Terça-feira, 10 de Junho de 2008

"Dia da raça"

«Hoje eu tenho que sublinhar, acima de tudo, a raça, o dia da raça, o dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas»

Palavras de Cavaco Silva, quando questionado pelos jornalistas sobre a atitude dos camionistas.

 

Não quero entrar em discussões genéticas, nem criticar ou justificar palavras que não são minhas.

Mas estou irritado!

Para os antropólogos, o termo “raça” é usado na construção de identidades culturais.

Já para os biólogos é uma parte distinta, enquanto que para os zoólogos significa subespécie.

Gostaria de saber, em que conceito se inserem os nosso políticos quando comentam as palavras do Presidente da República.

E gostaria também que centrassem os seus discursos nos problemas reais do país.

Não são estas polémicas que me vão pagar a gasolina que eu meto no depósito, pagar a prestação da casa, conseguir um emprego ou comprar comida para ter à mesa!

 

Luís Castro

 

Categorias: ,
publicado por Luís Castro às 16:13
link do post | comentar
32 comentários:
De Eduardo Maio a 10 de Junho de 2008 às 17:08
Só quem não tem nada para fazer na vida é que se pode levar uma conotação racista/xenófoba tendo em conta o contexto da frase.

Acho que quem tem os pés bem assentes na terra percebeu o teor da frase, já os outros do costume vieram prontamente manifestar-se e enviaram comunicados para a comunicação social a "repudiar" estas "frases maquietistas do tempo do estado novo".
De Luís Castro a 10 de Junho de 2008 às 19:41
Eduado,
o país tem problemas bem graves para resolver.
Não se deve desviar a atenção do que essencial.
Abraço
De ricardo nunes a 10 de Junho de 2008 às 17:25
concordo no essencial com o que o Luis afirma.

após o projecto Genome, criou-se a ideia que não existiriam raças diferenciadas, mas cientistas forenses que usam o DNA nas suas investigações de crimes, indicam que existem sequências de DNA que podem dizer se uma pessoa é "Caucasian, Afro-Caribbean or Asian Indian".

No entanto essas sequências no essencial "revealed that race is minor at the DNA level. The genetic differences between any two randomly selected individuals in one socially recognized population account for 85 percent of the variation one might find between people of separate populations. Put another way, the genetic difference between two individuals of the same race can be greater than those between individuals of different races--table sugar may look like salt, but it has more similarities with corn syrup. "
http://www.uwm.edu/~gjay/Whiteness/realityofrace.htm

cumprimentos,

rjnunes
De Luís Castro a 10 de Junho de 2008 às 19:42
Abraço.
LC
De Bruno Martins a 10 de Junho de 2008 às 20:12
Para além dessas definições, há um forma em que se emprega a palavra raça para definir garra, e a mim parece-me que foi dentro desse contexto que a palavra foi usada. Mas toda esta polémica é mais uma no meio de muitas que só lembram a quem realmente não tem nada que fazer nem nada em que pensar. A classe política portuguesa é mais podre que sei lá o quê, não se vê nada de novo, não se avista um fundo do túnel em que estamos metidos, só se vê disto, balelas.
De Luís Castro a 11 de Junho de 2008 às 01:13
"Polémicas", é isso, Bruno.
É disso que vivem os nossos políticos.
É preciso uma boa oposição para o governo governe melhor!
Ab.
LC
De brunomiguel a 12 de Junho de 2008 às 21:26
Também fiquei com a ideia de que o nosso Presidente da República (das bananas?!) disse raça como sinónimo de garra. Mas claro, à primeira oportunidade para fazer espectáculo, os "abutres" atacam.

O problema é se Cavaco Silva realmente disse raça com uma conotação negativa...
De Luís Castro a 13 de Junho de 2008 às 00:34
Bruno,
esperemos que não...
Ab.
LC
De João Calviño a 11 de Junho de 2008 às 01:03
Eu ate poderia concordar nao fosse o a anterior utilização da frase "dia da raça" pela outra senhora para falar de uma raça portuguesa (tendo em conta as amizades nazis de salazar assusta-me)...

Desviar do essencial? Sabes Luís, nestas alturas de crises, geralmente a desigualdade social acentua-se e com ela agravam-se os conflitos sociais, nomeadamente das classes mais baixas ( grde parte imigrantes) e acotnecem coisas como aconteceu em frança...

