Quarta-feira, 25 de Março de 2009

Morto por vestir de azul

Apetece-me soltar um palavrão!

Que país é este onde já não se pode usar roupa azul?

Eu sei o que fazia a esta gente!!!

 

“Um homem de 61 anos foi assassinado quando saía de uma estação de correios em Oeiras, por pelo menos dois indivíduos que se preparavam para assaltar o local, situado no Centro Comercial Nova Oeiras.

Os disparos ocorreram por volta das 15h20. Segundo um comerciante, que ouviu os disparos, pelo menos dois indivíduos preparavam-se para assaltar a estação quando o homem saiu do edifício. O homem vestia calças azuis escuras e camisa azul clara e , alegadamente, foi confundido por um agente da polícia pelos assaltantes, que fugiram depois dos disparos.”

 

Luís Castro

publicado por Luís Castro às 19:11
link do post | comentar
34 comentários:
De Sócrates a 25 de Março de 2009 às 20:53
Ou as autoridades reúnem esforços para acabar com esta criminalidade violenta que tem vindo a aumentar ou corremos o risco de nos próximos anos começar a ver surgir grupos de vigilantes e milícias populares, algo que não será positivo para a ordem pública (pois o conflito apenas irá escalar).

Que se volte ao antigo modelo de colónias penais, em zonas mais desertificadas do nosso país, onde os presos trabalham a terra, fazem a sua roupa, resumindo, actividades que reduzam o custo do seu "encarceramento", os façam ganhar respeito pelo trabalho e que aprendam a sua lição. Não só tem estas vantagens como também os próprios presidiários poderão deixar de estar apenas confinados aos edifícios e escassos pátios.

Ainda hoje me contaram que perto da loja do cidadão era só pessoas à espera de ser atendidas a vangloriarem-se das suas falcatruas ao Estado mas também de baterem em viaturas e ludibriarem os condutores que iam pagar o estrago que não era preciso chamar ninguém. Gente desta merecia era ir para uma gulag moderna, mas com respeito pelos direitos humanos.
De Luís Castro a 27 de Março de 2009 às 23:30
Por mim punha-os nas pedreiras a partir pedra à maneira antiga e de grilhetas!!
LC
De Sónia Pessoa a 25 de Março de 2009 às 21:15
Amigo, vou deixar de vestir azul!! Isso foi onde? S. Paulo, Brasil??... Oeiras?... ah, às vezes fico baralhada...
De Luís Castro a 27 de Março de 2009 às 23:31
Qualquer dia já nem posso ir ao estádio do Dragão!
Bjs
LC
De RS(criancices) a 25 de Março de 2009 às 21:20
Apetece mas é soltar vários palavrões....e logo de azul que é uma das minhas cores preferidas!
Balha-me Sto. André!
De Luís Castro a 27 de Março de 2009 às 23:31
Também gosto muito do azul!!!
LC
De POESIA-NO-POPULAR a 25 de Março de 2009 às 22:45
Amigo Luís
Nada acontece por obra do acaso!
Tudo é consequência de....Não estou a favor nem a defender, nem tão pouco a desculpar, mas quando os (grandes senhores) fazem o que todos sabemos - que esperar, da marabunta?
Enquanto existirem fumadores, nunca deixará de existir o tabaco!
Abraço
De Luís Castro a 27 de Março de 2009 às 23:33
Mão pesada!!!
Para todos!
Ab.
LC
De JP a 25 de Março de 2009 às 22:54
Quiçá não esteja aí a solução para o fim da violência.
(Piada estúpida mas tinha-a de dizer)
De Luís Castro a 27 de Março de 2009 às 23:34
Visto.
LC
De Ilda a 26 de Março de 2009 às 09:39
Olá Luís!
Moro relativamente perto do local onde isto aconteceu e posso dizer que Oeiras não está imune a actos de violência (não há sítio nenhum do Mundo que esteja) mas é dos locais onde nós nos sentimos menos inseguros.
Isto é o retrato daquilo a que o nosso País chegou com a desautorização das forças de segurança em que os bandidos saem mais depressa do tribunal ou da prisão do que as vítimas do hospital, quando não são mortas e que armas circulam por mãos erradas sem nenhum tipo de controlo. As armas não caem do céu alguém as põe no "mercado".
Se calhar temos que passar a sair de casa não com um colete a dizer polícia, GNR ou seja lá o que for mas sim a dizer NÃO PERTENÇO A NENHUMA FORÇA DE SEGURANÇA. Que tristeza...
Um grande beijinho.
Ilda
De Luís Castro a 27 de Março de 2009 às 23:35
Bjs e bom fds.
LC
De filha do administrador a 26 de Março de 2009 às 10:18
e qualquer dia morre outro porque anda de cachecol aos quadrados brancos e pretos e outro porque anda de camisola amarela e pensam que é árbito...

