Domingo, 4 de Abril de 2010

"Tenho muita vergonha!"

 

D. Januário Torgal Ferreira reconhece a “ocultação” de casos de Pedofilia na Igreja mas garante desconhecer a existência de casos idênticos em Portugal.

 

Diz o bispo das Forças Armadas em entrevista à TSF e ao DN: 

"A conclusão a que eu cheguei é esta: sem haver objectivos de ocultação houve bispos - que eu tenho que respeitar - que perante determinados crimes olharam para o filho pródigo, que era o sacerdote, e puseram-no em roda livre: Vais para aqui, para este caso não ser conhecido. Entretanto, não é só ocultar: Eu espero que tu te convertas."

 

Na mesma entrevista D. Januário Torgal defendeu que este não é um problema de fundo da Igreja ao mesmo tempo que se manifestou "altamente escandalizado" com a situação.

 

Mostrando-se bastante envergonhado com toda esta situação, o bispo português deixou uma pergunta:

"Como é que colegas meus, anos e anos, permitiram estes erros?", e acrescenta:

"Não encontro explicação nenhuma, tenho muita vergonha.”

 

Se em relação aos casos de ocultação D. Januário mostra certezas, o mesmo já não sucede em relação à existência de uma campanha organizada contra o Papa Bento XVI.

"A minha posição de homem e de bispo é que não há campanha, não há má vontade. E quem entrar por aí - que é uma má vontade contra o Papa, contra a Igreja e uma perseguição - está a dar um tiro no pé".

 

Mais uma vez, meu caro amigo D. Januário, você marca a diferença.

É por si e por poucos mais que ainda não me afastei definitivamente da Igreja.

 

BOA PÁSCOA PARA TODOS.

 

Luís Castro

publicado por Luís Castro às 15:21
link do post | comentar
191 comentários:
De Jacinta Oliveira a 4 de Abril de 2010 às 17:55
Boa tarde.,

Também concordo consigo ainda há poucos que marcam a diferença, ainda há quem admita ter vergonha. E se casos aconteceram fora do nosso país não ficaria escandalizada se já tivesse acontecido por cá, pelo mundo estes casos permanecem, para minha tristeza, é um tema que me revolta.
A igreja vai continuar abafar os casos de pedofilia assim como faz há muito tempo e isso eu não consigo entender, faz-me lembrar uma caricatura que vi em tempos, que BBC exibiu e a Record reproduziu uma reportagem sobre os padres pedófilos, protegidos pela igreja católica em todo o mundo, inclusive no Brasil.
Em que uma mãe Brasileira pergunta: "Oi filho, senta e conta como foi a sua primeira confissão" ao qual o pai comenta " Querida você sabe que ele não pode contar" na qual a criança responde " contar eu posso, não posso é sentar".
O que mais me assusta e faz pensar muito é que tenho duas sobrinhas a frequentar catequese e a igreja, tudo bem que a pedofilia não é só praticada pelos padres.

Não consigo aceitar que a igreja defenda, esconda e compactue em termos com esses abusos.

Cumprimentos.,
De Anónimo a 5 de Abril de 2010 às 01:55
Não consegues aceitar que a Igreja defenda? Achas que a Igreja defende o abuso de alguém?

É que segundo essa lógica, só falta culpar a ordem dos médicos por existirem médicos pedófilos.

Já agora, se há conhecimento de tantos casos que foram ocultados, porque é que a Justiça se mantém quieta? Talvez isso não dê matéria de escândalo para a comunicação social.

Em relação à entrevista, não percebo o porquê da razão de todos perguntarem a padres ou representantes da Igreja, o porquê dos violadores fazerem o que fazem... Parece-me puro contra-censo.

Cumprimentos.
De Jacinta Oliveira a 5 de Abril de 2010 às 13:22
Tenho direito a ter opinião e se tem opinião diferente tudo bem, também está no seu direito.
É pena é que sua opinião seja anónima.