Declarações destas só inflamam e acentuam o problema além de ser uma clara analogia racista.

Mas isto claro, ninguem mudou a sua agenda por causa disso.. simplesmente adicionaram uns pontos à discussão.

Eu já à algum tempo que acho que os Combustiveis vão ser a Ponte 25 de Abril do Sócrates... e espero que assim seja pq quero ver o povo na rua a fazer pelas suas mãos valer os seus direitos...

Só lamento que nesta Mer... de bi-partidarização democrática em que vivemos a alternativa PSD so sirva para piorar as coisas.
De Luís Castro a 11 de Junho de 2008 às 01:20
João,
não me pareceu uma referência racista.
Conhecço muito bem Guterres, Barroso e Sampaio pelas inúmeras reportagens que fiz com eles, mas com Cavaco Silva apenas me cruzei algumas vezes, embora não me pareça que merece a crítica que lhe está a ser feita. E o que digo não tem a ver com qualquer tendência política da minha parte, que fique bem claro.
Quanto à oposição, estes anos têm sido para esquecer.
E em alguns casos os líderes desses partidos nem terão sido os mais culpados.
Os partidos é que não nos servem. Servem-se...
Ab.
LC
De João Calviño a 11 de Junho de 2008 às 01:46
Sim Luis, podes ter alguma razão...

Mas também foi este senhor que não teve problemas em mandar a policia carregar sobre o seu povo.

Em relação aos Partidos, PS PSD's e CDS não são mais do que reflexos da sua própria ideologia...
De Luís Castro a 11 de Junho de 2008 às 01:50
Estão esgotados... e esgotam-nos!
Ab.
LC
De filha do administrador a 11 de Junho de 2008 às 09:50
tanta coisa mais importante para comentar, na minha opinião, como por exemplo a ditadura que se impõe nos bloqueios dos camionistas, como se impôs no dos pescadores e a preocupação é o "dia da raça"?

é uma ofensa dizer: corre com raça? faz isto ou aquilo com raça? sente a raça?
ui , que sensibilidade !!!!!!
De Luís Castro a 11 de Junho de 2008 às 12:32
Filhadoadministrador,
na verdade, a nossa liberdade acaba quando passa a interferir na dos outros.
É o que está a acontecer com os camionistas.
Bjs
LC
De filha do administrador a 11 de Junho de 2008 às 09:50
tanta coisa mais importante para comentar, na minha opinião, como por exemplo a ditadura que se impõe nos bloqueios dos camionistas, como se impôs no dos pescadores e a preocupação é o "dia da raça"?

é uma ofensa dizer: corre com raça? faz isto ou aquilo com raça? sente a raça?
ui , que sensibilidade !!!!!!
De Luís Castro a 11 de Junho de 2008 às 12:32
Visto.
LC
De Daniel Marques a 11 de Junho de 2008 às 12:47
Fui ao dicionário perceber o que significa "raça". Um dos significados dessa palavra é também "greta no casco das bestas".
De Luís Castro a 11 de Junho de 2008 às 19:07
Há por aí muita cabeça "gretada"...
Ab.
Lc
De Hernani a 11 de Junho de 2008 às 14:10
Eu até queria comentar, mas como é possivel comentar quando a liberdade das pessoas está em causa, veja só o que está a acontecer com a paralização forçada dos camionistas, como é possivel que uma classe de passoas ( para mim sem escrupulos ) possam por em risco a liberdade do pais, lhes asseguro que vão pagar bem caro a acção que estão a tomar, o lamentavel da questão é que pagamos todos.
Onde está a autoridade do Presidente da Republica e o Governo, porque se encolhe, porque é que ainda não foi decretado o estado de sitio. Está toda a gente com medo, coitadinhos tenho imensa pena deles, um pais como o nosso que vive talvez 50% do turismo, está realmente a dar uma boa imagem ao estranjeiro. Agora é que era a altura para os jornalistas darem o seu palpite, mas infelizmente quando se tratam de assuntos mais sérios até os jornalistas se calam.
Como é possivel que os srs. camionistas formam piquetes e forçam a parar quem quer trabalhar, apredejam camiões, ateam fogo, é pena não me mandarem parar a mim na estrada pois seguramente iam na frente do carro, só as forças da autoridade tem poder para mandar parar, foi o que me ensinaram quando tirei a carta, é caso para dizer em bom portugues" mas que merda é esta a que estamos a assistir", se isto é democracia venha de lá outra vez uma ditadura que a mim nunca me incomodou.

