Quarta-feira, 18 de Fevereiro de 2009

Como ???

 

“A homossexualidade é uma anormalidade!”

 

 

 

Categorias: ,
publicado por Luís Castro às 21:28
link do post | comentar
50 comentários:
De Luz a 18 de Fevereiro de 2009 às 21:37
KONKORDO PLENAMENTE
De Luís Castro a 18 de Fevereiro de 2009 às 22:46
Respeito a sua opinião.
Embora eu discorde.
É assim que devemos agir: respeitando as diferenças.
LC
De GorgeousMind a 19 de Fevereiro de 2009 às 10:16
Bom Dia Luís!
O respeito pelas diferenças dos outros para mim têm limites. Não que não respeite os homosexuais..., o Luís pode até não concordar, mas que é um facto que se trata de um comportamento desviante, isso é. Sem falar de religião, a homosexualidade, está estudada cientificamente e a psicologia clínica pode explicá-la.
Luis, imagine viver numa sociedade onde 80% da população é homosexual masculino e/ou feminino! Pense bem..., se calhar os heterosexuais é que passariam a ter comportamento desviante. Faz sentido para si?
De GorgeousMind a 19 de Fevereiro de 2009 às 10:20
Quanto à igreja católica: penso que fizeram muito bem, em esclarecer e clarificar os seus pontos de vista. Para que ninguém fique na dúvida. Os outros não o fazem?
De Luís Castro a 21 de Fevereiro de 2009 às 14:06
Mas não podem obrigar que os que não professam tb pensem como eles.
De resto, eu tb sou católico.
LC
De Luís Castro a 21 de Fevereiro de 2009 às 14:05
Não.
Pela mesma razão que em relação a eles tb não os considero desviantes.
No mundo árabe, há países onde os homens bissexuais chegam a ser 80%.
LC
De bluewater68 a 18 de Fevereiro de 2009 às 22:14
Luis Castro,
sobre isto, se não se importa, transcrevo o que escrevi no meu blogue
#
Desta vez não vou comentar isto

«É absolutamente necessário que antes de uma senhora casar com um muçulmano, tenha a certeza de que vai poder continuar depois do matrimónio a professar a sua fé cristã. Tenha a certeza de que vai poder decidir o tipo de educação a dar aos próprios filhos. Não casem com muçulmanos enquanto não tiverem essas certezas»

Apesar de tudo, explicou-se melhor que o Policarpo.

.

E também não vou comentar isto

«A homossexualidade não é normal, temos que dizê-lo (...) Não é normal no sentido de que a Bíblia diz que quando Deus criou o ser humano, criou o homem e a mulher. É o texto literal da Bíblia, portanto esse é o princípio sempre professado pela igreja»

Está correcto. Se não está na Bíblia, e se esta é o ‘manual de instruções’ da Igreja Católica, então, é perfeitamente aceitável que a homossexualidade seja vista como uma anormalidade.

.

Mas já não posso deixar passar esta em claro

«Quando se fala de direitos civis não tem de se interrogar a Igreja, tem de se interrogar o Estado. Quem elabora as leis do Estado não é a Igreja, seria uma intromissão, evidentemente» No entanto, defendeu como situação «ideal» uma colaboração sincera entre a Igreja e o Estado «na formulação de certas leis», como a do casamento entre pessoas do mesmo sexo «Nestes casos, neste sector em concreto, é absolutamente necessária uma colaboração sincera, autêntica e eficaz entre o Estado e a Igreja, em que ambos expressem o seu pensamento»

Vamos lá ver uma coisa. Os tempos da Idade Média, onde o Clero era a força principal do poder, já lá vão. E qualquer aproximação a essa situação, por mais ténue que seja, só pode ser vista como uma brincadeira de muito mau gosto.

.

Sua eminência, Cardeal D. José Saraiva Martins, até reconhece que quem elabora as leis é o Estado, e que alterar isso seria uma intromissão. Menos mal. O senão é sugerir ser absolutamente necessária uma colaboração sincera, autêntica e eficaz entre o Estado e a Igreja, na «formulação de certas leis». Não é em todas, mas só em algumas.

Faz todo o sentido. Aliás, fazer certas leis sem essa colaboração da Igreja, é ir por um caminho da perdição. Como alguém disse, não é fiável quem se mete por estas aventuras, em que a sociedade fica exposta a feridas, que são profundas.