Cumprimentos.,
De Luís Castro a 6 de Abril de 2010 às 22:12
Visto.
LC
De Luís Castro a 6 de Abril de 2010 às 00:52
Visto.
LC
De Luís Castro a 6 de Abril de 2010 às 00:43
Andei 3 anos num seminário.
Felizmente não vi nada.
Bem antes pelo contrário.
Um jovem padre abandonou depois de ter sido apanhado na cama com uma empregada.
Bj
LC
De Jacinta Oliveira a 6 de Abril de 2010 às 19:11
Nem toda a gente é igual, se ele não fosse apanhado será que abandonaria?
Conheço um caso na vila onde vivo de um padre que andou longos anos com uma senhora que por sinal era minha vizinha e ninguém fez queixa, nem se meteu na vida dele. Pois afinal ele era feliz e exercia a sua função de padre muito bem e toda a gente o apreciava pelo bom padre que era, principalmente na ajuda a pobres.

Cumprimentos.,
De Luís Castro a 7 de Abril de 2010 às 19:27
Agora é um empresário de sucesso.
Bjs
LC
De Jacinta Oliveira a 8 de Abril de 2010 às 20:53
Agora deve ser feliz se tivesse continuado se calhar não o era.


Cumprimentos.,
De Luís Castro a 9 de Abril de 2010 às 01:10
Muito provavelmente não.
Bjs
LC
De Sónia Pessoa a 4 de Abril de 2010 às 19:06
Confesso que eu já me afastei há algum tempo. Já não consigo acreditar... boa Páscoa para ti e para os teus.
De Luís Castro a 6 de Abril de 2010 às 00:43
Já passou, mas obrigado.
E a tua?
Bj
LC
De Sónia Pessoa a 6 de Abril de 2010 às 21:40
Não soube a Páscoa, foram dias demasiado normais... se calhar por já acreditar pouco nestas celebrações, nas pessoas... Quando nos encontramos? Já me deves quinhentos cafés... rsss... beijo
De Luís Castro a 7 de Abril de 2010 às 19:29
Não vou ter dinheiro para pagar!!!
Eheheheheh
Bjs
LC
De Sónia Pessoa a 7 de Abril de 2010 às 21:53
Para poder estar contigo em amena cavaqueira, basta-me um.
De PCCVG a 4 de Abril de 2010 às 19:12
Embora eu não seja crente, respeito todos os credos e fico sensibilizado por ver o vigário castrense a admitir e encarar frontalmente aquilo que a igreja tarda em aceitar resolver.
Já há uns dias o tinha feito numa entrevista a um canal de televisão
De Luís Castro a 6 de Abril de 2010 às 00:44
Conheço D. Januária há bastante tempo.
Outra atitude não seria de esperar.
Ab.
LC

