Quinta-feira, 4 de Dezembro de 2008

E se for em Portugal?

 Acredito que um dia Lisboa será visada.

 

A verdade é que Portugal tem assumido uma exposição internacional que o coloca em rota de colisão com os terroristas.

 

 

http://ww1.rtp.pt/noticias/index.php?headline=98&visual=25&article=376114&tema=31

 

Será que estamos preparados para um ataque terrorista?

Será que os Serviços de Informação do Estado estão dotados de meios tecnicos e humanos para controlar pequenos grupos que têm germinado e que poderão servir de base de apoio para um atentado?

 

Luís Castro

publicado por Luís Castro às 19:19
link do post | comentar
35 comentários:
De Maria Araújo a 4 de Dezembro de 2008 às 20:47
Estive a ver o seu vídeo... Sinceramente, penso que nenhum governo está preparado...precisamente por serem pequenos grupos que estão em todo o lado e em nenhures.
Vi também a reporttagem de ontem à noite, sobre "negócio de armas", também por pequenos grupos.
Elogio a coragem de quem fez a reportagem e não deixei de "admirar", também, a coragem do jovem entrevistado.
Falou bem daquilo que conhece, e da verdade encoberta...
Mas gostaria de não pensar nisso.
Gostaria de "ver" um mundo mais belo e sem violência. Tenhamos esperança, e que essas probabilidades até 2013, não passem mesmo disso.
beijinho
De Luís Castro a 4 de Dezembro de 2008 às 20:53
Ningué está preparado mas é possível evitar (ou pelo menos retardar).
Apesar do que aconteceu, até ao momento, os ingleses já evitaram dezenas de outros atentados, uma vez que apostam - e muito - nos Serviços Secretos e na recolha de informações através de elementos informadores.
Bjs
LC
De Virgínia a 4 de Dezembro de 2008 às 21:37
Boa noite Luis
Nenhum País está preparado para um ataque terrorista, acontecem como os acidentes rodoviários... há muita prevenção mas, não acabam. Quanto a Portugal (Lisboa) ter um ataque, eu não acredito. Temos muitas 'células' estrangeiras a viver no nosso doce País e ninguém bombardeia a sua própria 'casa'. Apaesar de Portugal se expor a nível internacional, ninguém o leva a sério... não passa de uma pobre província espanhola.
Parabéns pela reportagem de ontem na RTP.
Beijos
De Luís Castro a 4 de Dezembro de 2008 às 21:50
Não estou tão seguro disso.
espero que tenha razão.
Bjs
LC
De viriato a 6 de Dezembro de 2008 às 00:03
uma província espanhola??
ó minha cara, emigre para lá se faz favor!!
apátridas dessa categoria não fazem cá falta e faz favor leve o resto da bastardada toda consigo,
se o Grande Infante pensasse como a "senhora" ia à pesca à ESPERA DE VER O QUE VINHA!!
tenha juízo!! e pense se no seu dia a dia faz alguma coisa que a eleve a si como Portuguesa ou se simplesmente fica à espera do seu ordenadozinho e o resto que se lixe!!! quem vier q feche a porta **+%%$$**
De Luís Castro a 6 de Dezembro de 2008 às 17:18
Visto.
LC
De Virgínia a 7 de Dezembro de 2008 às 20:14
Olá Luís
Desculpe aproveitar para responder aqui ao Exmo.Senhor Viriato. Eu não preciso emigrar para Espanha. Os Espanhois já estão cá a comprar Portugal aos retalhos (ultima caso o Alentejo). A minha conduta, como portuguesa, é a mais elevada. Os nosso políticos e a nossa política é que nos rebaixam perante o resto do mundo! Abra os olhos!!
Luís, mais uma vez desculpe, não volto a aproveitar o seu maravilhoso blog para me defender.
Um beijo
De Luís Castro a 8 de Dezembro de 2008 às 22:38
É para isso mesmo.
O Blog é de todos e é também para entrarem em conversação.
Responda, tal como outros também o fazem.
Bjs
LC
De CN a 4 de Dezembro de 2008 às 21:49
Olá Luís.
Claro que Portugal poderá ser visado num ataque terrorista! Além de várias razões, é fácil fazê-lo cá. Porque não o fizeram ainda? Porque não quiseram.

Também não tem havido grande interesse nisso- Portugal tem pouca expressão no Mundo e proporciona um "refúgio" maravilhoso às mais variadas espécies de criminosos/terroristas.

