Sexta-feira, 19 de Junho de 2009

Só agora, senhora ministra?

Pasme-se: Maria de Lurdes está na dúvida…

 

 

 

A ministra da Educação pediu um parecer sobre o modelo de avaliação dos professores.

Quer saber se deve manter o regime simplificado de 2008/2009,

ou assumir o modelo original com as “alterações consideras necessárias”.

 

Nunca é tarde para assumir erros, mas irrita-me que perante esta “abertura forçada” os sindicatos insistam em cavalgar a onda.

E que tal se aproveitassem este passo atrás para, de uma vez por todas, caminhar para um ponto de convergência?

 

Ou será que não querem mesmo um modelo de avaliação?

Irra!

 

Luís Castro

publicado por Luís Castro às 21:00
link do post | comentar
48 comentários:
De Sérgio Ramos a 19 de Junho de 2009 às 21:47
Amigo.
O pouco que tenho aprendido sobre todo este pacote de leis para os professores tem-me deixado doido.
Soube que um professor que nos últimos 10 a 12 anos se tem dedicado exclusivamente a servir o seu país como seleccionador duma modalidade que agora não posso revelar ,não pode continuar, e tem de regressar a escola obrigatóriamente.
O problema é que como nestes últimos anos não esteve a trabalhar na "escola" agora continua no inicio da carreira e para chegar a professor titular tem de trabalhar "SÓ" mais 30 anos. Tem mais de 40 de idade....
Devemos estar a brincar com este "pacote" de leis....
Só mesmo neste país...
Grande abraço
De Luís Castro a 21 de Junho de 2009 às 17:04
E não reclamou?
Ab.
LC
De Anónimo a 19 de Junho de 2009 às 22:10
Sindicatos à parte, os professores sabem muito bem o que querem, quem nos governa é que parece não saber o que quer... ou melhor, percebeu que os professores são parte significativa do eleitorado, mas já é tarde demais e os professores não são estúpidos...
De Luís Castro a 21 de Junho de 2009 às 17:06
Vocês sabem? Mesmo?
Uns querem, outros não.
Essa é a verdade.
Bjs
LC
De João Sá a 19 de Junho de 2009 às 22:15
Caro Luís Castro,

Está a ver as coisas de forma demasiado simplista.
Os professores são maltratados diariamente nas escolas, com um sem número de situações kafkianas.
A avaliação é uma gota no oceano.
Isto não é "abertura forçada", é uma jogada táctica pré-eleitoral. Só e apenas.
Só para dar um exemplo, pois dezenas de outros poderiam ser dados, abertura seria admitir que há escolas onde não há papel nas casas de banho, não há material de trabalho, não há aquecimento no inverno, mas há uma dezena de computadores magalhães ligados a uma única tomada amontoada de fichas triplas...
Como disse, é apenas um exemplo...
De José Fernandes a 20 de Junho de 2009 às 16:05
Concordo com o seu exemplo e por se passar o mesmo na escola onde os meus filhos estudam, onde a associação de pais é que faz uma recolha de fundos para a compra de material escolar, é que não comprei o "magalhães".
Os alunos que levam o pc para a escola é única e exclusivamente para jogar.

Cumprimentos
De Luís Castro a 21 de Junho de 2009 às 17:20
Visto.
LC
De Luís Castro a 21 de Junho de 2009 às 17:08
Claro que é verdade!
Claro que é jogada!
Mas conheço profs que ainda não sabem utilizar o Magalhães e que os deixaram empacotados nos últimos meses.
Inaceitável!!!
Ab.
LC
De António Meirelles a 19 de Junho de 2009 às 22:50
Os professores estão revoltados, e com tanta crítica e protestos, é natural que a ministra tenha dúvidas, como as pessoas.è de lamentar os profs que nao querem a avaliação, isto tem de mudar,("estamos bem, fazemos o que queremos")não pode ser como antigamente, no tempo da telescola que viamos as emissões na RTP2 e depois a professora mandava fazer a "ficha" enquanto as "sinhoras prufessoras"faziam crochet .Não aprendiamos e se não soubessemos responder a alguma pergunta eramos repreendidos à força da régua e da cana. DEPOIS NÃO QUEREM SER AVALIADOS!
Hà coisas que têm de mudar mesmo, é preciso ter braço firme e muito forte!
De Luís Castro a 21 de Junho de 2009 às 17:09
Claro que há profs que não querem a avaliação.
Gostava que dessem a cara e explicassem porquê.
Ab.
LC
De Miguel a 19 de Junho de 2009 às 23:45
Boa noite Luis,

