18:42
Eheheheheheheh!!!
Volte sempre!
Bjs grandes
LC
De TU a 19 de Dezembro de 2009 às 00:57
Olá Maria.
"Depois da pedra atirada....."
(provérbio mt sábio)
De mARIA a 19 de Dezembro de 2009 às 02:54
Olá...TU!
Bem....!
Se é para dizer todo o provérbio, eu completo:
"Existem quatro coisas na vida que não se recuperam:
- a pedra, depois de atirada;
- a palavra depois de proferida;
- a ocasião, depois de perdida e
- o tempo, depois de passado."
Almodóvar

E há ainda um outro mais antigo, chinês, parecido com este que todos conhecemos e que não vou aqui transcrever, por desnecessário...

Agora... se é para "deixar algum recado em tom irónico", aqui vai a resposta:
1-O "suposto" apedrejado (que não houve... apenas retroquei...), pura e simplesmente... ou aparentemente aceitou!
2-O "destinatário" errado da tal pedrada que volto a realçar, não houve e a quem já me retratei... até achou graça e já o disse... escrevendo, como ficou exarado acima!
3-O que nunca foi "perdido nem achado para levar" com a tal inventada pedrada, é que parece que resolveu "tomar as dores" dos restantes dois visados.
Pois acredite que não faz parte da minha maneira de ser, manifestar a minha opinião, de forma recalcada e muito menos com "arremesso"....
Quanto muito, serei aqui e ali mais assertiva...! (mas nunca insultuosa ou adressiva)
Pelo menos não pretendo passar essa ideia.
Mas não fique avexado(a).
Nós estamos aqui para debater ideias, respingar "educadamente" uns com os outros, discordar saudavelmente, fazer até, humor... responsável... com alguns dos factos (sérios, menos sérios ou nem por isso).
Tudo o resto, pelo menos no que a mim diz respeito,...nunca me passou, não me passa e nunca me passará pela cabeça.
Questão de valores que me foram inculcados...
O que não significa que seja infalível,perfeita, boazinha, pretensões a..., etc....
Tenho defeitos, manias...e muitos!
Mas no geral, acho que sou "aceitável"... queria ver as coisas mais equilibradas... um mundo justo e em harmonia.
Sem tantas desigualdades e assimetrias...
Um abraço para todos.
Maria
De Luís Castro a 21 de Dezembro de 2009 às 14:10
Visto.
LC
De Luís Castro a 21 de Dezembro de 2009 às 14:10
Visto.
LC
De Luís Castro a 16 de Dezembro de 2009 às 00:43
Visto.
LC
De Luís Castro a 16 de Dezembro de 2009 às 00:40
"Bote cá para fora!"
Este espaço é para issso mesmo.
Bjs
LC
De EU a 14 de Dezembro de 2009 às 09:17
Bom dia Luís.
Este assunto mexe muito comigo. Garanto-lhe que não é por causa do Saddam- existem no mundo "líderes" que me enojam tanto ou mais que ele (não vou dar exemplos).
O que "mexe" muito comigo é a facilidade e o à vontade com que algumas "pessoas" do mundo manipulam a "realidade" de outros países/povos. Agem como se de um jogo se tratasse. Jogam a seu belo prazer!
A "nós", comuns mortais, só nos resta assistir... e sofrer as consequências desses erros.
Se eu fosse dizer tudo o que penso e sinto sobre este assunto, enchia várias folhas... enfim.

(mais 1 desabafo: vi na Tv que o Berlusconi foi agredido... FIQUEI MUITO CONTENTE!!!! É mais que merecida!)