Não! PORTUGAL não está dotado de meios técnicos e humanos para fazer qualquer controle (nem legislação ou mentalidade). Temos tido sorte e tem havido sempre alguém que "esbarra" no criminoso/terrosista.... Acredite no que digo.

Outra coisa; para haver um controlo mais apertado, levantar-se-iam logo alguns "iluminados" a acusar o Governo de "ditadura" e da perda de direitos e afins...
(ex: vejam-se as opiniões sobre a colocação de câmaras de filmar nas ruas...- nós é que somos espertos! Os burros dos Ingleses não sabem o que fazem...)

Não estamos preparados para qualquer ataque terrorista, como não estamos preparados para a queda de um avião sobre a cidade de Lisboa, etc.. (grandes catástrofes).

É a minha opinião- vale o que vale.

Um abraço
CN
De Luís Castro a 4 de Dezembro de 2008 às 22:01
Carlos,
olhe que Portugal ganhou importância e notoriedade (positiva e negativa) desde que passou a integrar missões de Apoio à Paz no mundo árabe.
E quando por lá passo, oiço muitas opiniões sobre Portugal e a forma como consideram os nossos soldados.
Acham que são invasores.
Isso preocupa-me.
Muito!
Lc
De Ana Paula Albuquerque Almeida a 5 de Dezembro de 2008 às 14:41
Boa tarde Luís,

Apesar dessa notoriedade, Portugal ainda não representa uma verdadeira ameaça. A posição do nosso país não é muito marcante a esse ponto. Mas esta é a forma como nós pensamos e que consideramos normal. Contudo, se conseguirmos pensar como um terrorista (já te apercebeste de que não sou, embora às vezes me apetecesse, mas ficar-me-ia por uns murros), apesar de os soldados portugueses estarem apenas envolvidos em missões de paz e ajuda humanitária, tudo muda de figura.
Independentemente do cariz da missão que os soldados estão a desempenhar, não invalida que alguém possa lembrar-se, um dia, de fazer-nos"pagar" por isso, porque lá está, somos vistos como invasores. A nossa ajuda não agrada a toda a gente!
Não deixo de dormir a pensar no assunto mas quando me lembro (agora foste tu que me lembraste) preocupo-me porque não estamos minimamente preparados e deveríamos estar, pelo menos conscientes da possibilidade de tal acontecer.
O fanatismo torna tudo possível e, como já deu para perceber, o factor surpresa é um dos "princípios basilares" do terrorismo.

Bjs
De Luís Castro a 5 de Dezembro de 2008 às 22:44
Mas Lisboa está na rota dos apetites das redes terroristas.
Por enquanto, ao que dizem! - mais por passagem.
Mas até quando?
Ab.
LC
De Ana Paula Albuquerque Almeida a 6 de Dezembro de 2008 às 00:30
Se a pergunta é mesmo para mim, não sei responder-te ou será que não acreditas que não sou mesmo terrorista? Já sei. Pensas que ando disfarçada de loira?!
(É só mais um momento de boa disposição)