*** Já respondi ao teu email
De maria moura a 4 de Abril de 2010 às 21:37
"D. Januário reconhece a "ocultação" de casos de pedófilia na Igreja, mas garante desconhecer a existência de casos idênticos em Portugal". Este "garante" faz-me questionar a que tipo de católicos é dirigida esta afirmação!? Desculpem-me aqui os católicos crentes, mas... como posso levar a sério tal afirmação de garantia? Nada me garante que não haja por aí neste nosso Portugal, por aldeias, vilas, cidades a prática da pedófilia nas Igrejas católicas. Vou dar um exemplo sem termos de comparação: vivi 5 anos em Londres, o suficiente para ter regressado a Portugal - há 20 anos - com uma verdadeira lavagem ao cérebro sobre o virus HIV. Diáriamente havia informação, sobre o que era como se transmitia e ainda os danos fisicos que causava. Ainda consigo recordar alguns filmes que bem mostravam o estado a que chegava o ser humano em poucos meses (naquela época). Quando cheguei a Portugal fui gozada, criticada, por ser a favor da protecção, informação e divulgação. "Sida em Portugal? Não, cá não há sida". Pois não... tive uma amiga enfermeira na altura em que ela dizia que o nº de casos, era alarmante. Pois... pensava eu, somos o País dos saúdaveis. Agora com este comentário de garantia, somos o País dos intocáveis, (mentalidades) sim "a pedófilia na Igreja católica existe, mas não em Portugal". Que se revoltem as vitimas, os familiares das vitimas, os amigos das vitimas e todos nós. Que seja determinantemente proibido o celibato, não foi Deus que impôs essa norma. Sexo é uma função biológica e uma necessidade fisiológica maravilhosa e esta função deveria ser naturalmente ensinada nas escolas, naturalmente ensinada em casa, de maneira a não criar assassinos entre nós, não só nas igrejas mas na comunidade em geral, não só entre padres, mas entre outras profissões, não só nas crianças, mas entre adultos. Em nome de Deus se mata, em nome de Deus se tortura, em nome de Deus se mente, em nome de Deus se destroi psicologicamente (Irão, Iraque, Afeganistão e tantos outros, estou a pensar nos suicidas e naquelas mulheres que só podem vestir as burkas ridiculas em que nem os olhos se vêm, em que lhe é negada a sua feminilidade, a sua sensualidade, a sua existência... e tudo em nome de Deus... Não quero ter esta horrivel impressão sobre Deus. Assim sendo, o meu Deus sou eu mesma, o meu Deus é a minha educação, o meu respeito pelo próximo, a minha fé interior é o poder que tenho dentro de mim. Nasci e cresci católica praticante até não mais querer viver numa mentira religiosa... até mais não suportar viver numa ilusão... respeito cada ser, de seguir e de acreditar no que lhe apetecer... (quem ninguém me diga "vem por aqui"- cantico negro - José Régio, este poema define-me na integra :-)) Luis eu tb gosto do D. Januário, (e vi a reportagem na sic) mas já nem ele me faz acreditar ... só mesmo Deus! (a tal força que eu amo em mim).
bj
mmoura
De jjmf a 4 de Abril de 2010 às 23:57
Parece-me que seria estupidez de D. Januário garantir que não haja. O que ele garante é que NÃO CONHECE, que é bem diferente. Eu também não conheço, porque se conhecesse garantia, mas lá que que me apetece garantir apetece. Qual a dimensão do fenómeno?
De Luís Castro a 6 de Abril de 2010 às 00:51
Visto.
LC
De Anónimo a 5 de Abril de 2010 às 09:53
Na mesma base do respeito pelo "Outro" não comento as afirmações aqui proferidas mas, fiquei sem entender o que é que tem a haver, celibato e pedofilia!
Na casa Pia, por exemplo, não me consta que tenham estado celibatários metidos no processo!
A questão da pedofilia, é transversal, infelizmente! São seres humanos que se envolvem nela. E disso, devemos ter todos vergonha.
De maria moura a 5 de Abril de 2010 às 16:01
Anónimo
A sua observação faz todo o sentido, mas uma coisa não impede a outra, ou seja o celibato na igreja pode levar à prática de pedofilia, uma vez que os acólitos são quase sempre crianças e jovens do sexo masculino. Claro que uma coisa não é necessariamente consequência da outra.
mmoura
De Luís Castro a 6 de Abril de 2010 às 22:19
Visto.
LC
De Luís Castro a 6 de Abril de 2010 às 22:03
Visto.
LC
De Luma a 5 de Abril de 2010 às 13:05
Excelente. Importas-te que faça minhas as tuas palavras? Na integra. Há muito que passei a acreditar no Espirito Divino (a força) que existe em mim.