Sinceramente, até acho que na próxima legislatura deva ser criado o Ministério da Igreja Católica.

.

É verdade, este tipo de coisas também pode dar azo a algumas más interpretações,

« [Os homossexuais] não podem providenciar a formação das crianças, porque uma criança para ser formada normalmente precisa de um pai e de uma mãe e não de dois pais ou de duas mães»

Isso quer dizer que nos casos de divórcio – que já são muitos e com tendência a aumentar – as crianças não podem ser formadas normalmente? Falo por experiência própria, e de forma alguma, considero que possa ter tido uma formação deficiente, apesar de não ter tido um casal misto a contribuir para a mesma.

Por causa disto, li uma opinião interessante num blogue «E por isso eu também tenho o direito de pensar que quem abdica da sua sexualidade para se dedicar à religião não é normal»

.

É por estas, e muitas outras, que tenho cada vez mais a certeza de uma coisa. Se um dia a minha filha tomar a decisão de ser baptizada, terá sempre o meu apoio, como em tudo o mais, mas será um acto da sua iniciativa e não da minha.
#
Cumprimentos
De Luís Castro a 18 de Fevereiro de 2009 às 22:51
Foi o mesmo que tentei com os meus filhos.
Mas outra atitude da Igreja não seria de esperar.
Bjs
LC
De bluewater68 a 19 de Fevereiro de 2009 às 09:44
Luis Castro,
deixe-me só fazer uma correcção. O bluewater68 é um nick com alguns anos da Net, criado a propósito do ICQ. Depois de tentar várias combinações de nomes, já com pouca paciência, ficou a cor favorita, elemento favorito e ano da colheita. Como se diz aqui por Faro (mais em Olhão), isto é Mosso de 40 anos, que viveu 23 anos em Lisboa e que se mudou de armas e bagagens para o Algarve, onde consegue ter uma enorme qualidade de vida. Afinal, isto é um deserto onde há pouco que fazer.
Por isso, troco os Bjs por Abraço, p.e. :)
De GorgeousMind a 19 de Fevereiro de 2009 às 10:26
Luis... seu beijoqueiro... rsss....rsss....rsss...
De Luís Castro a 21 de Fevereiro de 2009 às 14:07
Por acaso sou.
rs...rs...rs...
Bjs, bjs, bjs!
LC
De Luís Castro a 21 de Fevereiro de 2009 às 14:02
Ups!
Peço desculpa.
Como respondo a todos, por vezes troco as identidades.
peço dsculpa.
Abraço!!!
LC
De E_N a 19 de Fevereiro de 2009 às 20:42
Kual igreja kual kê?Ser homosexual é contra natura, se não fosse porque existe homem e mulher?Kuanto aos casamentos muçulmanos também koncordo com o que dizem eses 2 snhores da igreja , emboara no meu ver não tem nada a ver coma igreja, tem simplesmente a ver que essas etnias são gentes selvagens e sei do que falo
De Luís Castro a 21 de Fevereiro de 2009 às 20:42
Visto.
LC
De Tovar a 19 de Fevereiro de 2009 às 01:03
Tem-se tentado fazer passar a ideia de que discordar com o casamento entre homossexuais é quase crime. Mas ainda não é.
Tenho também, alguma dificuldade em compreender porque razão sempre que a Igreja Católica se manifesta sobre o tema cai o Carmo e a Trindade, será que não tem esse direito? Não esqueçamos que Ela representa “alguns” milhões de pessoas…
Não sendo católico praticante e discordando até, com muitas práticas da Igreja Católica, concordo com o Cardeal D. José Saraiva Martins, não só pelas razões que ele explanou, mas também por outras de carácter mais profano.
Normal na minha opinião, é que sexos opostos se atraiam e se complementem e esta lógica da Natureza de que fazemos parte, é para mim mais que evidente. As situações que se desviam deste paradigma são minoritárias, portanto não habituais ou seja, fogem ao normal e por isso são anormais, tal não implica que não mereçam respeito a todos níveis. Agora por favor não me obriguem a ver como natural uma coisa que é excepção às regras da própria Natureza!
De umcasoraro a 19 de Fevereiro de 2009 às 09:44
Pois, "anormalidades" da natureza não faltam!!
Senão veja-se o caso dos caracóis, quando têm macho ou fêmea perto acasalam, senão procriam sozinhos, sâo hermafroditas!!!
A normalidade foi criada em grande medida pela Igreja e nestes casos não se deve ter em conta a sua opinião, porque cada pessoa corresponde a um contribuinte e tem tantos direitos como qualquer outro, independentemente da sua opção sexual.
Isto parece conversa do tempo da "outra senhora"!!!
De Tovar a 19 de Fevereiro de 2009 às 14:50
Cá está!
"A conversa da outra senhora"...
Lá cometi o "crime" de discordar!
Quanto aos caracóis... Que argumento tão pobre! Que comparação tão azinina!