Bjs.
De Luís Castro a 6 de Dezembro de 2008 às 17:20
Nunca vi um/uma terrorista loiro/a...
rs...rs...rs...
Bjs e bom fds
LC
De POESIA-NO-POPULAR a 4 de Dezembro de 2008 às 22:09
Amigo Luis
O ataque terrorista ainda não aconteceu porque não estamos preparados, quando estiver-mos acontece no dia seguinte.
Enquanto o Mundo se reger por este sistema capitalista, vai continuar a haver terrorismo toxico-dependência, asssaltos,, pequenos desvios, resumindo:-enquanto houver senhores a fazerem-se transportar em carros de 500mil euros, enquanto milhões vivem com menos de um euro por dia, de nada servirá estar-mos preparados para um ataque terrorista.
Vêja-se o 11 de Setembro nos EU, se bem que nesse caso, existem outra opiniões, que não são de despresar.
Abraço
De Luís Castro a 4 de Dezembro de 2008 às 22:21
O terrorismo só poderá ser reduzido caso se combata a desigualdade e a falta de conhecimento no seu local de origem.
Ab.
LC
De Encarnado a 4 de Dezembro de 2008 às 23:56
Portugal não é claramente um objectivo terrorista, porque este tipo de ataques pocuram mediatismo.
Portugal e um pais pouco conhecido fora da europa e que foge ao mediatismo internacional, salvo raras excepções como CR7 e o PM sexy.
Vejamos o exemplo indiano, os objectivos eram locais mediaticos e o acto assassinar cidadãos ingleses e dos usa (paises que fazem a guerra) tem um impacto mundial pelos seus meios de comunicação.
Se procurassem matar portuguese, gregos, polacos, que interesse tinha para alem das estações locais de televisao, e dos visados?
Quanto a participação de forças portugueses so concordo com o Kosovo missão de dissuasão a violencia no Libano reconstruçao, Afeganistao e Iraque nao vejo k diferença existe entre um soldado português e um ingles ou americano.
De Luís Castro a 5 de Dezembro de 2008 às 22:36
Encarnado,
não esteja tão certo disso, meu amigo.
Lisboa é uma capital europeia, cosmopolita e com muitos acontecimentos mediáticos ao longo dos últimos tempos e, certamente, também no futuro.
Sabe, quando ando nas guerras, estou sempre muito mais desconfiado do que a situação merece.
Assim diminuo a capacidade de me surpreenderem.
Ab.
LC
De jojoratazana a 4 de Dezembro de 2008 às 23:56
Sr. Luís Castro
Venho por este meio informar V.Exas . que contrariamente ao que afirmam Portugal já teve o seu ataque terrorista só que nessa altura não havia a moda que á hoje de tudo ser um ataque terrorista.
Vamos lá recordar o tenebroso ataque terrorista perpetrado em Portugal um comando Curdo ( na altura não se usava a expressão comando) atacou a embaixada da Turquia e durante salvo erro dois dias manteve sequestrado o embaixador Turco e mais um numero de reféns que de momento não me recordo.
Fez-se um perímetro de segurança na zona do Restelo onde se situava a embaixada, e o caso acabou como eu 2 dias antes tinha previsto , o recentemente criado GOES da PSP atacou a embaixada e toda a gente que se encontrava no interior foi morta embaixador incluído
Como vêem não só estamos preparados como rapidamente resolvemos o problema, não é por acaso que somos Portugueses embora muitos nos queiram fazer esquecer isso.
Leiam meditem e tenham memória um povo sem memória não merece ser POVO.
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Sr. Luís Castro <BR>Venho por este meio informar V.Exas . que contrariamente ao que afirmam Portugal já teve o seu ataque terrorista só que nessa altura não havia a moda que á hoje de tudo ser um ataque terrorista. <BR>Vamos lá recordar o tenebroso ataque terrorista perpetrado em Portugal um comando Curdo ( na altura não se usava a expressão comando) atacou a embaixada da Turquia e durante salvo erro dois dias manteve sequestrado o embaixador Turco e mais um numero de reféns que de momento não me recordo. <BR>Fez-se um perímetro de segurança na zona do Restelo onde se situava a embaixada, e o caso acabou como eu 2 dias antes tinha previsto , o recentemente criado GOES da PSP atacou a embaixada e toda a gente que se encontrava no interior foi morta embaixador incluído <BR>Como vêem não só estamos preparados como rapidamente resolvemos o problema, não é por acaso que somos Portugueses embora muitos nos queiram fazer esquecer isso. <BR>Leiam meditem e tenham memória um povo sem memória não merece ser POVO. <BR class=incorrect name="incorrect" <a>JOJORATAZANA</A>
De Luís Castro a 5 de Dezembro de 2008 às 22:32
Caro JOJORATAZANA,
é verdade o que escreve, mas - apelo também à sua memória - esse ataque foi em Portugal e não contra Portugal.
Esse comando que atacou a embaixada turca tinha uma motivação que não era contra o nosso país.
É verdade, o GOE entrou em acção, mas antes houve um polícia que decidiu agir por conta própria e despoletou uma sitaução que se tonou dramática.
Se estamos preparados?
Meu amigo, não estamos mesmo!
Os comandos terroristas de agora tornaram-se altamente "profissionais" e as redes muito difíceis de eliminar.
Abraço
LC
De Ludo Rex a 5 de Dezembro de 2008 às 01:07
Não estamos preparados... Mas sempre temos o Choque Tecnológico, pelo menos para o contribuinte...

Abraço
De Luís Castro a 5 de Dezembro de 2008 às 22:37
E também os desfibrilhadores!
Ab.
LC
De enfermeiro_de_serviço a 5 de Dezembro de 2008 às 01:08
Apesar de ninguem estar preparado para um atentado terrorista..creio que em Portugal iria ter consequências devastadoras..

Não me refiro às consequências obvias..materiais e pessoas..mas acho que em Portugal reina muito o sentimento de "cantinho à beira mar plantado" logo nada nos atinge..nada nos acontece...