Hernani
De Luís Castro a 11 de Junho de 2008 às 19:15
Amigo,
a Democracia não é um sistema perfeito.
Depois háquem se aproveite...
Confesso que, pessoalmente, não concordo com piquetes de greve, nem nos camionistas nem em outra situação qualquer.
Se eles são livres de fazer greve, os outros também serão livres de ir trabalhar.
Ab.
LC
De Diogo Rodrigues a 11 de Junho de 2008 às 16:26
Bem o 10 de Junho já passou e o pais está perto da ruptura, já quase não existe combustivel nas bombas, não se justificava, uma tomada de posição por parte do governo ou PR ?

Luís já agora nestas circunstancias é possível colocar o pais em estado de emergencia? e consiste basicamente em que ?

abraço []
De Luís Castro a 11 de Junho de 2008 às 19:33
Diogo,
compete às forças de segurança a manutenção da oredem pública.
Quañto ao que peguntas, aqui fica:

1 . O estado de sítio é declarado quando se verifiquem ou estejam iminentes actos de força ou insurreição que ponham em causa a soberania, a independência, a integridade territorial ou a ordem constitucional democrática e não possam ser eliminados pelos meios normais previstos na Constituição e na lei . 2 . Nos tennos da declaração do estado de sítio será total ou parcialmente suspenso ou restringido o exercício de direitos, liberdades e garantias, sem prejuízo do disposto no artigo 2 . º, e estabelecida a subordinação das autoridades civis às autoridades militares ou a sua substituição por estas . 3. As forças de segurança, durante o estado de sítio, ficarão colocadas, para efeitos operacionais, sob o comando do Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas, por intermédio dos respectivos comandantes-gerais. 4. As autoridades administrativas civis continuarão no exercício das competências que, nos termos da presente lei e da declaração do estado de sítio, não tenham sido afectadas pelos poderes conferidos às autoridades militares, mas deverão em qualquer caso facultar a estas os elementos de informação que lhes forem solicitados .

1 . O estado de emergência é declarado quando se verifiquem situações de menor gravidade, nomeadamente quando se verifiquem ou ameacem verificar-se casos de calamidade pública. 2 . Na declaração do estado de emergência apenas pode ser determinada a suspensão parcial do exercício de direitos, liberdades e garantias, sem prejuízo do disposto no artigo 2.º, prevendo-se, se necessário, o reforço dos poderes das autoridades administrativas civis e o apoio às mesmas por parte das Forças Armadas .

1 . A declaração do estado de sítio ou do estado de emergência compete ao Presidente da República e depende da audição do Governo e da autorização da Assembleia da República ou, quando esta não estiver reunida nem for possível a sua reunião imediata da respectiva Comissão Permanente. 2 . Quando autorizada pela Comissão Permanente da Assembleia da República, a declaração do estado de sítio ou do estado de emergência terá de ser ratificada pelo Plenário logo que seja possível reuni-lo. 3. Nem a Assembleia da República nem a sua Comissão Permanente podem, respectivamente, autorizar e confirmar a autorização com emendas.

A declaração do estado de sítio ou do estado de emergência reveste a forma de decreto do Presidente da República e carece da referenda do Govemo.

De Diogo Rodrigues a 11 de Junho de 2008 às 20:23
Luís então é prematuro falar em colocar o pais em estado de emergência ?

Pergunto pois hoje ouvi um comentador a dizer isso, pois no fundo acho que se está a perder um principio fundamental, a liberdade....

E é estranho ainda não se ter ouvido o PM ou PR a dizer alguma coisa contra isto


abraço []
De Luís Castro a 11 de Junho de 2008 às 20:34
Pois...
o PR já devia ter dido qualquer coisa...
Ab.
LC
De pedro oliveira a 11 de Junho de 2008 às 17:39
no "post" sobre a selecção escrevi isto:
"Posso parecer demasiado nacionalista, mas invejo, no bom sentido, a malta da Europa e América Norte, tudo tem a bandeira do respectivo país.É-lhes incutido esse espirito, cá como tivemos os tais quase 50 anos da "outra senhora" teve de ser um estrangeiro a lembrar os Portugueses que também têm uma bandeira e um hino. A "esquerda caviar" sempre que se fala deste assunto arma-se em detentora da moral e bons costumes no país, e diz que estamos a caminhar para o fascismo por andarmos com a bandeira e a cantar o hino!
Sim, devem ter a bandeira no computador, no logo, onde quiserem,mas SEMPRE!"