Faz lembrar alguem que hoje exerce um cargo importante na nossa Republica e que dizia assim:

"Nunca me engano e raramente tenho duvidas"

Abraco.
De Luís Castro a 21 de Junho de 2009 às 17:10
HÁ QUE TER MEMÓRIA!
Ab.
LC
De Hernani a 19 de Junho de 2009 às 23:49
Claro o melhor é todos á molhada como dantes, porque assim é que está bem. Até concordam com a politica comunista do artista esse do sindicato.
Também diga-se de passagem é só para o que ele serve, para desestabilizar.
De Luís Castro a 21 de Junho de 2009 às 17:12
Todos temos motivações pessoais.
A pessoa em causa também.
Ab.
LC
De taniapereira a 20 de Junho de 2009 às 02:04
Olá Luís, estou pasmada!! Mas, afinal, o que é isto?
A senhora anda a brincar com quem?
Olha outra arrogante a fazer campanha eleitoral! Já não há paciência para nada nem ninguém.
Resta-nos o sonho Luís, porque "quando o Homem sonha, o mundo pula e avança, como uma bola colorida, nas mãos de uma criança."
Seremos ainda capazes de sonhar?
bjs
De Luís Castro a 21 de Junho de 2009 às 17:13
Mas também há professores que pulam, pulam e não querem avançar.
Nem todos, mas há alguns.
LC
De taniapereira a 20 de Junho de 2009 às 02:22
Esqueci-me de responder à questão! Se quero ser avaliada? acho que nunca pensei nisso porque a avaliação foi-me imposta. Não me incomoda nada que assistam às minhas aulas. Não sou uma excelente professora. Sou uma professora normal, em constante formação e aprendizagem. Cometo erros como qualquer outro trabalhador. Mas vocês, jornalistas, pais, cidadãos, porque querem que os professores sejam avaliados? O que é um professor excelente?
De Carla Cruz a 20 de Junho de 2009 às 11:57
Eu enquanto cidadã - e também professora (ensino superior, onde a avaliação também não é a mais eficaz) - concordo com as avaliações profissionais. Daí ficar um bocado chocada com a questão que faz!!! Agora percebo que num país onde as pessoas não estão habituadas a avaliar e muito menos a ser avaliadas ao nível das suas competências, acabe por haver disrupções no sistema, mas que acredito que ao longo do tempo, por aperfeiçoamento e por habituação, as coisas acabem por se auto-organizar!
Mas acho escabrosa a recusa - só porque não - de se ser avaliado!
A excelência só pode vir pelo erro. Para isso temos de ser alertados para ele...
Cumprimentos,
Carla Cruz
De taniapereira a 20 de Junho de 2009 às 21:06
Não vale a pena chocar-se com tão pouco! Com a minha questão pretendia apenas tentar perceber porque razão querem que os professores sejam avaliados, que parâmetros de avaliação contemplar, que modelo de professor querem os pais e a sociedade, em geral? Sujeitei-me a um processo de avaliação sem as regras do jogo estarem definidas. Não disse NÃO. Mas, Avaliação de professores para não progredirem na carreira, ganharem menos euros e poupar uns trocos? Quero lá saber da carreira. Quero sim dar o melhor de mim aos alunos que me são confiados.
E, segundo percebi pelas suas palavras, este modelo de avaliação não se estende aos professores do ensino superior. É pena, nas duas licenciaturas em ensino que já tive oportunidade de fazer tive péssimos professores, ou investigadores, ou cientistas, ou sei lá bem o quê, pois nas nossas faculdades qualquer um é professor, ou quase. E com este modelo de avaliação talvez os professores que não deviam ser professores fossem afastados. Acham?
De Luís Castro a 21 de Junho de 2009 às 17:22
Visto.
LC
De Luís Castro a 21 de Junho de 2009 às 17:18
Visto.
LC
De Luís Castro a 21 de Junho de 2009 às 17:15
Tânia, tamém sou avaliado.
E vocês, não?
Porquê?
Bj
LC

