Quarta-feira, 3 de Fevereiro de 2010

Estamos no vale de Arghandab

Os americanos dizem que esta é uma área de risco muito elevado por que os Talibãns têm andado bastante activos por aqui. Fica 20 km a Norte de Kandahar.

 

Disse-lhes que queria ir para as patrulhas de combate. Concordaram e enviaram-nos para a Companhia Delta do 2º Batalhão da 508. Por aqui há paraquedistas e rangers em patrulha constante. A 4ª Brigada de Combate já perdeu vários homens, especialmente pela explosão de engenhos improvisados e escondidos no chão, os chamados “IEDs”.

 

 

Chegámos quando o capitão Lambert está de partida. Ele vai de férias duas semanas para a Carolina do Norte, onde o esperam a mulher e os dois filhos que não vê há seis meses. Tem 31 anos e comanda 3 pelotões, mais de 60 homens. Já fizemos uma reportagem com ele.

 

Não vamos emitir estes trabalhos nos próximos dias porque não temos capacidade de envio. Por aqui não há sinal de satélite, quanto mais de internet. Estamos mesmo no meio do vale e para colocar estes posts e responder aos vossos comentários tenho de recorrer a uma ajuda que não posso especificar.

 

Amanhã vamos sair com uma das patrulhas de combate.

Hoje estivemos a colocar as câmaras nos “Cougar”.

Até breve.

 

 

 

Luís Castro

Paulo Oliveira

 

Nota:

Li todos os vossos comentários.

A todos, agradeço do fundo do coração!

Em alguns foi preciso morder os lábios para não verter uma lagrimazita.

Nestas situações ficamos um bocadinho mais piegas…

 

Vou fazer uma noitada para tentar responder aos vossos comentários.

Aqui são 4h30 mais do que em Portugal.

 

Muito obrigado a todos, mais uma vez!

publicado por Luís Castro às 17:00
link do post | comentar
158 comentários:
De Raquel Silva a 3 de Fevereiro de 2010 às 17:31
Luís, boa noite!

Então foi para o Afeganistão outra vez?
Boa sorte, tenha cuidado.
E claro, continue a transmitir-nos o que acontece no mundo, como tão bem faz ;)

Bjs

Raquel
De Luís Castro a 3 de Fevereiro de 2010 às 19:36
Obrigado, senhora futura jornalista.
assim tentarei.
Bjs
LC
De Maria Araújo a 3 de Fevereiro de 2010 às 17:42
Luís, que Deus o proteja. Que essa lagrimazuta seja de felicidade por todos aqueles que estão, deste lado, consigo, como eu estou.

Boa sorte. Tenha cuidado.
Beijinho


P.S.: Paulo Oliveira um beijinho para si também.


De Luís Castro a 3 de Fevereiro de 2010 às 19:37
Obrigado.
O Paulo já foi dormir.
Bjs
LC
De revelacoesdeumacarteirade20kg a 3 de Fevereiro de 2010 às 17:57
E nós cá ficamos com o coração nas mãos. Porque, afinal, quem nos entra em casa pelo écran da tv com tanta frequência já faz parte da família É lugar comum dizer "tenham cuidado", mas é o pouco que podemos fazer, assim como rezar para que voltem em segurança e nos contarem as histórias do Mundo.
De Luís Castro a 3 de Fevereiro de 2010 às 19:38
Eu também quero voltar para poder contar.
Obrigado.
Bjs
LC
De jacinta sousa a 3 de Fevereiro de 2010 às 20:40
Boa noite.,

E eu à espera de puder ler, o que nos vai contar.

cumprimentos.,

De Luís Castro a 6 de Fevereiro de 2010 às 17:18
Bjs
LC
De maria moura a 3 de Fevereiro de 2010 às 18:22
Luis!
Que bom saber notícias vossas. Tenho de dizer que adorei a sua foto, não é que esteja com ar desconfiado...!, mas cauteloso...!, :-) Excelente, Paulo Oliveira!. Aguardamos que nos conte como é sentir (desta vez) na alma a adrenalina dos minutos intermitentes...
Desejo que consigam realizar na integra o trabalho a que se propuseram, e que regressem tranquilos (apesar da exaustão fisica e psicológica) com a sensação de missão cumprida.
bj
mmoura
De Luís Castro a 3 de Fevereiro de 2010 às 19:40
Sempre à alerta!
Eles "andem" por aqui!
Obrigado.
Bjs
LC
De Carla Cruz a 3 de Fevereiro de 2010 às 18:55
Olá Luís! é sempre bom saber que estás bem e a fazer o teu trabalho como tão bem sabes fazê-lo. Acho bem que tentes ir o mais longe que te seja possível para reportar o que se passa nessa terra de ninguém, mas usa o teu bom senso para avaliares os limites da prudência. O teu trabalho é fundamental, mas Tu és ainda mais. Não te esqueças da tua família - Mulher, Filhos, Pais, etc. - e dos teus amigos que tanto te querem bem. Por eles e por nós, votos de um excelente trabalho, mas volta são e salvo!
Um grande beijinho.

