Quinta-feira, 27 de Março de 2008

“Na cama com” os Americanos

Continuo engajado com os americanos.

Deixo-vos a segunda parte do relato iniciado no Post anterior e relativo ao que me aconteceu em 2003, quando fui preso a cem quilómetros de Bagdade.

Espero dar notícias frescas brevemente.

Luís Castro


 

 

  

(…)

   Não há ninguém na fronteira, só um checkpoint britânico já dentro do Iraque. Deixam-nos seguir apenas com um “boa sorte e cuidado que há minas fora da estrada!”. O GPS aponta-nos para Bassorá. A estrada está deserta. Mais á frente, à entrada da cidade,  

depara-se-nos grande movimentação militar e combates a poucas centenas de metros. Os fuzileiros britânicos aconselham-nos a não arriscar. Como ainda não fizemos imagens, esta é uma boa oportunidade para começar a recolher material. O céu está manchado de negro devido aos combates e ao fumo que sai dos poços de petróleo incendiados. Um iraquiano agarra-me pelo braço e aponta para a matrícula do nosso jipe. Não o percebo, mas ele insiste:

   - Pum, pum… jornalistas… ontem… jipe Kuweit.

   Ok. Já percebi. Refere-se aos jornalistas que foram atacados. Uns conseguiram fugir, outros morreram e há quem esteja desaparecido. Pelos vistos foi aqui mesmo.

 

(…)

Contornamos os combates e seguimos por uma estrada que atravessa vários quartéis do exército de Saddam. Estão abandonados. Para trás ficaram dezenas de tanques T-55, de fabrico chinês, entrincheirados e prontos para um frente-a-frente que nunca chegou a acontecer. Estamos a um quilómetro de Bassorá e são perfeitamente visíveis os combates que os helicópteros e os aviões de ataque ao solo A-10 travam com os que ainda resistem. Tomamos a direcção oposta e seguimos para Norte.

 

(…)

Cai a noite e um soldado americano explica-nos que não há tempo para paragens. Vamos ter que conduzir de luzes apagadas. Estamos na tal coluna que Saddam promete cortar às postas. Um capitão confidencia-me que o “comboio” militar se alonga até Kuweit city, numa extensão de quinhentos quilómetros e que vem em andamento há vinte duas horas. Fabuloso. Se não estivesse aqui, não acreditaria. A viagem coincide com uma terrível tempestade. É um pó fino que se levanta do chão, impede a visibilidade e entope a respiração. O segundo dia é passado já na linha da frente e faço uma intervenção em directo no Telejornal. Jamais imaginava o que iria passar-se nos dias seguintes.

 

(…)

 

publicado por Luís Castro às 10:00
link do post | comentar
18 comentários:
De Raquel Silva a 27 de Março de 2008 às 10:11
Nós também esperamos receber notícias frescas brevemente. Como está a correr a missão, o que já descobriram...
Afinal é a 3ª parte que é bem pior... quando tudo acontece :S
Parece que está tudo a correr bem... não? É sempre bom sinal pôr o post às 10h em ponto... :D
Bjs e continuação de boa aventura
Raquel
De Luís Castro a 30 de Março de 2008 às 13:25
Bjs Raquel.
Já cá estou.
LC
De MHMC a 27 de Março de 2008 às 12:11

Se ler o teu livro me foi particularmente difícil, reler partes do teu livro, contigo tão longe, enfim... Mas de uma coisa tenho a certeza, vais voltar com notícias para dar a conhecer ao mundo, a visão dos vários ângulos desse conflito, que parece não terminar... Cá VOS aguardamos... As cerejeiras por aqui estão carregadas de flor da cor da PAZ... BJS
De Luís Castro a 30 de Março de 2008 às 13:28
Mana,
guarda cerejas para mim!
Vamos aí no próximo fds.
Bjs.
Já cheguei.
LC
De DerleiLisandro a 28 de Março de 2008 às 00:10
olá luís:
Pelo que vejo nas fotos as coisas estão a correr pelo melhor e espero que continuem assim.
Pelo que tenho visto a sul está a começar a ficar complicado.
tens ideia ou objectivo de lá ir?
Abraço
Idálio
De Luís Castro a 30 de Março de 2008 às 13:31
Idálio,
não irei para Sul.
Ir a Sadr city já foi uma aventura e tanto.
Para descer, teria que arranjar segurança e uma simples ida do aeroporto para a cidade chega a custar 25 mil usd.
Já só tenho cinco mil...
Abraço
LC
De filipelobo a 28 de Março de 2008 às 01:08
Olá Luís,
Espero que as coisas estejam a correr bem e que as fresquinhas estejam quase a chegar.

Um abraço e que para além dos teus companheiros de viagem que os anjos te guardem.