continuo a achar que não vamos precisas de nenhuma catástrofe natural para dar cabo do planeta, as pessoas vão tratar disso calmamente :P
De Luís Castro a 27 de Março de 2009 às 23:36
Já há quem avise que não baptiza crianças com o nome Lucílio...
LC
De ACCB a 26 de Março de 2009 às 11:13
Ups. Eu hoje vou de calças azuis azuis azuis mesmo! LIVRA!

É O País que temos! Não há aumento de criminalidade!! Nem sequer há violência. Só filmes . Só filmes!
De Luís Castro a 27 de Março de 2009 às 23:38
Este país é cada vez mais um filme, mas daqueles baratos...
Bj
LC
De Filipa Jardim a 26 de Março de 2009 às 12:29
Luís,

Cada vez mais ouvimos casos destes, em que por um assalto se está disposto a matar, o que é a prova de que a criminalidade violenta está a aumentar.

Já agora deixo um alerta: Estão a assaltar as casas das pessoas, recorrendo ao método de radiografias/cartões para abrir as portas que estejam fechadas só no trinco e não se importam com o facto de estarem pessoas em casa. Isto no centro de Lisboa e em plena luz do dia. Mantenham as portas fechadas à chave mesmo que estejam em casa,ou que saiam só para beber um café.

Bjs,

Filipa
De Anónimo a 27 de Março de 2009 às 10:29
Minha amiga, o truque das radiografias é um clássico do banditismo. Isso é a primeira lição...
O que está a contecer em Portugal é mais grave do que isso. Há milhares de pesssoas neste país dispostas a matar por dá-cá-aquela palha. Isto é o fim da linha da indústria do crime e começa a ser cada vez mais notícia.
É absolutamente rídiculo ouvir o ministro da administração interna sobre estes números. O homem nao tem mão no país, os bairros periféricos explodem e ele diz que está tudo bem, os assaltos multiplicam-se e endurecem e Rui Pereira continua a dizer que o Governo está a afzer tudo. Por amor à santa!!!
Não quero, nem devia, mas sou forçado a concordar com o inergúmeno Mário Machado quando diz que a justiça é branda para alguns e dura para outros.
Cumprimentos
De Luís Castro a 27 de Março de 2009 às 23:45
Também tenho de concordar...
LC
De Luís Castro a 27 de Março de 2009 às 23:39
O ano que passou foi o mais violento dos últimos dez.
BJ
LC
De Márcia a 26 de Março de 2009 às 12:40
Este sentimento de impunidade face ao crime que vai crescendo leva-nos a uma velha questão sobre a tipologia de justiça que defendemos: uma justiça repressiva e punitiva, ou uma justiça correctiva? Se por questões de humanidade me inclino seguramente para a 2ª, o objectivo da justiça deveria ser essencialmente o de corrigir e recuperar o indivíduo de volta à sociedade, também é verdade que essa vertente de recuperação subjacente à aplicação da justiça está a falhar redondamente, continuando a aumentar o sentimento de impunidade nos criminosos e não só. Além do mais, apesar da beleza humanitária desse objectivo, na prática acho que há casos em que a recuperação é impossível, não sei… Ora perante isto qual seria a resposta: uma justiça punitiva com o objectivo essencial de fazer o criminoso “pagar” pelo crime que cometeu? Será que se assim for haverá menor sentimento de impunidade? Poderá ser, honestamente não sei responder, vejam-se casos de países onde se aplica a pena de morte, o exemplo máximo da justiça punitiva, são países com menor criminalidade? Certo, certo é que hoje me apetece ir ao fundo do armário procurar uma saia e camisola azul para usar, afinal, não nos podemos deixar vencer o medo pois não?
Bjs
De Anónimo a 27 de Março de 2009 às 10:31
be my guest!
De Luís Castro a 27 de Março de 2009 às 23:46
Visto.
LC
De Luís Castro a 27 de Março de 2009 às 23:41
Pois não!
Por mim, fazia-os pagar em vida e não com a morte.
Já o disse: partir pedra nas pedreiras com grilhetas!!!
LC
De Azoth a 29 de Março de 2009 às 14:15
Também penso que trabalho fazia bem a muita gente. Ponham-nos a limpar as matas que bem precisam. Assim sempre se evitam os incêndios.

