Quarta-feira, 12 de Novembro de 2008

Impressionante!

 Menina inglesa de 13 anos ganha o direito

 de morrer.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

http://ww1.rtp.pt/noticias/index.php?headline=98&visual=25&article=372383&tema=37

 

Fernanda Serrano quebrou o silêncio 

sobre a sua luta contra o cancro.

 

http://ww1.rtp.pt/noticias/index.php?headline=98&visual=25&article=372384&tema=37

 

Luís Castro

Categorias: ,
publicado por Luís Castro às 01:27
link do post | comentar
32 comentários:
De umcasoraro a 12 de Novembro de 2008 às 11:12
Olá Luís,
Estes temas são muito mais complexos do que parecem, uma criança que sofre o que esta criança já sofreu e que passa por esta vida rodeada de medicamentos, operações, recuperações, tratamentos e tantas idas e vindas de hospitais provavelmente não terá amaturidade de uma criança de 13 anos, mas sim de uma pessoa adulta.
Ainda por cima, o transplante só lhe vai dar mais algum tempo de vida, não a vai salvar, nem curar...
Para se poder entender estas coisas tem que se passar por elas.
Quanto à Fernanda Serrano é uma história de luta e de vontade como tantas outras que há pelo país fora.
Espero que sirva mais para motivar quem passa pelo mesmo do que para vender revistas!!
Um beijo,
Ju
De Luís Castro a 12 de Novembro de 2008 às 23:04
Ju,
também espero que sim, embora não acredite que não haverá quem se aproveite.
Sobre a menina, sou dos que tentam compreender o que lhe irá na alma.
Ab.
LC
De Ilda a 12 de Novembro de 2008 às 14:40
Olá Luís!
Sobre a menina é preciso ter-se muita lucidez e coragem para tomar esta decisão e vindo ela de uma criança é impressionante!
Quanto à Fernanda Serrano é preciso que muitas mais pessoas "mediáticas" tomem esta atitude para que não continuem pessoas a morrer de cancro por medo de encarar a doença. O medo é o principal aliado desta terrível doença porque muitos deles seriam curáveis se detectados a tempo. A minha única irmã faleceu há 12 anos com 45 de idade porque não conseguiu pôr no prato da balança o medo ou a verdade e ainda ir a tempo de se curar. Quando foi ao médico e empurrada por uma amiga da família a quem ela acabou por contar (guardou segredo de todos até não ser possível mais) foi tarde demais. Faleceu cinco meses depois de cancro da mama.
Todas estas intervenções nunca serão demais e por isso peço a todas as figuras públicas que tenham a mesma coragem que a Fernanda Serrano, porque quem sabe, não poderão a ajudara salvar umas quantas vidas. Até só uma que fosse já era estupendo.
Um beijo.
De Luís Castro a 12 de Novembro de 2008 às 23:10
Isso: coragem!
De nada serve esconder.
Beijos e obrigado pelo seu testemunho.
LC
De patti a 12 de Novembro de 2008 às 15:24
Olá Luís,

Não consigo ver a reportagaem da menina.
Qt à da Fernanda, mulher corajosa que como figura pública pode fazer chegar uma mensagem a todas as mulheres que não fazem o rastreio mensal.
De Luís Castro a 12 de Novembro de 2008 às 23:11
Fui avisado de que haverá um problema com o link.
~Vou ver.
Obrigado.
Bjs
LC
De Sónia Pessoa a 12 de Novembro de 2008 às 19:36
Olá Luis,