De umcasoraro a 19 de Fevereiro de 2009 às 15:26
Se calhar queria dizer "asinino".
Não considero que a comparação seja estúpida, sem sentido ou de burros.
E não cometeu nenhum "crime" ao discordar, mas, tal como eu, tem de estar disposto a aceitar os comentários em contra do seu.
A questão é que eu não concordo com os parâmetros de normalidade ou anormalidade da forma como os descreve!
O que eu penso é que as pessoas quando houvem falar em casamento entre homossexuais não pensam que existem pessoas por detrás disto tudo.
Pessoas que vivem maritalmente com os seus companheiros(as) anos a fio, ligadas por uma união de facto, que é o que a lei permite, que não tem os mesmos direitos de um casamento, mas que perante as Finanças têm as mesmas responsabilidades.
E aqui eu sei muito bem do que falo porque vivo numa união de facto, só que ao contrário dos homossexuais, é por opção e não porque não há alternativa.

De Tovar a 19 de Fevereiro de 2009 às 18:41
Se calhar quis dizer "ouvem"!...
Admito que não concorde com a minha concepção das coisas, mas a partir do momento que identificou as minhas ideias com o fascismo está a fazer de mim um fascista!
E para fim de conversa, no que respeita a caracóis… gosto de os comer mas é no prato!
Estamos conversados!
De umcasoraro a 19 de Fevereiro de 2009 às 21:07
Não quis chamar-lhe fascista, mas se assim o entendeu o senhor lá sabe...
Quis antes dizer que já não estamos no tempo em que a Igreja manda tanto ou mais que o Governo, por isso este tipo de razões que utilizam para sustentar uma proibição (a meu ver) injusta, já não se justificam!
Ainda por cima porque não se está a pedir à Igreja que permita um casamento entre pessoas do mesmo sexo, está-se a pedir a um Governo que assuma as responsabilidades de permitir que todas as pessoas tenham os mesmos direitos legais.
Aconselho-o a ouvir uma notícia que passou hoje na SIC sobre as diferenças entre casamentos e união de facto, talvez consiga perceber melhor o ponto de vista que eu defendo!
De Luís Castro a 21 de Fevereiro de 2009 às 20:42
Visto.
Lc
De Luís Castro a 21 de Fevereiro de 2009 às 14:35
Visto.
LC
De Luís Castro a 21 de Fevereiro de 2009 às 14:29
Visto.
LC
De Luís Castro a 21 de Fevereiro de 2009 às 14:26
Visto.
LC
De Luís Castro a 21 de Fevereiro de 2009 às 14:03
Visto.
LC
De Luís Castro a 21 de Fevereiro de 2009 às 13:57
Tovar,
considero que andamos neste mundo tb à procura da nossa felicidade. Por isso, cada um que seja feliz à sua maneira.
O que eu não concordo é com a constante intromissão da Igreja num assunto que é de natureza individual.
E quem não for católico, tem de se sujeitar aos "pareceres" da Igreja?
Ab.
LC
De Sónia Pessoa a 19 de Fevereiro de 2009 às 12:09
pois Luís, lá no meu cantinho mostrei a minha indignação e fui quase trucidada... há ainda um longo caminho a percorrer em matéria de direitos humanos. As pessoas querem evoluir tecnológicamente, mas as mentalidades ficam mesmo lá pela Idade Média. Apesar de tudo, acredito que chegamos lá, através da educação que damos aos nossos filhos, homens e mulheres de amanhã... beijinhos
De Luís Castro a 21 de Fevereiro de 2009 às 14:13
Há uns anos tb era quase um crime o divórcio e as crianças filhas de pais separados seriam umas infelizes.
Afinal não o são.
Bjs
LC
De João Lúcio a 19 de Fevereiro de 2009 às 12:48
Compreendo a afirmação, considerando que por "normal" se entende a relação macho-fêmea como a forma natural de manutenção da vida. Também percebo que, perante o contexto em que foi dita, a frase deverá ir mais além desta interpretação, o que torna quem proferia a informação, e seguindo o mesmo raciocínio, num anormal.
De Luís Castro a 21 de Fevereiro de 2009 às 14:18
Pronto,
esta é a opinião da Igreja.
Respeito-a enquanto opinião/posição, só isso.
Ab.
LC
De Sócrates a 19 de Fevereiro de 2009 às 14:00
Achando que tanto homossexuais deverão ter o mesmo direito ao contrato legal entre duas pessoas a que damos o nome de "casamento civil", julgo que a partir do momento que a grande maioria das pessoas será (serão?) heterossexuais, isso poder-se-á descrever, o comportamento heterossexual, como normal e os restantes como anormais.

