Terça-feira, 19 de Agosto de 2008

Sexo no Verão

A ideia de que o Verão é mais propício para a actividade sexual não é um mito e até é nesta altura

que os homens com disfunção eréctil conseguem mais desempenhos, segundo o director do serviço de Urologia do Hospital de São José, em Lisboa.

«Não há nenhum fundamento fisiológico para aumentar a apetência sexual no Verão, mas se as pessoas estão de férias, com menos stress e mais tempo para comunicar, é natural que tenham mais relações sexuais», explica Vítor Vaz Santos.

Em termos puramente fisiológicos, há variabilidade das hormonas ao longo do dia, no caso do homem - que atinge o pico da testosterona de manhã - e ao longo do mês, no caso da mulher, que tem maior apetência sexual entre o 14º e o 18º dia do ciclo menstrual, altura que coincide com o seu período mais fértil.

«Enquanto o homem é como uma máquina simples que funciona ligando-se no botão on, a mulher é como um amplificador complicadíssimo, cheio de botões que estão ligados uns aos outros. Não há um ciclo para o homem ter relações sexuais: desde que esteja fisiologicamente bem, está sempre disponível e com desejo. A mulher é que não», adianta o especialista em medicina sexual.

Mas, sublinha, ao contrário do que acontece com os animais, a sexualidade humana ultrapassa largamente as questões hormonais, sendo muitos e variados os factores que contribuem para a frequência das relações.

Certo é que nas férias de Verão disparam as vendas de preservativos: em Agosto do ano passado foram comercializadas cerca de 77 mil caixas, mais 15 mil do que a média dos restantes meses.

De acordo com dados da consultora IMS Health, divulgados à agência Lusa, também a pílula do dia seguinte regista um grande aumento no mesmo período, o tradicional mês de férias para a maioria dos portugueses, com cerca de 23 mil embalagens vendidas em Agosto de 2007, mais quatro mil do que a média.

«As mulheres sentem-se, em geral, fisicamente mais atractivas, o que tem mais a ver com o contexto do que com questões hormonais. Muitas planeiam as férias já com a expectativa de ter uma aventura e saem em excursões deliberadamente sozinhas ou com pequenos grupos de amigas, levando já a contracepção planeada», relata o sexólogo Júlio Machado Vaz.

Segundo o psiquiatra, há mulheres que não estão sexualmente activas nos períodos de trabalho, mas prevêem estar durante as férias, optando, por isso, por usar a pílula do dia seguinte, e não a pílula normal, a contar com uma «curte sem consequências».

«Não acontece entre os casais, mas por exemplo no caso dos engates de praia. Há uma maior possibilidade de relacionamento na época turística e o sexo surge inesperadamente», corrobora Santinho Martins, presidente da Sociedade Portuguesa de Sexologia Clínica.

Mas se na cabeça de muitos o Verão é sinónimo de relações mais passageiras, já o Inverno é a altura escolhida pelos casais portugueses para pensar na família e conceber os filhos.

Segundo dados do Instituto Nacional de Estatística, relativos ao período entre 2003 e 2007, Setembro e Outubro foram os meses em que nasceram mais crianças, concebidas em Dezembro e Janeiro.

Abril é, pelo contrário, a altura em que nasceram menos bebés, o que significa que Julho é o mês mais «fraco» no que toca à procriação.

«Há muitos anos dizia-se que o sexo era a televisão dos pobres. No Inverno os dias são mais curtos, a temperatura baixa e os casais ficam mais tempo em casa e vão para a cama mais cedo. Se calhar não há tantas outras coisas para fazer…», sugere Júlio Machado Vaz.

Artigo LUSA

Categorias: ,
publicado por Luís Castro às 14:54
link do post | comentar
20 comentários:
De Rocket a 19 de Agosto de 2008 às 17:15

what happens in summer , stays in summer "...
o verão é um pouco dionisíaco, é quase um carnaval prolongado com um fim em setembro . não raras vezes ouvimos um "bem...não foi nada, passou-se no verão" ou "coisas de verão" ou algo assim...