Filipe

E, cuidadinho...
De Luís Castro a 30 de Março de 2008 às 13:33
Obrigado, Filipe.
E acredita: algué nos guardou...
Abraço
LC
De Nuno Maia a 28 de Março de 2008 às 02:57
Acho que “Na cama com” os Americanos não foi uma escolha para titulo muito feliz... pessoas burras e energúmenas como eu que lêem isso de repente ficam com a ideia errada.
De Luís Castro a 30 de Março de 2008 às 13:35
Nuno,
foi a tradução econtrada pelos espanhóis em 2003, durante a entrada das tropas americanas no Iraque.
"Embedded", como sabes, significa ir dentro.
E quando isso acontece, o jornalista tem que saber distinguir os papéis. Eles são militares, nós, apesar da farda, não somos.
Abraço
LC
De J.C. a 28 de Março de 2008 às 04:09
pelas ultimas noticias parece que a situação na capital se agravou. Cuidado por aí ...

jmack
De Luís Castro a 30 de Março de 2008 às 13:36
jmack,
pois não tem estado. E não está.
Abraço
LC
De fcg a 28 de Março de 2008 às 04:20
Continua, Luís! engajado com os americanos - eles são parte importante no universo em que temoves - e comprometido com a verdade - que faz o grande jornalista.
... e não deixes nunca de cuidar da segurança nesse ambiente de conflito, para que o reporter de guerra traga até nós a informação e o conhecimento que só pode adquirir quem «experimenta» os factos.
Um abraço
De Luís Castro a 30 de Março de 2008 às 13:40
FCG,
para se ter uma boa "estória" é preciso voltar para poder contar.
E já voltámos.
Até já.
LC
De Paulo a 28 de Março de 2008 às 09:58
Olá Luís Castro.
Queria apenas deixar uma mensagem de incentivo para que continues a fazer um excelente trabalho. Tudo a correr pelo melhor!
De Luís Castro a 30 de Março de 2008 às 13:42
Obrigado, Paulo.
E olha que essas mensagens são bem importantes quando se está nestes "buracos".
Abraço
LC
De João Pedro Fonseca a 30 de Março de 2008 às 02:33
Grande abraço Luís.

Gostei, muito, de te ler... vi algumas peças na televisão.
Mas é como dizes, esta experiência de interagir com as pessoas é muito interessante.
Tens mesmo razão, todos os jornalistas deviam ter um canal privilegiado para interagir com quem recebe as nossas notícias!

Abração!

Temos de beber um copo um dia destes!
De Luís Castro a 30 de Março de 2008 às 16:42
JPF,
concordo e vamos lá preparar essa noite de copos.
Já não nos encontramos há muito tempo e há muito para pôr em dia.
Olha, e fazes falta aqui, sabias?
Nunca perdas o fio de terra à reportagem.
Abraço
LC

Comentar post

Reportagem Angola - 1999



Reportagem Iraque - 2005


Reportagem Guiné - 2008


Reportagem Guiné - 2008


Reportagem Afeganistão - 2010

Livros

"Repórter de Guerra" relata alguns dos conflitos por onde andei. Iraque, Afeganistão, Angola, Cabinda, Guiné-Bissau e Timor-Leste. [Comprar]



"Por que Adoptámos Maddie" aborda o fenómeno mediático gerado à volta do desaparecimento de Madeleine McCann. [Comprar]


Sugestões para reportagem



Milhão e meio de portugueses elegem diariamente o Telejornal da RTP.
E porque o fazemos para vós, quero lançar-vos um desafio: proponho que usem o meu blogue para deixarem as vossas sugestões de reportagem.

Luís Castro
Editor Executivo
Informação - RTP

E-mail: cheiroapolvora@sapo.pt

Perfil

Jornalista desde 1988
- 8 anos em Rádio:
Rádio Lajes (Açores)
Rádio Nova (Porto)
Rádio Renascença
RDP/Antena 1

- Colaborações em Rádio:
Voz da América
Voz da Alemanha
BBC Rádio
Rádio Caracol (Colômbia)
Diversas - Brasil e na Argentina

- Colaborações Imprensa:
Expresso
Agência Lusa
Revistas diversas
Artigos de Opinião

RTP:
Editor de Política, Economia e Internacional na RTP-Porto (2001/2002)
Coordenador do "Bom-Dia Portugal" (2002/2004)
Coordenador do "Telejornal" (2004/2008)
Editor Executivo de Informação (2008/2010)

Enviado especial:
20 guerras/situações de conflito

Outras:
Formador em cursos relacionados com jornalismo de guerra e com forças especiais
Protagonista do documentário "Em nome de Allah", da televisão Iraniana
ONG "Missão Infinita" - Presidente

Obras publicadas:
"Repórter de Guerra" - autor
"Por que Adoptámos Maddie" - autor
"Curtas Letragens" - co-autor
"Os Dias de Bagdade" - colaboração
"Sonhos Que o Vento Levou" - colaboração
"10 Anos de Microcrédito" - colaboração

Pesquisar blog

Arquivos

Abril 2016

Janeiro 2016

Outubro 2015

Junho 2015

Maio 2015

Fevereiro 2013

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Agosto 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Categorias

política

economia

angola 2008

iraque 2008

sexo

afeganistão 2010

mau feitio

televisão

eua

mundo

amigo iraquiano

futebol

curiosidades

telejornal

saúde

iraque

missão infinita

religião

repórter de guerra - iraque

euro2008

guiné

humor

repórter de guerra - cabinda

acidentes

criminalidade

jornalismo

polícia

segurança

solidariedade

rtp

sociedade

terrorismo

afeganistão

caso maddie

crianças talibés

desporto

diversos

férias

futuro

justiça

todas as tags

subscrever feeds