Por se dizer que é anormal não quererá dizer-se que está bem ou mal, na minha opinião, apenas que é um comportamento que diferente da maioria. Por exemplo, Charles Darwin e a sua teoria da evolução eram anormais à data da publicação do seu livro. Qualquer génio pode ser considerado anormal. Uma pessoa **específica** ganhar o euromilhões é algo anormal (improvável, tendo em conta as milhares, senão milhões que jogam e não ganham).

Com isto quero dizer que não devemos tomar a palavra "anormal" como prejorativa, eu pelo menos não o uso com esse intuito.
De Sócrates a 19 de Fevereiro de 2009 às 22:19
P.S.: Peço desculpa por algumas deficiências na construção frásica... mas foi escrito a correr e a revisão falhou.
De Luís Castro a 21 de Fevereiro de 2009 às 20:45
Visto.
LC
De Luís Castro a 21 de Fevereiro de 2009 às 14:20
Sim,
mas aqui a palavra "anormal" não queria dizer minoria...
LC
De luisa marques a 19 de Fevereiro de 2009 às 14:00
ao estado o que é do estado, à igreja o que é da igreja... de qualquer modo, senhor luís, num post anterior... pense bem... qual foi a final o significado da discussão/debate sobre os homens de saias e a sua falta de "vontade em depilar " as pernas!!!! será um lapso? o seu sub-consciente machista a falar mais alto? seria interessante perceber....
De umcasoraro a 19 de Fevereiro de 2009 às 15:14
O que tem a homossexualidade a ver com homens de saias e depilações!!
A discussão/debate era sobre moda e tendências não sobre uma coisa tão séria como as opções sexuais de cada um.
Ou muito me engano ou a senhora disse que ia tentar elevar a discussão. Porque ataca o Luís? Não vi nada de machista nas palavras dele.
Eu, que sou mulher, também acho a depilação dolorosa e se não fosse mulher não a fazia!!!
Já pensou em comprar um saco de boxe para despejar esse seu azedume?!
De Luís Castro a 21 de Fevereiro de 2009 às 14:28
Esta senhora ou senhor anda de mal com a vida...
LC
De Luís Castro a 21 de Fevereiro de 2009 às 14:23
Luisa,
porque insiste em chamar-me machista quando sou reconhecido (por quem me conhece) como não o sendo?
Dá-lhe jeito, é?
Dou o direito a cada um fazer o que muito bem entender.
Não sou merecedor do mesmo?
Mude lá o disco e ponha-se de bem com a vida!!!
LC
De cristina a 19 de Fevereiro de 2009 às 14:42
Boa tarde Luís,
Obrigada por trazer "a debate" este assunto que ainda incomoda muita gente.
Hoje em dia condena-se a Xenofobia, o Racismo... isto é também é discriminação.. é falta de respeito pelo SER HUMANO.
Julgamo-nos muito civilizados até porque estamos no século XXI mas somos tão retrogradas quanto o Homem das Cavernas.
Não é preciso ser uma pessoa culta, nem ter formação académica para entendermos os outros... Aliás.. nem precisamos entender... Cada um sabe de si!!!!!
De Luís Castro a 21 de Fevereiro de 2009 às 14:26
É isso mesmo: cada um sabe de si.
Bjs
LC
De Rafael Marcelino a 19 de Fevereiro de 2009 às 21:52
Este apelo ao casamento é exactamente ao contrário do que a sociedade normal (Tradicional) anda a evitar de celebrar. Depois acho que Casar é para dois seres de sexos diferentes (Nos animais nunca vi acasalamentos Gays ou lesbicas)É da Natureza.Respeito quem tem opções diferentes sexuais. Alguém impediu ou impede de viverem juntos?!
O casamento (escritorado) taz felicidade acrescida?! acho que não, tantos são os exemplos entre casais de sexos diferentes.
O que deveria ser alterada era a Lei de Testamento. Todo o ser Humano poder fazer o seu testamento de herdeiros (Heranças) para quem quiser. Assim (Eles)podiam proteger-se entre ambos. Bastava isso.
Caro Luis no CANADA existe a Lei que permite, sabe o que acontece?!...ninguém ligou a isso e muito poucos o fazem, os Médias nem lhes ligam.Passa ao lado.
Mas como dizia a Lei do Testamneto pode ser feita para quem nós quisermos e não obrigatoridade de ter de ser para filhos.Muitos fazem-no a muitas causas e instituições que fazem crescer a Nação na S.Social
De Sócrates a 19 de Fevereiro de 2009 às 22:16
"(Nos animais nunca vi acasalamentos Gays ou lesbicas)"