Nem é à toa nem por mero acidente estatístico que a temática sexual na blogosfera se torna quase obrigatória nesta estação...

parabéns pelo blog



De Luís Castro a 19 de Agosto de 2008 às 18:58
Rocket,
e no Inverno, quantas recordações nos transportam para o verão anterior...
Pelo menos era assim antes de casar...
LC
De Sónia Pessoa a 20 de Agosto de 2008 às 13:03
Esse remate no fim ficou-te bem!!! rrsss...
De Luís Castro a 20 de Agosto de 2008 às 22:23
Pois...
Bjs
LC
De doceu a 19 de Agosto de 2008 às 17:25
eu concordo em pleno com o que sugere Júlio machado Vaz .... eu adoro o inverno estar em casa quentinha de pijama e meias e robe e um cobertor... no sofá a ver TV a ouvir os barulhos da lareira.... bem é tão bom e se se tiver uma boa companhia sabe ainda melhor e a televisão acaba mesmo por dar lugar a outras coisas......
eu sei q quase ninguém concorda comigo pq todos gostam mais de calor e verão mas a magia do inverno do frio da neve as cores as arvores das videiras aqui no douro.... o rio fica lindo no inverno....
e a magia acontece e os olhares tb se trocam ñ é só no verão... podemos Antão dizer q no verão são só paixões q passam depois do sexo e no inverno duram mais pq ta frio para se sair da cama,,... hehehehe jokas ...sara...
De Luís Castro a 19 de Agosto de 2008 às 18:59
Doceu,
e é tão bom ouvir a chuva a cair lá fora...
Bjs
LC
De Filipa Jardim a 19 de Agosto de 2008 às 22:13
Eu adoro estas teorias...de Agosto!
E essa coisa do pico da testosterona de manhã é uma revelação bombástica.Melhor assim...vá que o pico da tstosterona era sempre à hora do jantar,a meio do pequeno almoço, coincidindo com o trânsito...pois e no Inverno não há tantas coisas para fazer...mas ao contrário há muito mais noticias :)
A mulher é de facto uma máquina complicadissima...o Júlio Machado Vaz lá saberá. Em todo o caso aqui fica uma sugestão em caso de algum pico de testosterona agudo: ben-u-ron, chocolates, flores e miminhos. Só ben-u-ron é que capaz de não dar muito resultado...é fraquinho e as" dores de cabeça" não cedem. Mas com Ferrero Rocher é tiro e queda!
As farmácias já se deviam ter lembrado disso...Ferrero Rocher para as dores de cabeça, milagroso!

Bj

Filipa
De Luís Castro a 20 de Agosto de 2008 às 02:55
Estamos sempre a aprender...
E também sou adepto das rosas...
Bjs
LC
De vitor.f a 26 de Agosto de 2008 às 15:51
toda a gente fala de doçes, mimoos e ate de comprimidos para a dor de cabeça, masss...
entao e um bom vinho a lareira no inverno????
beijos
De Luís Castro a 26 de Agosto de 2008 às 22:23
Vítor,
como sabes, não bebo, mas gosto da lareira...
Ab.
LC
De Hernani a 19 de Agosto de 2008 às 22:51
Ó Amigo. Ah! Ah! Ah! Ah!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
De Luís Castro a 20 de Agosto de 2008 às 02:56
Amigo,
são eles que o dizem...
Ab.
LC
De umcasoraro a 20 de Agosto de 2008 às 10:01
Uma vez li uma frase quanto à diferente percepção do sexo consoante o género:
" O homem para estar bem precisa de sexo, a mulher precisa de estar bem para o sexo!"
Sei que há sempre excepções em ambos os casos, mas pelo que conheço a frase é muito verdadeira.
De Sónia Pessoa a 20 de Agosto de 2008 às 11:10
Salvo excepções, que as há sempre, é completamente verdade esssa afirmação. Onde está o segredo do sucesso?... encontrar o equilibrio dessas duas formas de estar, ou seja, às vezes uma grande dor de cabeça!!!
De Luís Castro a 20 de Agosto de 2008 às 22:11
Visto.
LC
De Luís Castro a 20 de Agosto de 2008 às 22:09
Concordo em absoluto.
LC
De pedro oliveira a 20 de Agosto de 2008 às 12:09
Isso até pode ser tudo verdade,mas não há nada mais irresistivel que um convite da nossa cara metade para uma escapadinha à hora do almoço...!
De Luís Castro a 20 de Agosto de 2008 às 22:22
Pois,
mas como eu almoço na cantina da RTP, não sei o que é isso... rs...rs...rs...
Ab.
LC
De Daniel Marques a 20 de Agosto de 2008 às 23:56
Luís, não sei se recebeste o meu mail. De qualquer forma, não queria que fosses de viagem sem antes fazer-te chegar as minhas palavras. É que reparei que a coordenação de hoje não foi tua e isso pode ser um indicio que a tua saída esteja para breve.