Carla

PS: Sei que numa situação destas deveria evitar entrar com estes comentários. Mas, sabes, eu vivi por dois anos, e com apenas 8 anos, uma situação de Guerra em Moçambique e por isso, são sempre espaços que me intranquilizam. Desculpa... Muito boa sorte!
De Luís Castro a 3 de Fevereiro de 2010 às 19:41
Carla, não te preocupes.
Essas palavras fazem bem a quem está tão longe de casa e por paragens tão distantes.
Isto aqui é mesmo no fim do mundo!
Bjs e obrigado.
LC
De RUI FERREIRA a 3 de Fevereiro de 2010 às 19:09
lá que consigamuma reportagem bem feita acredito. quanto ao resto dúvido. hoje estão activos num sítio, amanhã estão noutro, e ámedida que se deslocam vão minando o terreno...veremos....não caiam nessa...
desejo-lhe muita sorte mesmo muita..... rui
De Luís Castro a 3 de Fevereiro de 2010 às 19:43
Nunca sabemos quem é a pessoa que está à nossa frente.
Nem lhes conseguimos ler a face.
Têm a cara sempre "fechada".
Ab.
LC
De Luís Castro a 9 de Fevereiro de 2010 às 17:56
Visto.
LC
De clmimi a 3 de Fevereiro de 2010 às 19:14
Olá Luís...
Enfim, recebemos uma "cartinha" a lembrar outras dos velhos tempos:
"Estimamos que vão bem...nós estamos bem"...
E na esperança que um dia essa terra(e outras) possa vir novamente a ser...somente terra cultivada de "pão", ainda que "adubada com sangue da ida guerra", tomei a liberdade de anexar um poema de António Gedeão.
---------------------------------------

"Poema da Terra Adubada

Por detrás das árvores não se escondem faunos, não.
Por detrás das árvores escondem-se os soldados
com granadas de mão.

As árvores são belas com os troncos dourados.
São boas e largas para esconder soldados.

Não é o vento que rumoreja nas folhas,
não é o vento, não.
São os corpos dos soldados rastejando no chão.

O brilho súbito não é do limbo das folhas verdes reluzentes.
É das lâminas das facas que os soldados apertam entre os dentes.

As rubras flores vermelhas não são papoilas, não.
É o sangue dos soldados que está vertido no chão.

Não são vespas, nem besoiros, nem pássaros a assobiar.
São os silvos das balas cortando a espessura do ar.

Depois os lavradores
rasgarão a terra com a lâmina aguda dos arados,
e a terra dará vinho e pão e flores
adubada com os corpos dos soldados."
---------------------------------------

Um abraço a todos e...cuidem-se.
Maria
De Luís Castro a 3 de Fevereiro de 2010 às 19:46
Muito obrigado.
Beijinhos.
LC
De patti a 3 de Fevereiro de 2010 às 19:59
Olá Luís,

Mais uma missão no meio da guerra, igual a tantas outras já feitas.
Mas por favor, parta sempre com o cuidado e a prudência de uma primeira vez!
Também nós por aqui, ficamos de coração mais pequeno. Acredite!
De patti a 3 de Fevereiro de 2010 às 20:08
E como disse eu, há quase dois anos, aqui mesmo neste blog, noutro tempo, noutra guerra:

" Será mesmo verdade que o homem é um animal de hábitos e o facto de o Luís estar há tanto tempo nessa vida de risco eminente, faz com que já não pense no perigo que se cruza consigo, minuto a minuto"?