Nunca viu mas existem, tanto que a BBC fez um especial Vida Selvagem sobre esse fenómeno natural que passou há alguns anos na SIC, com bolinha vermelha, após o noticiário da noite.

Havia leões, golfinhos, entre outros animais, a divertirem-se com os sexos alheios, ao jeito de acasalamento/relações sexuais.
De Sócrates a 19 de Fevereiro de 2009 às 22:17
P.S.: Escusado será dizer, que quando ali me refiro a animais, são do mesmo sexo.
De Rafael Marcelino a 20 de Fevereiro de 2009 às 04:48
O acasalamemto a que me referi é no sentido de procriação.Tudo o mais é brincadeiras. Olhe que até nas ganadarias de touros eles (Vivem apartados das Fêmeas)fazem as lutas uns com os outros na disputa de Fêmeas, mesmo sem as verem, apenas pelo cheiro delas.Veados é igual e tantos outros. É complicado expôr aqui o sentido que quero dar.
Continuo com a minha ideia; Respeito e cada macaco no seu galho. Ninguém os impede ou impediu de viverem juntos. Lutem por uma legislação universal para efeitos de testamentos e doações. Eu subscrevo também esse feito.
Se nada houvesse feito eram então os herdeiros legitimados (Filhos ou mais próximos devidamento classificados em legislação adequada)a herdar.
Cada um devia de ser senhor daquilo que é seu e poder destinar a quem quiser os seus dividendos.
Cumpts.
De Luís Castro a 21 de Fevereiro de 2009 às 20:49
Visto.
LC
De Luís Castro a 21 de Fevereiro de 2009 às 20:44
Visto.
LC
De anarobalo a 20 de Fevereiro de 2009 às 14:23
Olá meu querido,
tenho andado afastada, trabalho, trabalho...
Eu fui criado no respeito pelo outro, com as suas vontades e desejos.
Se entendem desvio como tudo o que foge à norma então terei de concordar com o que alguns bloggers escreveram, no entanto considero ainda que é muito lindo falar-se quando não se sabe o que se diz, quando nunca se passou pelas coisas, quantas vezes psicólogos, como eu, recebem no seu consultório rapazes e raparigas que têm crises de identridade sexual só porque uma sociedade hipócrita e estupida, sem principios e respeito pelo outro, lhe dizem que é errado ser homoxessual? Nenhum dos senhores tem amigos homossexuais ou não sabem que o são porque eles têm de esconder pois saberiam que deixariam de ser amigos deles?
Na foxcrime (canal da tvcabo-funtastic life) dá um programa que se chama "predadores", em que pais de familia, padres, rabinos, professores... vão a uma casa para terem actos sexuais com crianças que conheceram online, alguns rapazes. Percebem onde quero chegar? Ao facto de que a igreja não pode cuspir para o ar porque vai sair molhada, além disso o tempo em que o clero mandava alguma coisa já passou. Ah desculpem estou a confundir estes que iam à casa são pedófilos não homossexuais (mesmo sexo), pois nestas questões esquece-se o género sexual do menor. Os homens que lá vão são muito "machos".
Contra natrua, não, contra natura é ter um marido em casa ou uma mulher e ir procurar rapazinhos ou rapariguinhas fora. Contra natura é termos pessoas reprimidas e amarguradas, pessoas infelizes porque, como se costuma dizer "não sairam do armário".
Eu sou a favor da adopção e explico porquê, primeiro porque algumas crianças em instituições sobrevivem, porque se há locais onde são bem cuidadas outros há em que isto não acontece, segundo porque se perguntarem a uma criança o que prefere, ter o amor de duas pessoas (homem-mulher, mulher-mulher, homem-homem) que a ame e trate como ser único, a criança vai escolher o amor.
O casamento? Porque não, eu tenho esse direito não enquanto mulher que se casa com um homem mas enquanto pessoa, eu tenho todos os direitos que me foram atribuidos por uma constituição desde o dia em que nasci, quando ainda não tinha sequer a capacidade de decidir.
A homoxessualidade não se pega, mas a falta de permissão da sociedade para que ela se demonstre acreditem que mata quando se procura algo que um dia alguém resolveu que era proíbido, só espero que não vos calhe em casa nunca, acreditem é muito mas muito triste.
Luís um assunto polémico que trataste como um senhor, obrigado pela promoção do debate.
De Luís Castro a 21 de Fevereiro de 2009 às 20:59
Eu é que agredço os vossos contributos.
Tb me enriquecem. E muito!
Bjs
LC