Luma
De maria moura a 5 de Abril de 2010 às 16:26
Luma
Obrigada, mas depois de eu ter tirado por curiosidade um curso sobre "ler auras", entre outras coisas energeticamente curiosas, fiquei a perceber e a validar o extraordinário poder que temos dentro de nós. Uma força divina maravilhosa. Eu tb acredito no "Espirito Santo" e já estudei em tempos a vida de Jesus Cristo na Terra.
bj
mmoura
De maria moura a 5 de Abril de 2010 às 18:36
Aproveito para sugerir leitura sobre "lemuria" e os lemurianos, é facil de pesquisar na net. Muito interessante.
mmoura
De Luís Castro a 7 de Abril de 2010 às 18:45
Visto.
LC
De Luís Castro a 6 de Abril de 2010 às 22:22
Visto.
LC
De Luís Castro a 6 de Abril de 2010 às 22:11
Visto.
LC
De nao tem blogue nem terá a 5 de Abril de 2010 às 13:17
1. D. Januário não disse que não havia casos em Portugal, mas que, se os há, desconhece-os. É essa a sua garantia, garantia relativamente a ele.
2.Celibato proibido? E se eu, leigo, não quiser casar? E os casos de pedofilia, tantos, tantos, cometidos por homens e mulheres casados? Ser celibatário não é sinónimo de pedófilo. E os pais que violam filhos e filhas?
De maria moura a 5 de Abril de 2010 às 16:22
Compreendo a sua questão, mas o post é sobre a pedófilia na Igreja. "O celibato corroi a doutrina social e teológica da Igreja e é anti-natural. O celibato na Igreja dá azo a condutas pedófilas".
Eu tb não sou casada, nem ninguém me obrigará a casar. Vivo maritalmente e tenho 2 filhas. Se exagerei no adjectivo vou substitui-lo: o celibato deve ser extinguido, eliminado, repito: é anti-natural. Quanto à pedofilia praticada fora da Igreja, é com certeza do conhecimento de todos, que só um ser perturbado psicológicamente comete abusos sexuais sobre menores. E na minha opinião estas situações acontecem porque na sua maioria não terão tido uma educação/informação natural sobre o tema - relações sexuais -. Sexo tem sido desde há muito tempo, considerado tabu pela maioria das familias. Felizmente começa a haver uma luz a fazer-se brilhar nesse sentido. Claro que haverá situações patológicas, sobre as quais não me compete opinar.
mmoura
De F.SILVA a 5 de Abril de 2010 às 18:55
20 Valores M.Moura . Eu a ser ditador eras o tipo de pessoa que eu gostava de impor. Todas as pessoas teriam de ser como tu, caso contrario seriam desclassificadas da sociedade. Mas como somos democratas temos de tolerar toda a espécie de gentinha.
De maria moura a 5 de Abril de 2010 às 19:14
Exactamente por sermos democratas é que estamos aqui a opinar livremente, não a impôr... E acrescento eu aprendo com todos os comentários que me são dirigidos, mesmo os que maliciosamente vulgares.
mmoura
De Luís Castro a 7 de Abril de 2010 às 18:46
Visto.
LC
De Luís Castro a 7 de Abril de 2010 às 18:46
Visto.
LC
De Cristina a 5 de Abril de 2010 às 19:45
Concordo consigo Maria Moura. O celibato não faz qualquer sentido, é anti-natural, além de que não resulta da Bíblia. Os padres católicos deveriam ter possibilidade de ter uma vida sexual activa e saudável. Os sacrifícios só fazem sentido se tiverem o objectivo de ajudar os outros. Abdicar da vida sexual em nome de uma função é um sacrifício que, além de ser desumano e cruel, não ajuda ninguém. Sem querer ligar a pedofilia ao celibato, acho que a Igreja católica deveria de uma vez por todas acabar com o celibato. Bastaria seguir mais de perto a Bíblia.
De Luís Castro a 7 de Abril de 2010 às 18:46
Visto.
LC
De Luís Castro a 6 de Abril de 2010 às 22:21
Visto.
LC
De Luís Castro a 6 de Abril de 2010 às 22:12
Pois...
LC
De Pagão a 5 de Abril de 2010 às 16:54
""Em nome de Deus se mata, em nome de Deus se tortura, em nome de Deus se mente, em nome de Deus se destroi psicologicamente...""
Esqueceu-se da Inquisição, não foi?

Se o vosso Cristo aparecesse novamente mata-lo-iam sem apelo nem agravo. Hoje dirão que não, mas será que o reconheceriam?
De maria moura a 5 de Abril de 2010 às 18:59
Há muito que passei a ser Pagã, não conseguindo deixar de ser Cristã. Seja como for não concordo com a atitude passiva da Igreja sobre a pedófilia. Já disse por aí que há padres que merecem todo o nosso respeito e admiração, pelo trabalho humanitário, comunitário que exercem muitas vezes em condições bem precárias. Visitem esses países de 3º mundo e observem onde as pessoas encontram momentos de tranquilidade, que lhe dás animo para continuarem...
mmoura
De Luís Castro a 7 de Abril de 2010 às 18:46
Visto.
LC
De Luís Castro a 6 de Abril de 2010 às 22:26
Julgo que não.
Ab.
LC
De Luís Castro a 6 de Abril de 2010 às 00:46
D. Januário garante desconhecer casos idênticos em Portugal.
Acredito no que diz.
Bjs
LC
De Rui da Bica a 4 de Abril de 2010 às 21:59
São curiosas as diferenças de opinião vindas de dentro da Igreja. Há outros, muito alto na hierarquia, que afirmam que não passa de "mexericos" para desacreditar a Igreja.
Isto é revoltante, em contraste com a posição do D. Januário.
A Igreja ganharia muito mais se ela própria denunciasse e entregasse às autoridades civis os prevaricadores. Ganhava credibilidade qie só a beneficiaria.

Assim, o "Clube" continua e continuará a perder muitos sócios, a cometer muitas "faltas", os àrbitros fazem vista grossa, o treinador a perder crédito e não tarda muito que possa descer de divisão !