Maa salama
De Luís Castro a 6 de Fevereiro de 2010 às 17:14
Patti,
mantenho a consciência do risco, mas a vida de um jornalista é dar notícias e contar histórias.
E medo todos têm. Mente quem disser que não tem medo.
Bj
LC
De Luís Castro a 3 de Fevereiro de 2010 às 20:09
Obrigado, Patti.
Disse no post anterior que não vou esquecer que foste das primeiras pessoas a comentar o blogue quando o abri no Iraque e que ainda por cá continuas.
Obrigado.
Bjs
LC
De maria moura a 3 de Fevereiro de 2010 às 20:40
Sabe Luis,
no meio destas emoções que todos nós aqui trocamos consigo, relacionadas com guerra..., coragem..., verdade..., justiça..., dou por mim a pensar na sua mulher!
Essa Senhora que eu não conheço de todo, mas por quem nutro uma admiração. O Luis escreveu o livro "Reporter de Guerra" que eu ainda não li, penso que também a sua mulher terá matéria vasta para escrever um livro, talvez o possa intitular de "O Outro Lado do Reporter de Guerra", onde com toda a certeza, a angústia, o medo, o silêncio, a incerteza, a ausência, a revolta, a indecisão, o equilibrio, o desiquilibrio, a alegria, entre outros estados de espirito, serão temas profundamente avassaladores.
Desculpe a intromissão pessoal. Hoje estou assim, a pensar numa outra "dor".
bj
mmoura
De Maria Clarinda a 4 de Fevereiro de 2010 às 11:18
Como o admiro por nos trrazer estas reçortagens...um GRITO que precisa continuara ser ouvido.
Que tudo corra bem consigo.
Um beijo
De Luís Castro a 6 de Fevereiro de 2010 às 17:49
Bjs.
Obrigado!
LC
De Luís Castro a 6 de Fevereiro de 2010 às 18:23
Pois...
a minha mlher já chorou a minha morte durante três dias, quando estive desaparecido no Iraque, em 2003.
Bjs
LC
De maria moura a 6 de Fevereiro de 2010 às 20:12
What a hell! :-)
bj
mmoura
De Luís Castro a 6 de Fevereiro de 2010 às 21:14
Bjs
LC
De Helena Castro a 3 de Fevereiro de 2010 às 20:56
Bjos e... sempre alerta.
Bom trabalho
De Luís Castro a 6 de Fevereiro de 2010 às 17:19
Obrigado!
Bjs
LC

Comentar post

Reportagem Angola - 1999



Reportagem Iraque - 2005


Reportagem Guiné - 2008


Reportagem Guiné - 2008


Reportagem Afeganistão - 2010

Livros

"Repórter de Guerra" relata alguns dos conflitos por onde andei. Iraque, Afeganistão, Angola, Cabinda, Guiné-Bissau e Timor-Leste. [Comprar]



"Por que Adoptámos Maddie" aborda o fenómeno mediático gerado à volta do desaparecimento de Madeleine McCann. [Comprar]


Sugestões para reportagem



Milhão e meio de portugueses elegem diariamente o Telejornal da RTP.
E porque o fazemos para vós, quero lançar-vos um desafio: proponho que usem o meu blogue para deixarem as vossas sugestões de reportagem.

Luís Castro
Editor Executivo
Informação - RTP

E-mail: cheiroapolvora@sapo.pt

Perfil

Jornalista desde 1988
- 8 anos em Rádio:
Rádio Lajes (Açores)
Rádio Nova (Porto)
Rádio Renascença
RDP/Antena 1

- Colaborações em Rádio:
Voz da América
Voz da Alemanha
BBC Rádio
Rádio Caracol (Colômbia)
Diversas - Brasil e na Argentina

- Colaborações Imprensa:
Expresso
Agência Lusa
Revistas diversas
Artigos de Opinião

RTP:
Editor de Política, Economia e Internacional na RTP-Porto (2001/2002)
Coordenador do "Bom-Dia Portugal" (2002/2004)
Coordenador do "Telejornal" (2004/2008)
Editor Executivo de Informação (2008/2010)

Enviado especial:
20 guerras/situações de conflito

Outras:
Formador em cursos relacionados com jornalismo de guerra e com forças especiais
Protagonista do documentário "Em nome de Allah", da televisão Iraniana
ONG "Missão Infinita" - Presidente

Obras publicadas:
"Repórter de Guerra" - autor
"Por que Adoptámos Maddie" - autor
"Curtas Letragens" - co-autor
"Os Dias de Bagdade" - colaboração
"Sonhos Que o Vento Levou" - colaboração
"10 Anos de Microcrédito" - colaboração

Pesquisar blog

Arquivos

Abril 2016

Janeiro 2016

Outubro 2015

Junho 2015

Maio 2015

Fevereiro 2013

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Agosto 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Categorias

política

economia

angola 2008

iraque 2008

sexo

afeganistão 2010

mau feitio

televisão

eua

mundo

amigo iraquiano

futebol

curiosidades

telejornal

saúde

iraque

missão infinita

religião

repórter de guerra - iraque

euro2008

guiné

humor

repórter de guerra - cabinda

acidentes

criminalidade

jornalismo

polícia

segurança

solidariedade

rtp

sociedade

terrorismo

afeganistão

caso maddie

crianças talibés

desporto

diversos

férias

futuro

justiça

todas as tags

subscrever feeds