Era só para te dizer que já terminei de ler o teu livro há uns dias, e que agora anda a percorrer outras mãos porque mais gente da casa o quer ler. No entanto, pretendo que regresses a Portugal, quanto mais não seja para autografares o meu exemplar :P

Desde que aqui falaste da primeira vez em ir para outras paragens, veio-me logo à cabeça para onde poderias ir, mas não irei revelar.

Não deixes que aquela lucidez que te salvou em bastantes momentos desvaneça. E não te esqueças de passar por uma loja de recordações, que é como quem diz, mais um capitulo do Repórter de Guerra Vol.2 para que fique registada mais essa aventura.

Um abraço daqueles.
De Luís Castro a 21 de Agosto de 2008 às 18:41
Olá Daniel,
tenho ainda dois livros para escrever antes do Repórter de Guerra, parte II.
A idade e a experiência ensinam muito, mas não tudo.
Vou para paragens calmas. Verás que sim.
Depois ligo-te.
Ab.
LC

Comentar post

Reportagem Angola - 1999



Reportagem Iraque - 2005


Reportagem Guiné - 2008


Reportagem Guiné - 2008


Reportagem Afeganistão - 2010

Livros

"Repórter de Guerra" relata alguns dos conflitos por onde andei. Iraque, Afeganistão, Angola, Cabinda, Guiné-Bissau e Timor-Leste. [Comprar]



"Por que Adoptámos Maddie" aborda o fenómeno mediático gerado à volta do desaparecimento de Madeleine McCann. [Comprar]


Sugestões para reportagem



Milhão e meio de portugueses elegem diariamente o Telejornal da RTP.
E porque o fazemos para vós, quero lançar-vos um desafio: proponho que usem o meu blogue para deixarem as vossas sugestões de reportagem.

Luís Castro
Editor Executivo
Informação - RTP

E-mail: cheiroapolvora@sapo.pt

Perfil

Jornalista desde 1988
- 8 anos em Rádio:
Rádio Lajes (Açores)
Rádio Nova (Porto)
Rádio Renascença
RDP/Antena 1

- Colaborações em Rádio:
Voz da América
Voz da Alemanha
BBC Rádio
Rádio Caracol (Colômbia)
Diversas - Brasil e na Argentina

- Colaborações Imprensa:
Expresso
Agência Lusa
Revistas diversas
Artigos de Opinião

RTP:
Editor de Política, Economia e Internacional na RTP-Porto (2001/2002)
Coordenador do "Bom-Dia Portugal" (2002/2004)
Coordenador do "Telejornal" (2004/2008)
Editor Executivo de Informação (2008/2010)

Enviado especial:
20 guerras/situações de conflito

Outras:
Formador em cursos relacionados com jornalismo de guerra e com forças especiais
Protagonista do documentário "Em nome de Allah", da televisão Iraniana
ONG "Missão Infinita" - Presidente

Obras publicadas:
"Repórter de Guerra" - autor
"Por que Adoptámos Maddie" - autor
"Curtas Letragens" - co-autor
"Os Dias de Bagdade" - colaboração
"Sonhos Que o Vento Levou" - colaboração
"10 Anos de Microcrédito" - colaboração

Pesquisar blog

Arquivos

Abril 2016

Janeiro 2016

Outubro 2015

Junho 2015

Maio 2015

Fevereiro 2013

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Agosto 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Categorias

política

economia

angola 2008

iraque 2008

sexo

afeganistão 2010

mau feitio

televisão

eua

mundo

amigo iraquiano

futebol

curiosidades

telejornal

saúde

iraque

missão infinita

religião

repórter de guerra - iraque

euro2008

guiné

humor

repórter de guerra - cabinda

acidentes

criminalidade

jornalismo

polícia

segurança

solidariedade

rtp

sociedade

terrorismo

afeganistão

caso maddie

crianças talibés

desporto

diversos

férias

futuro

justiça

todas as tags

subscrever feeds