Por mim, já perdeu tudo que havia a perder !
.
De Luís Castro a 6 de Abril de 2010 às 00:48
Concordo que reconhecer os erros só nos engrandece!.
Ab.
LC
De jonasnuts a 4 de Abril de 2010 às 23:38
Este post está em destaque na Homepage do SAPO.
De eliseu a 5 de Abril de 2010 às 02:15
Embora haja opiniões contrárias, eu acho que o problema se resolvia, em parte, com o fim do celibato entre padres. É certo que os há também entre casados. Mas não se consta que sejam em tão grande número dentro de uma classe «profissional». Mesmo noutras religiões onde o casamento é possível não se vê esta vergonha.E o casamento seria só uma possibilidade, não uma orbigação.
De Anónimo a 5 de Abril de 2010 às 02:17
concordo. e não nenhuma razão para que os padres não sejam ou não possam ser casados.
De Luís Castro a 6 de Abril de 2010 às 00:55
Visto.
LC
De rui a 5 de Abril de 2010 às 09:43
Eliseu o celibato , na minha opiniao, é uma falsa questao. E aquelas pessoas que são casadas com filhos e que são pedofilos?! A maioria dos pedofilos tem uma vida familiar .
De Luís Castro a 6 de Abril de 2010 às 21:59
Visto.
LC
De Cristina a 5 de Abril de 2010 às 19:52
Concordo consigo Eliseu.
De Luís Castro a 7 de Abril de 2010 às 18:47
Visto.
LC
De Luís Castro a 6 de Abril de 2010 às 00:54
Tenho dúvidas que acabasse com os casos de pedofilia.
LC
De Luís Castro a 6 de Abril de 2010 às 00:49
Tks!
LC
De filha do administrador a 5 de Abril de 2010 às 08:51
sem dúvida
ele é a diferença
talvez se todos fossem assim as pessoas não se afastassem da igreja (ideais e ideias)
mas não ainda há muitos "crentes" e responsáveis da igreja que preferem esconder, fingir que não vêem
e não são só os casos de pedofilia.
De Luís Castro a 6 de Abril de 2010 às 00:56
Não é esta a "VERDADE" que a Igreja defende.
Bjs
LC
De santos a 5 de Abril de 2010 às 09:17
Não sejamos hipocritas e tiremos a trave dos olhos. O Papa João Paulo II sabia dos casos de pedofilia e nunca fez nada. Calou-se. Como todos se calaram. Vejam os casos em Espanha no tempo de Franco! Ninguem sabia?! A Igreja esta a colher o que plantou. A Verdade tem de ser posta em pratica , tanto pela Igreja como por todos nós. Em Portugal havera muitos casos que por vergonha e " pecado" talvez nao sejam conehcidos. Alias houve um caso bem conhecido o ballet rose onde havia padres envolvidos. Temos memoria curta....
De Luís Castro a 6 de Abril de 2010 às 00:58
Infelizmente a Pedofilia tem acompanhado a História da Humanidade.
Agora é inadmissível!
LC
De Pedro Oliveira a 5 de Abril de 2010 às 09:28
Teria sido bom que Bento XVI ontem tivesse tido a mesma frontalidade na Paraça de S.Pedro.
abraço e boa semana
De Luís Castro a 6 de Abril de 2010 às 00:59
A Igreja somos nós.
Eles não são a Igreja.
Ab
LC
De Engenheiro Técnico Carvalho de Sousa a 5 de Abril de 2010 às 09:37
Quando é que vamos proibir a pedofilia em Portugal?
Eu assino o projecto
De pink poison a 5 de Abril de 2010 às 11:48
PROIBIR pedofilia?