*** Parece que o fds semana está quente ( a arder) na nossa terra...
De RUI FERREIRA a 20 de Junho de 2009 às 11:00
JULGO QUE NINGUÉM ESTÁ A VER O PROBLEMA "FRIAMENTE".
1 - A MINISTRA ESTÁ SOBRE PRESSÃO
2 - OS SINDICATOS (SÃO VÁRIOS), NÃO EXPLICAM CONVENIENTEMENTE AS DIVERGÊNCIAS. OU OPTAM POR "GREVES" OU "MANIFESTAÇÕES"
3 - OS PROFESSORES ESTÂO A SER MALTRATADOS, "ENTALADOS", ENTRE, AS CONVENIÊNCIAS "SINDICALISTAS", E A "TEIMOSIA DA MINISTRA".
NÃO É NOVIDADE A FALTA DE CONDIÇÕES DE "TRABALHO DOS PROFESSORES", UMA PROFISSÃO QUE DEVIA SER RESPEITADA.
PORQUÊ, EXISTINDO EM TODAS AS ESCOLAS UM "CONSELHO DIRECTIVO", NOMEAREM UM REPRESENTANTE, E APRESENTAR UM CADERNO REIVINDICATIVO, PARA SE REUNIREM COM A MINISTRA???
FAZ-ME UM POUCO DE CONFUSÃO TANTA CONTROVÉRSIA, COM MAIS ASPECTOS "POLÍTICOS PARTIDÁRIOS", DO QUE PRÓPRIAMENTE, RESOLVER OS PROBLEMAS, PARA O "BEM ESTAR" DOS PROFESSORES, ALUNOS, E MELHORIA DAS ESCOLAS??
HAVIA MUITO MAIS A ACRESCENTAR, MAS NÃO É COM "GREVES", PORQUE OS DIAS SÃO DESCONTADOS NO SALÁRIO, OU "MANIFESTAÇÕES",
QUE SÓ CRIA CONFUSÃO.
SE ACHARM NECESSÁRIO NAS CONVERSAÇÕES, INCLUIR UM ELEMENTO "SINDICALISTA" TUDO BEM...
NÃO SEJAMOS TÃO "LATINOS COM SANGUE NA GUELRA", PORQUE SÓ COM O DIÁLOGO SE RESOLVEM OS PROBLEMAS.
FAÇAM PF ESTA DILIGÊNCIA E NÃO "EXTREMAM" AS POSIÇÕES.
NÃO DEFENDO NINGÉM, MAS PARECE-ME QUE A SRA. MINISTRA JÁ MOSTROU FLEXIBILIDADE.
OBRIGADO POR PERMITIEM ESTA"SUGESTÃO" PARA BEM DE TODOS.
RUI
De Luís Castro a 21 de Junho de 2009 às 17:16
Mas somos latinos!!!
Ab.
LC
De mugabe a 21 de Junho de 2009 às 17:35
Meu caro, vim aqui por ter ouvido falar (bem) do blog ao meu amigo Sensei, ..mas fiquei desiludido e nem podia ser doutra maneira,...você é empregado da RTP e portanto não pode ser muito cáustico em relação aos seus patrões, senão é despedido, quando muito dá uma no cravo e outra na ferradura,..que foi o que acabou de fazer.

O problema dos professores é a política educativa (não só a avaliação) e estes já disseram que querem ser avaliados, não da maneira que a ministra pretende, mas querem discutir a avaliação com a ministra,..o problema (que você aparentemente não vê) é que por detrás disto há uma intenção do governo Sócas de prejudicar o ensino duma maneira geral e não só os professores, mas também os alunos.
De Luís Castro a 22 de Junho de 2009 às 19:55
Meu caro Mugabe,
primeiro:
quem são os meus "patrões" que refere? O Governo? Está muito enganado. O meu único "patrão" é a verdade. Não o censuro pelo comentário que faz sobre mim. Não me conhece e isso faz toda a diferença.
Segundo:
quanto a dar uma no cravo e outra na ferrudura, pois bem, basta dar uma volta pelos posts anteriores para perceber qual é a minha posição sobre a matéria.
Terceiro:
o Mugabe muito provavelmente é professor ou tem afinidades com o sector.
Quarto:
a política educativa também se faz com os professores e não basta dizer que querem ser avaliados: mostrem-no!
Quinto:
querem discutir o modelo de avaliação?! Deixe-me rir. Vocês sim, mas os sindicatos têm uma agenda política, meu caro. E quem lá está tem ambições políticas.
Sexto:
Não posso partilhar a sua opinião quando diz que "que por detrás disto há uma intenção do governo Sócrates de prejudicar o ensino duma maneira geral e não só os professores, mas também os alunos."
O que há - e é o caso - uma inabilidade e teimosia tremenda da Ministra da Educação. Podemos não concordar com as políticas educativas (também não concordo com algumas), mas dizer que há uma intenção de prejudicar os professores e os alunos não acha que é de quem não é suficiente isento nesta matéria como será o seu caso?