E não me venham com a treta dos direitos Humanos.

Porque animais desses não são humanos, por esse motivo, a meu ver não têm direito aos direitos.
De Luís Castro a 30 de Março de 2009 às 19:51
Azoth,
os direitos humanos das vítimas tendem a ser esquecidos...
Também me dá cá uma azia!!!
LC

Comentar post

Reportagem Angola - 1999



Reportagem Iraque - 2005


Reportagem Guiné - 2008


Reportagem Guiné - 2008


Reportagem Afeganistão - 2010

Livros

"Repórter de Guerra" relata alguns dos conflitos por onde andei. Iraque, Afeganistão, Angola, Cabinda, Guiné-Bissau e Timor-Leste. [Comprar]



"Por que Adoptámos Maddie" aborda o fenómeno mediático gerado à volta do desaparecimento de Madeleine McCann. [Comprar]


Sugestões para reportagem



Milhão e meio de portugueses elegem diariamente o Telejornal da RTP.
E porque o fazemos para vós, quero lançar-vos um desafio: proponho que usem o meu blogue para deixarem as vossas sugestões de reportagem.

Luís Castro
Editor Executivo
Informação - RTP

E-mail: cheiroapolvora@sapo.pt

Perfil

Jornalista desde 1988
- 8 anos em Rádio:
Rádio Lajes (Açores)
Rádio Nova (Porto)
Rádio Renascença
RDP/Antena 1

- Colaborações em Rádio:
Voz da América
Voz da Alemanha
BBC Rádio
Rádio Caracol (Colômbia)
Diversas - Brasil e na Argentina

- Colaborações Imprensa:
Expresso
Agência Lusa
Revistas diversas
Artigos de Opinião

RTP:
Editor de Política, Economia e Internacional na RTP-Porto (2001/2002)
Coordenador do "Bom-Dia Portugal" (2002/2004)
Coordenador do "Telejornal" (2004/2008)
Editor Executivo de Informação (2008/2010)

Enviado especial:
20 guerras/situações de conflito

Outras:
Formador em cursos relacionados com jornalismo de guerra e com forças especiais
Protagonista do documentário "Em nome de Allah", da televisão Iraniana
ONG "Missão Infinita" - Presidente

Obras publicadas:
"Repórter de Guerra" - autor
"Por que Adoptámos Maddie" - autor
"Curtas Letragens" - co-autor
"Os Dias de Bagdade" - colaboração
"Sonhos Que o Vento Levou" - colaboração
"10 Anos de Microcrédito" - colaboração

Pesquisar blog

Arquivos

Abril 2016

Janeiro 2016

Outubro 2015

Junho 2015

Maio 2015

Fevereiro 2013

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Agosto 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Categorias

política

economia

angola 2008

iraque 2008

sexo

afeganistão 2010

mau feitio

televisão

eua

mundo

amigo iraquiano

futebol

curiosidades

telejornal

saúde

iraque

missão infinita

religião

repórter de guerra - iraque

euro2008

guiné

humor

repórter de guerra - cabinda

acidentes

criminalidade

jornalismo

polícia

segurança

solidariedade

rtp

sociedade

terrorismo

afeganistão

caso maddie

crianças talibés

desporto

diversos

férias

futuro

justiça

todas as tags

subscrever feeds