Como? faz-se uma lei?
Sim a vergonha é mesmo o mínimo que se pode ter. Perdi toda a confiança em qualquer padre, bispo, o que seja... Não são os únicos pedófilos mas s~representam uma entidade que nos assegura paz...
Mas que paz???
Eu, matava, quem violasse um filho meu ou visse qualquer criança a ser molestada, pelos pobres pedófilos, que, ao terem essa tendência, como õutros têm para o incesto e afins, não podem estragar uma vida que está a começar. Desculpem mas o meu avô tinha uma máxima que não resisto a citar: "Padres e médicos, são todos uns filhos da puta!"... Pá... Este senhor, tem vergonha, é uma exepção, é nobre ao sentir vergonha de quem estudou o que ele estudou, de quem defenderia os mesmos valores... Um bem haja
De Vitor Silva a 5 de Abril de 2010 às 15:09
D. Januário, de si só espero a frontalidade e há poucos neste Portugal.
A igreja somos nós. Conheço algumas pessoas que fazem barbaridades no seu dia a di, mas batem com a mão no peito. A Igreja, é servida por muitos como capa, mas poucos servem a Igreja.
Cristo não merecia este sacrilégio.
Um abraço a todos.
De Luís Castro a 6 de Abril de 2010 às 22:15
Muito bem dito!
Ab.
LC
De maria moura a 5 de Abril de 2010 às 16:33
Acho que não deveriamos generalizar. Afinal, há tantos padres a fazer trabalhos comunitários por esse mundo fora, de uma entrega e ajuda humana ao próximo, incalculável... assim como também há médicos de uma elevada ética profissional, em qualquer área de saúde.
mmoura
De Luís Castro a 6 de Abril de 2010 às 22:22
Visto.
LC
De Luís Castro a 6 de Abril de 2010 às 22:07
Também era capz de perder a cabeça com quem fizesse mal aos meus filhos.
Ab.
LC
De Luís Castro a 6 de Abril de 2010 às 00:59
É proibida.
Ab.
LC

Comentar post

Reportagem Angola - 1999



Reportagem Iraque - 2005


Reportagem Guiné - 2008


Reportagem Guiné - 2008


Reportagem Afeganistão - 2010

Livros

"Repórter de Guerra" relata alguns dos conflitos por onde andei. Iraque, Afeganistão, Angola, Cabinda, Guiné-Bissau e Timor-Leste. [Comprar]



"Por que Adoptámos Maddie" aborda o fenómeno mediático gerado à volta do desaparecimento de Madeleine McCann. [Comprar]


Sugestões para reportagem



Milhão e meio de portugueses elegem diariamente o Telejornal da RTP.
E porque o fazemos para vós, quero lançar-vos um desafio: proponho que usem o meu blogue para deixarem as vossas sugestões de reportagem.

Luís Castro
Editor Executivo
Informação - RTP

E-mail: cheiroapolvora@sapo.pt

Perfil

Jornalista desde 1988
- 8 anos em Rádio:
Rádio Lajes (Açores)
Rádio Nova (Porto)
Rádio Renascença
RDP/Antena 1

- Colaborações em Rádio:
Voz da América
Voz da Alemanha
BBC Rádio
Rádio Caracol (Colômbia)
Diversas - Brasil e na Argentina

- Colaborações Imprensa:
Expresso
Agência Lusa
Revistas diversas
Artigos de Opinião

RTP:
Editor de Política, Economia e Internacional na RTP-Porto (2001/2002)
Coordenador do "Bom-Dia Portugal" (2002/2004)
Coordenador do "Telejornal" (2004/2008)
Editor Executivo de Informação (2008/2010)

Enviado especial:
20 guerras/situações de conflito

Outras:
Formador em cursos relacionados com jornalismo de guerra e com forças especiais
Protagonista do documentário "Em nome de Allah", da televisão Iraniana
ONG "Missão Infinita" - Presidente

Obras publicadas:
"Repórter de Guerra" - autor
"Por que Adoptámos Maddie" - autor
"Curtas Letragens" - co-autor
"Os Dias de Bagdade" - colaboração
"Sonhos Que o Vento Levou" - colaboração
"10 Anos de Microcrédito" - colaboração

Pesquisar blog

Arquivos

Abril 2016

Março 2016

Janeiro 2016

Outubro 2015

Junho 2015

Maio 2015

Fevereiro 2013

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Agosto 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Categorias

política

economia

angola 2008

iraque 2008

sexo

afeganistão 2010

mau feitio

televisão

eua

mundo

amigo iraquiano

futebol

curiosidades

telejornal

saúde

iraque

missão infinita

religião

repórter de guerra - iraque

euro2008

guiné

humor

repórter de guerra - cabinda

acidentes

criminalidade

jornalismo

polícia

segurança

solidariedade

rtp

sociedade

terrorismo

afeganistão

caso maddie

crianças talibés

desporto

diversos

férias

futuro

justiça

todas as tags

subscrever feeds