Ab e volte sempre.
Este espaço é para isto mesmo: trocar a ideiais e dizer o que nos vai na alma, mesmo que discordemos.
Luís Castro
De Luís Castro a 22 de Junho de 2009 às 23:13
Ah, e um abraço para o seu Sensei.
Sei que "vocês" (LOL) andeam por aqui...
LC
De Luís Castro a 22 de Junho de 2009 às 23:14
"andam"
LC

Comentar post

Reportagem Angola - 1999



Reportagem Iraque - 2005


Reportagem Guiné - 2008


Reportagem Guiné - 2008


Reportagem Afeganistão - 2010

Livros

"Repórter de Guerra" relata alguns dos conflitos por onde andei. Iraque, Afeganistão, Angola, Cabinda, Guiné-Bissau e Timor-Leste. [Comprar]



"Por que Adoptámos Maddie" aborda o fenómeno mediático gerado à volta do desaparecimento de Madeleine McCann. [Comprar]


Sugestões para reportagem



Milhão e meio de portugueses elegem diariamente o Telejornal da RTP.
E porque o fazemos para vós, quero lançar-vos um desafio: proponho que usem o meu blogue para deixarem as vossas sugestões de reportagem.

Luís Castro
Editor Executivo
Informação - RTP

E-mail: cheiroapolvora@sapo.pt

Perfil

Jornalista desde 1988
- 8 anos em Rádio:
Rádio Lajes (Açores)
Rádio Nova (Porto)
Rádio Renascença
RDP/Antena 1

- Colaborações em Rádio:
Voz da América
Voz da Alemanha
BBC Rádio
Rádio Caracol (Colômbia)
Diversas - Brasil e na Argentina

- Colaborações Imprensa:
Expresso
Agência Lusa
Revistas diversas
Artigos de Opinião

RTP:
Editor de Política, Economia e Internacional na RTP-Porto (2001/2002)
Coordenador do "Bom-Dia Portugal" (2002/2004)
Coordenador do "Telejornal" (2004/2008)
Editor Executivo de Informação (2008/2010)

Enviado especial:
20 guerras/situações de conflito

Outras:
Formador em cursos relacionados com jornalismo de guerra e com forças especiais
Protagonista do documentário "Em nome de Allah", da televisão Iraniana
ONG "Missão Infinita" - Presidente

Obras publicadas:
"Repórter de Guerra" - autor
"Por que Adoptámos Maddie" - autor
"Curtas Letragens" - co-autor
"Os Dias de Bagdade" - colaboração
"Sonhos Que o Vento Levou" - colaboração
"10 Anos de Microcrédito" - colaboração

Pesquisar blog

Arquivos

Abril 2016

Janeiro 2016

Outubro 2015

Junho 2015

Maio 2015

Fevereiro 2013

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Agosto 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Categorias

política

economia

angola 2008

iraque 2008

sexo

afeganistão 2010

mau feitio

televisão

eua

mundo

amigo iraquiano

futebol

curiosidades

telejornal

saúde

iraque

missão infinita

religião

repórter de guerra - iraque

euro2008

guiné

humor

repórter de guerra - cabinda

acidentes

criminalidade

jornalismo

polícia

segurança

solidariedade

rtp

sociedade

terrorismo

afeganistão

caso maddie

crianças talibés

desporto

diversos

férias

futuro

justiça

todas as tags

subscrever feeds