em relação à menina ao mesmo tempo que acho admirável tamanha coragem, faço uma pergunta... terá uma criança, porque ela não é mais do que isso, uma criança, o descernimento necessário para tomar esta decisão? Entende-se que esteja cansada de sofrer e queira pôr termo a isso, mas não lutar?Se bem entendi, o transplante pode ter ou não sucesso, na dúvida, não vale a pena lutar?
Bjo
De Luís Castro a 12 de Novembro de 2008 às 23:19
Sónia,
13 anos de sofrimento que deverá corresponder a duas ou três vez mais em maturidade, calculo.
Bjs
LC
De Sónia Pessoa a 12 de Novembro de 2008 às 23:51
É possivel, mas continuo como mãe a achar que não admitiria desistir e, possivelmente, estaria até a ser egoista, e, possivelmente (passo a redundância), acabaria até por aceitar respeitando a vontade da minha filha... não sei, é uma situação muito complicada...
De Luís Castro a 13 de Novembro de 2008 às 15:11
Talvez essa seja a atitude dos pais: lutar pela dignidade da filha...
Não sei.
Bjs
LC
De joao luis silva a 12 de Novembro de 2008 às 21:09
Olá luis:
Luta-se para viver e luta-se para morrer,e devemos deixar que cada um lute á sua maneira .
De Luís Castro a 12 de Novembro de 2008 às 23:24
Muito bem dito e resumido, sim senhor!
Concordo em absoluto.
Ab.
LC
De MEBento a 12 de Novembro de 2008 às 23:28

Luís
Boa noite. Confesso que esta notícia da jovem de 13 anos, decidida a baixar os braços, a não lutar mais, a não sofrer mais, deu cabo do meu dia. Via-a na Televisão e olho as suas fotos na Net ou nos jornais e, se por um lado a compreendo, por outro -embora não tenha o direito de a julgar- acho, penso, talvez devesse lutar até ao fim das possibilidades. Quem já sofreu tanto deveria "programar-se" para dar outra oportunidade à vida. Sinto uma tristeza tão grande que olho para a foto da mãe e da filha e, confesso, fico, sem capacidade de raciocínio. Que Deus a ajude, seja lá no que for e como for.
Um abraço
MEB

* Sobre a Fernanda Serrano acho que a sua luta é um exemplo positivo e ajudará muitas mulheres que enfrentam idêntico problema e comungam das mesmas esperanças.
MEB
De Luís Castro a 13 de Novembro de 2008 às 15:09
BGento,
a notícia também foi um choque para mim.
Mas depois tentei colocar-me no lugar dela e dos pais e consegui encontrar alguma recionalidade na decisão...
Ab.
LC
De MEBento a 12 de Novembro de 2008 às 23:33

Luís

Desculpe o regresso mas esqueci-me de partilhar uma coisa que me entontece. Como é possível adultos darem a uma criança um passaporte válido, sustentado judicialmente, para a morte "limpa" de uma jovem de 13 anos?
MEB
De Luís Castro a 13 de Novembro de 2008 às 15:09
Eles estão na posse de dados que desconhecemos.
Talvez por isso, não sei...
Ab.
LC
De Filipa Jardim a 13 de Novembro de 2008 às 11:31
Luís,

O pai de um amigo meu foi transplantado ao coração. Viveu depois disso 16 anos de uma vida normal.A única restrição que tinha era ter que tomar a medicação para que não se desse a rejeição do órgão transplantado.
Fez uma vida normal, Conduzia, passava férias, estava com a família e os amigos.
Como ele próprio dizia, nunca se tinha sentido tão bem, como depois do transplante.

Bjs,

Filipa
De Luís Castro a 13 de Novembro de 2008 às 15:25
Sim,
mas ao que parece este caso é diferente.
Não conhecemos todo o processo clínico.
Bjs
LC
De * * Grilinha * * a 13 de Novembro de 2008 às 12:34
Luis

Estes 2 casos tocam-me particularmente devido ao meu processo de cirurgias e novas enfermidades ao longo dos últimos 10 anos.

Tenho acompanhado nos hospitais civis, situações idênticas às da menina e da Fernanda Serrano e cada caso é um caso, dependendo de quem as acompanha e da familia.

Sei o que elas sentiram na hora em que o médico diz:
- A medicina nada mais pode fazer. Só nos resta esperar pela resposta do organismo.

Há momentos em que mesmo a pessoa mais optimista se vai abaixo e não aguenta mais o sofrimento, fisico e psicologico.

Desejo que a familia da menina a ajude a tomar a opção certa e à Fernanda Serrano desejo que continue a pensar positivo e que se apoie na família maravilhosa que tem.