Abraço
BOAS FESTAS
De maria moura a 14 de Dezembro de 2009 às 10:26
Bom dia EU
Faço das suas as minhas palavras deste último comentário por si dirigido ao Luis, sobretudo o 2º e 3º parágrafo. A Maria escreveu o que sentiu de acordo com a experiência de vida dela, acho saudavél podermos manifestarmo-nos aqui uns com os outros, por esse mesmo motivo é que este blog existe, acho.
Luis amanhã vou até À Jamaica, regresso dia 23. Desejo a todos muita tranquilidade interior e boas festas, até ao meu regresso
bjs
maria moura
De EU a 14 de Dezembro de 2009 às 15:52
Boa viagem MM e Boas Festas!
De maria moura a 15 de Dezembro de 2009 às 05:05
Muito obrigada EU.
Um abraço
Maria Moura
De Luís Castro a 16 de Dezembro de 2009 às 01:21
Visto.
LC
De Luís Castro a 16 de Dezembro de 2009 às 00:52
Leeeeeve-meeee coooonsiiiigoooooo!!!
Bjs
LC
De maria moura a 25 de Dezembro de 2009 às 21:03
Eheheheheh, too late!
Bjs
mmoura
De Luís Castro a 25 de Dezembro de 2009 às 23:14
de regresso?
LC
De Luís Castro a 16 de Dezembro de 2009 às 00:45
Visto.
LC
De Luís Castro a 16 de Dezembro de 2009 às 00:42
Que má!
Ou mau?
Já não sei...
Bjs
LC

Comentar post

Reportagem Angola - 1999



Reportagem Iraque - 2005


Reportagem Guiné - 2008


Reportagem Guiné - 2008


Reportagem Afeganistão - 2010

Livros

"Repórter de Guerra" relata alguns dos conflitos por onde andei. Iraque, Afeganistão, Angola, Cabinda, Guiné-Bissau e Timor-Leste. [Comprar]



"Por que Adoptámos Maddie" aborda o fenómeno mediático gerado à volta do desaparecimento de Madeleine McCann. [Comprar]


Sugestões para reportagem



Milhão e meio de portugueses elegem diariamente o Telejornal da RTP.
E porque o fazemos para vós, quero lançar-vos um desafio: proponho que usem o meu blogue para deixarem as vossas sugestões de reportagem.

Luís Castro
Editor Executivo
Informação - RTP

E-mail: cheiroapolvora@sapo.pt

Perfil

Jornalista desde 1988
- 8 anos em Rádio:
Rádio Lajes (Açores)
Rádio Nova (Porto)
Rádio Renascença
RDP/Antena 1

- Colaborações em Rádio:
Voz da América
Voz da Alemanha
BBC Rádio
Rádio Caracol (Colômbia)
Diversas - Brasil e na Argentina

- Colaborações Imprensa:
Expresso
Agência Lusa
Revistas diversas
Artigos de Opinião

RTP:
Editor de Política, Economia e Internacional na RTP-Porto (2001/2002)
Coordenador do "Bom-Dia Portugal" (2002/2004)
Coordenador do "Telejornal" (2004/2008)
Editor Executivo de Informação (2008/2010)

Enviado especial:
20 guerras/situações de conflito

Outras:
Formador em cursos relacionados com jornalismo de guerra e com forças especiais
Protagonista do documentário "Em nome de Allah", da televisão Iraniana
ONG "Missão Infinita" - Presidente

Obras publicadas:
"Repórter de Guerra" - autor
"Por que Adoptámos Maddie" - autor
"Curtas Letragens" - co-autor
"Os Dias de Bagdade" - colaboração
"Sonhos Que o Vento Levou" - colaboração
"10 Anos de Microcrédito" - colaboração

Pesquisar blog

Arquivos

Abril 2016

Janeiro 2016

Outubro 2015

Junho 2015

Maio 2015

Fevereiro 2013

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Agosto 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Categorias

política

economia

angola 2008

iraque 2008

sexo

afeganistão 2010

mau feitio

televisão

eua

mundo

amigo iraquiano

futebol

curiosidades

telejornal

saúde

iraque

missão infinita

religião

repórter de guerra - iraque

euro2008

guiné

humor

repórter de guerra - cabinda

acidentes

criminalidade

jornalismo

polícia

segurança

solidariedade

rtp

sociedade

terrorismo

afeganistão

caso maddie

crianças talibés

desporto

diversos

férias

futuro

justiça

todas as tags

subscrever feeds