A acontecer uma tragédia dessas..ia criar um sentimento de medo e panico muito maior que o esperado..
De Luís Castro a 5 de Dezembro de 2008 às 22:39
Convém estar atento.
Tenho sentido muitos ódios em relação a Portugal nos países por onde tenho andado...
Ab.
LC
De filha do administrador a 5 de Dezembro de 2008 às 10:10
mas alguém está preparado para um ataque terrorista?
afinal um ataque terrorista sabe sempre ser um ataque surpresa.
De Luís Castro a 5 de Dezembro de 2008 às 22:41
Sim,
mas o que pergunto é se estamos preparados para liderar com estas novas ameaças.
Bjs
LC
De cristina a 5 de Dezembro de 2008 às 14:47
Como é possível que possam dizer uma coisas dessas?? Não é chegar á televisão e dizer que é possível que uma bomba biológica seja lançada até ao final do ano 2013!!!! E provas?? Ainda há tanta coisa para explicar desde o 11 de Setembro..Por ex.: que é feito do avião que supostamente caiu no Pentágono ??? É engraçado que os Americanos sabem sempre de tudo antes de qualquer outra nação, porquê? Será que é mesmo verdade tudo o que vêm dizer aos meios de comunicação? Vamos vivendo um dia de cada vez e preparando-nos para dias piores...
Como dizia o outro " Ver para Crer!"
De Luís Castro a 5 de Dezembro de 2008 às 22:49
Cristina,
temos de estar preparados para que isso aconteça.
Se é verdade, se os americanos têm informação sobre tal, isso não sei.
Sei apenas - e pelo que eu(!!!)comprovei na minha passagem pelo Afeganistão em 2001, um ataque biológico é o grande objectivo da al-Quaeda.
LC

Comentar post

Reportagem Angola - 1999



Reportagem Iraque - 2005


Reportagem Guiné - 2008


Reportagem Guiné - 2008


Reportagem Afeganistão - 2010

Livros

"Repórter de Guerra" relata alguns dos conflitos por onde andei. Iraque, Afeganistão, Angola, Cabinda, Guiné-Bissau e Timor-Leste. [Comprar]



"Por que Adoptámos Maddie" aborda o fenómeno mediático gerado à volta do desaparecimento de Madeleine McCann. [Comprar]


Sugestões para reportagem



Milhão e meio de portugueses elegem diariamente o Telejornal da RTP.
E porque o fazemos para vós, quero lançar-vos um desafio: proponho que usem o meu blogue para deixarem as vossas sugestões de reportagem.

Luís Castro
Editor Executivo
Informação - RTP

E-mail: cheiroapolvora@sapo.pt

Perfil

Jornalista desde 1988
- 8 anos em Rádio:
Rádio Lajes (Açores)
Rádio Nova (Porto)
Rádio Renascença
RDP/Antena 1

- Colaborações em Rádio:
Voz da América
Voz da Alemanha
BBC Rádio
Rádio Caracol (Colômbia)
Diversas - Brasil e na Argentina

- Colaborações Imprensa:
Expresso
Agência Lusa
Revistas diversas
Artigos de Opinião

RTP:
Editor de Política, Economia e Internacional na RTP-Porto (2001/2002)
Coordenador do "Bom-Dia Portugal" (2002/2004)
Coordenador do "Telejornal" (2004/2008)
Editor Executivo de Informação (2008/2010)

Enviado especial:
20 guerras/situações de conflito

Outras:
Formador em cursos relacionados com jornalismo de guerra e com forças especiais
Protagonista do documentário "Em nome de Allah", da televisão Iraniana
ONG "Missão Infinita" - Presidente

Obras publicadas:
"Repórter de Guerra" - autor
"Por que Adoptámos Maddie" - autor
"Curtas Letragens" - co-autor
"Os Dias de Bagdade" - colaboração
"Sonhos Que o Vento Levou" - colaboração
"10 Anos de Microcrédito" - colaboração

Pesquisar blog

Arquivos

Abril 2016

Janeiro 2016

Outubro 2015

Junho 2015

Maio 2015

Fevereiro 2013

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Agosto 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Categorias

política

economia

angola 2008

iraque 2008

sexo

afeganistão 2010

mau feitio

televisão

eua

mundo

amigo iraquiano

futebol

curiosidades

telejornal

saúde

iraque

missão infinita

religião

repórter de guerra - iraque

euro2008

guiné

humor

repórter de guerra - cabinda

acidentes

criminalidade

jornalismo

polícia

segurança

solidariedade

rtp

sociedade

terrorismo

afeganistão

caso maddie

crianças talibés

desporto

diversos

férias

futuro

justiça

todas as tags

subscrever feeds