É obvio que a Fernanda é uma figura pública e muito querida dos Portugueses e isso faz com que alguma imprensa (menos sensivel) se aproveite da situação de sofrimento para ganhar dinheiro. Trabalhei com a imprensa escrita durante 14 anos "Electroliber" e sei que a especulação e o escandalo vende muito.

beijinhos
De Luís Castro a 13 de Novembro de 2008 às 15:32
Bjs.
LC
De Ana Paula Albuquerque Almeida a 13 de Novembro de 2008 às 13:46
Na qualidade de mãe de uma criança de 11 anos, há uma certeza que tenho. Seria eu a decidir e, num caso destes, pela solução que os médicos me apresentassem. Enquanto não se esgotassem todas as hipóteses, não permitiria que o meu filho abdicasse da vida dele. E não estou a ser egoísta, tenho é a certeza de que por muita maturidade que ele ou outras crianças tenham, estão em crescimento a todos os níveis, nomeadamente o da consciência. Terá esta menina consciência de que a morte é definitiva? Terá consciência de que deve arriscar, nem que seja sofrendo um pouco mais para viver?
Sou a favor da eutanásia em casos de doença terminal e, como tal, defendo a liberdade de escolha. Não é o caso desta menina. Ainda há esperança para ela, pelo que louvo a atitude dos médicos que não mais fizeram do que exercer uma das funções fundamentais da profissão.
De Luís Castro a 13 de Novembro de 2008 às 15:34
Também concordo com a eutanásia em fases terminais.
Bjs
LC

Comentar post

Reportagem Angola - 1999



Reportagem Iraque - 2005


Reportagem Guiné - 2008


Reportagem Guiné - 2008


Reportagem Afeganistão - 2010

Livros

"Repórter de Guerra" relata alguns dos conflitos por onde andei. Iraque, Afeganistão, Angola, Cabinda, Guiné-Bissau e Timor-Leste. [Comprar]



"Por que Adoptámos Maddie" aborda o fenómeno mediático gerado à volta do desaparecimento de Madeleine McCann. [Comprar]


Sugestões para reportagem



Milhão e meio de portugueses elegem diariamente o Telejornal da RTP.
E porque o fazemos para vós, quero lançar-vos um desafio: proponho que usem o meu blogue para deixarem as vossas sugestões de reportagem.

Luís Castro
Editor Executivo
Informação - RTP

E-mail: cheiroapolvora@sapo.pt

Perfil

Jornalista desde 1988
- 8 anos em Rádio:
Rádio Lajes (Açores)
Rádio Nova (Porto)
Rádio Renascença
RDP/Antena 1

- Colaborações em Rádio:
Voz da América
Voz da Alemanha
BBC Rádio
Rádio Caracol (Colômbia)
Diversas - Brasil e na Argentina

- Colaborações Imprensa:
Expresso
Agência Lusa
Revistas diversas
Artigos de Opinião

RTP:
Editor de Política, Economia e Internacional na RTP-Porto (2001/2002)
Coordenador do "Bom-Dia Portugal" (2002/2004)
Coordenador do "Telejornal" (2004/2008)
Editor Executivo de Informação (2008/2010)

Enviado especial:
20 guerras/situações de conflito

Outras:
Formador em cursos relacionados com jornalismo de guerra e com forças especiais
Protagonista do documentário "Em nome de Allah", da televisão Iraniana
ONG "Missão Infinita" - Presidente

Obras publicadas:
"Repórter de Guerra" - autor
"Por que Adoptámos Maddie" - autor
"Curtas Letragens" - co-autor
"Os Dias de Bagdade" - colaboração
"Sonhos Que o Vento Levou" - colaboração
"10 Anos de Microcrédito" - colaboração

Pesquisar blog

Arquivos

Abril 2016

Janeiro 2016

Outubro 2015

Junho 2015

Maio 2015

Fevereiro 2013

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Agosto 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Categorias

política

economia

angola 2008

iraque 2008

sexo

afeganistão 2010

mau feitio

televisão

eua

mundo

amigo iraquiano

futebol

curiosidades

telejornal

saúde

iraque

missão infinita

religião

repórter de guerra - iraque

euro2008

guiné

humor

repórter de guerra - cabinda

acidentes

criminalidade

jornalismo

polícia

segurança

solidariedade

rtp

sociedade

terrorismo

afeganistão

caso maddie

crianças talibés

desporto

diversos

férias

futuro

justiça

todas as tags

subscrever feeds