Comentar post

Reportagem Angola - 1999



Reportagem Iraque - 2005


Reportagem Guiné - 2008


Reportagem Guiné - 2008


Reportagem Afeganistão - 2010

Livros

"Repórter de Guerra" relata alguns dos conflitos por onde andei. Iraque, Afeganistão, Angola, Cabinda, Guiné-Bissau e Timor-Leste. [Comprar]



"Por que Adoptámos Maddie" aborda o fenómeno mediático gerado à volta do desaparecimento de Madeleine McCann. [Comprar]


Sugestões para reportagem



Milhão e meio de portugueses elegem diariamente o Telejornal da RTP.
E porque o fazemos para vós, quero lançar-vos um desafio: proponho que usem o meu blogue para deixarem as vossas sugestões de reportagem.

Luís Castro
Editor Executivo
Informação - RTP

E-mail: cheiroapolvora@sapo.pt

Perfil

Jornalista desde 1988
- 8 anos em Rádio:
Rádio Lajes (Açores)
Rádio Nova (Porto)
Rádio Renascença
RDP/Antena 1

- Colaborações em Rádio:
Voz da América
Voz da Alemanha
BBC Rádio
Rádio Caracol (Colômbia)
Diversas - Brasil e na Argentina

- Colaborações Imprensa:
Expresso
Agência Lusa
Revistas diversas
Artigos de Opinião

RTP:
Editor de Política, Economia e Internacional na RTP-Porto (2001/2002)
Coordenador do "Bom-Dia Portugal" (2002/2004)
Coordenador do "Telejornal" (2004/2008)
Editor Executivo de Informação (2008/2010)

Enviado especial:
20 guerras/situações de conflito

Outras:
Formador em cursos relacionados com jornalismo de guerra e com forças especiais
Protagonista do documentário "Em nome de Allah", da televisão Iraniana
ONG "Missão Infinita" - Presidente

Obras publicadas:
"Repórter de Guerra" - autor
"Por que Adoptámos Maddie" - autor
"Curtas Letragens" - co-autor
"Os Dias de Bagdade" - colaboração
"Sonhos Que o Vento Levou" - colaboração
"10 Anos de Microcrédito" - colaboração

Pesquisar blog

Arquivos

Abril 2016

Janeiro 2016

Outubro 2015

Junho 2015

Maio 2015

Fevereiro 2013

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Agosto 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Categorias

política

economia

angola 2008

iraque 2008

sexo

afeganistão 2010

mau feitio

televisão

eua

mundo

amigo iraquiano

futebol

curiosidades

telejornal

saúde

iraque

missão infinita

religião

repórter de guerra - iraque

euro2008

guiné

humor

repórter de guerra - cabinda

acidentes

criminalidade

jornalismo

polícia

segurança

solidariedade

rtp

sociedade

terrorismo

afeganistão

caso maddie

crianças talibés

desporto

diversos

férias

futuro

justiça

todas as tags

subscrever feeds