O Ministro do interior de Espanha disse que iam ser implacaveis para com quem não deixa trabalhar os outros, referindo-se ao bloqueio dos camionistas.Por cá ,o silêncio do Governo começa a ser RUIDOSO!
Onde pára o desgoverno? em Genebra?...


De Luís Castro a 11 de Junho de 2008 às 19:39
Pedro,
não posso concordar com quem reclama o direito à greve e depois não respeita o direito de quem não a quer fazer.
Inaceitável!!!
Estou de folga, mas o que tenho visto nas televisões está irritar-me.
Se antes compreendia os problemas daquela classe, agora já perderam a minha consideração pessoal.
Ab.
LC
De Daniel Marques a 11 de Junho de 2008 às 20:54
Se tinham alguma razão. Acabaram de a perder toda.
De Luís Castro a 11 de Junho de 2008 às 22:40
Também me parece.
LC

Comentar post

Reportagem Angola - 1999



Reportagem Iraque - 2005


Reportagem Guiné - 2008


Reportagem Guiné - 2008


Reportagem Afeganistão - 2010

Livros

"Repórter de Guerra" relata alguns dos conflitos por onde andei. Iraque, Afeganistão, Angola, Cabinda, Guiné-Bissau e Timor-Leste. [Comprar]



"Por que Adoptámos Maddie" aborda o fenómeno mediático gerado à volta do desaparecimento de Madeleine McCann. [Comprar]


Sugestões para reportagem



Milhão e meio de portugueses elegem diariamente o Telejornal da RTP.
E porque o fazemos para vós, quero lançar-vos um desafio: proponho que usem o meu blogue para deixarem as vossas sugestões de reportagem.

Luís Castro
Editor Executivo
Informação - RTP

E-mail: cheiroapolvora@sapo.pt

Perfil

Jornalista desde 1988
- 8 anos em Rádio:
Rádio Lajes (Açores)
Rádio Nova (Porto)
Rádio Renascença
RDP/Antena 1

- Colaborações em Rádio:
Voz da América
Voz da Alemanha
BBC Rádio
Rádio Caracol (Colômbia)
Diversas - Brasil e na Argentina

- Colaborações Imprensa:
Expresso
Agência Lusa
Revistas diversas
Artigos de Opinião

RTP:
Editor de Política, Economia e Internacional na RTP-Porto (2001/2002)
Coordenador do "Bom-Dia Portugal" (2002/2004)
Coordenador do "Telejornal" (2004/2008)
Editor Executivo de Informação (2008/2010)

Enviado especial:
20 guerras/situações de conflito

Outras:
Formador em cursos relacionados com jornalismo de guerra e com forças especiais
Protagonista do documentário "Em nome de Allah", da televisão Iraniana
ONG "Missão Infinita" - Presidente

Obras publicadas:
"Repórter de Guerra" - autor
"Por que Adoptámos Maddie" - autor
"Curtas Letragens" - co-autor
"Os Dias de Bagdade" - colaboração
"Sonhos Que o Vento Levou" - colaboração
"10 Anos de Microcrédito" - colaboração

Pesquisar blog

Arquivos

Abril 2016

Janeiro 2016

Outubro 2015

Junho 2015

Maio 2015

Fevereiro 2013

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Agosto 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Categorias

política

economia

angola 2008

iraque 2008

sexo

afeganistão 2010

mau feitio

televisão

eua

mundo

amigo iraquiano

futebol

curiosidades

telejornal

saúde

iraque

missão infinita

religião

repórter de guerra - iraque

euro2008

guiné

humor

repórter de guerra - cabinda

acidentes

criminalidade

jornalismo

polícia

segurança

solidariedade

rtp

sociedade

terrorismo

afeganistão

caso maddie

crianças talibés

desporto

diversos

férias

futuro

justiça

todas as tags

subscrever feeds