Quinta-feira, 9 de Julho de 2009

De Bagdad para Kabul

O Afeganistão é a guerra que Obama escolheu.

De resto, as grandes cadeias de televisão norte-americanas estão a transferir os seus escritórios de Bagdad para Kabul.

 

Ontem, o comandante dos marines no Afeganistão disse para Washington que necessita de mais soldados, especialmente afegãos. Os EUA têm pedido um maior esforço dos seus aliados na NATO.

 

Hoje, Portugal decidiu que vai reenviar os “Comandos” para o teatro das operações. Uma companhia (150 soldados) deverá seguir já no ínico do próximo ano.

 

Deixo-vos algumas fotografias retiradas da minha última ida ao Afeganistão.

 

 

Luís Castro

publicado por Luís Castro às 20:53
link do post | comentar
27 comentários:
De Cibereporter a 9 de Julho de 2009 às 22:06
Entretanto, a violência sectária regressa ao Iraque. Quatro atentados semearam a morte na capital e na província de Nineveh esta 5a feira. No Afeganistão, os EUA dão o tudo por tudo com a ajuda do exército paquistanês do outro lado da fronteira. Um importante comandante talibã terá ficado ferido no vale paquistanês de Swat.

"Pakistan reported Wednesday that Maulana Fazlullah, the wanted architect of a two-year Taliban uprising in the northwest Swat valley to enforce sharia law, elsewhere in the northwest, was injured during a recent army offensive."

http://www.google.com/hostednews/afp/article/ALeqM5g3Sn7eupqvufBVA3frHVGt7llsoQ
De Luís Castro a 10 de Julho de 2009 às 00:18
No Iraque, eu diria que nunca acabou.
Os media é que desviaram as atenções pardo Iraque para o Afeganistão.
Ab.
LC
De Virgínia a 10 de Julho de 2009 às 09:05
Bom dia Luís
As guerras são sempre horríveis em qualquer parte do mundo.
O sofrimento das pessoas é enorme.
Ontem, quando navegava pelas notícias na net, dei comigo a sorrir com um episódio passado no Afeganistão.
"No dia 10 de Junho, tropas afegãs foram convidadas, pelas nossa tropas, para um almoço português.
A nossa gastronomia foi um sucesso!"
O que me fez sorrir foi os afegãos quererem aprender a fazer a(s) nossa(s) fabulosa(s)... sopa(s)!
É comovente saber como a sopa, tantas vezes desprezada na mesa dos portugueses, foi capaz de ser um elo de união entre duas culturas tão diferentes!

Gosto das sua fotos principalmente no barbeiro... sempre impecável!
Beijos
De Luís Castro a 11 de Julho de 2009 às 21:24
A sopa é das coisas que mais saudades tenho quando estou no estrangeiro.
Ab.
LC
De Helder Pereira a 10 de Julho de 2009 às 10:30
Olá Luís. Se queres a minha opinião, este escolhade Obama é uma desilusão para mim. os EUA têm que meter na cabeça que não podem andar a fazer guerras ao sabor de:
1-Os seus interesses geo-estratégicos (petróleo, etc.)
2-Criar guerras "sazonalmente" para manter a sua industria de armamento a ganhar rios de dinheiro.

Esta é a mais pura das verdades doa a quem doer. E enquanto assim se mantiver não vais a lado nenhum em termos de paz.

Se o Sadam era tão mau, então porque não se revoltaram os Iraquianos? Nós também nos revoltamos quando achamos que já chegava... Olha, os Iranianos andam a faze-lo, assim como os monges budistas do Tibete contra a China. Onde andam aqui os EUA? Bom mais isto dava pano para mangas.

Completamente "off-topic", que tal fazer uma peça sobre as recentes mortes na linha so metro de ALmada? Hein! Uma peça a sério onde se mostre que foi uma bela obra, com o triplo do dinheiro orçamentado e que, pelo que se vê, está perfeita em termos de segurança...

Abraço!
De Luís Castro a 11 de Julho de 2009 às 21:27
Helder,
não tens visto o telejornal!
Ai, ai. Andas na concorrência.
Procura na página da RTP e encontrarás uma excelente reportagem feita pela jornalista Margarida Neves de Sousa.
Grande abraço.
LC
De Helder Pereira a 13 de Julho de 2009 às 09:11
Apanhado! E bem merecido!

Não, concorrência é difícil , mentira, muito, mas muito difícil ! A verdadeira concorrência só se fosse do 2. Mas admito que tenho andado arredado dos telejornais. Por uma razão muito melhor (tenho dedicado muito mais tempo a toda a minha família e aproveitado mais o meu tempo em casa) e simplesmente, ver noticias para me contarem um a um os mortos de uma guerra ou os infectados de gripe A, não muito obrigado.

Bem apanhado.

Vi há dias, por mero acaso, o telejornal do canal estatal de Itália TG1 ), penso que ainda é estatal. Fiquei siderado com uma coisa, dura 30 minutos!!!!!! 30, trinta!!!!, minutos!!! E dá tantas ou mais noticias que os telejornais de cá (pelo menos desde a altura em que eu os via, a não ser que nos últimos 20 ou 30 dias tenha existido uma revolução na informação portuguesa). Não sou fluente em italiano para poder ajuizar de da qualidade das noticias mas do que percebi tratam muitos dos mesmo assuntos, excepto os nacionais (nossos de deles).

Um abraço.

P.S.: Já ouviste falar da nova lei que vai permitir conduzir motos até 11Kw com carta de carro? Olha só o leque de eléctricas que passas a poder usar . Agora é que eu não perdoo!!
De Luís Castro a 13 de Julho de 2009 às 21:20
Terei de negociar com a minha mulher...
LOL
Ab.
LC
De Jonas Matos a 10 de Julho de 2009 às 12:13
Continuo sem perceber, em concrecto, quais as grandes linhas orientadoras da administração Obama quanto a estas zonas de conflito constante.

Quanto à sugestão de um dos comentadores, sendo eu habitante do concelho de Almada e frequentador do concelho do Seixal, acho que deveria ser feita uma reportagem para mostrar as medidas estalinistas dos presidentes das C.M.S e CMA.
De Luís Castro a 11 de Julho de 2009 às 21:29
Isso agora é mais difícil.
Com a campanha à porta...
Nesta altura não podemos ir por aí, ou estaríamos a entrar em caminhos perigosos.
Ab.
LC
De Pedro Oliveira a 10 de Julho de 2009 às 12:27
Dois teatros de Guerra que ainda vão durar muitos anos, a comunidade internacional não pode de lá sair, senão seria o caos.Bom trabalho o do Ministro Luís Amado.
De Helder Pereira a 10 de Julho de 2009 às 15:12
Sr. Pedro Oliveira, não me leve a mal, mas responda-me ao seguinte: O Iraque estava pior do está agora depois da intervenção dos EUA? O Afeganistão também? E se andamos com o argumento de intervir porque não concordamos com as religiões ou culturas diferentes e queremos impor a "nossa" democracia (que gerou a crise que todos sabemos), então que tal irmos até alguns destes sítios que me vêm assim de repente (sem pensar muito em mais alguns) Etiópia, Somália (ups já lá estiveram e deram-se mal e como não tem petróleo...), Sudão, Congo, Ruanda, Uganda, um bem nosso conhecido e eleito o primeiro narco-estado a Guiné, Myanmar. TODOS estes têm problemas iguais ou piores do que os que foram dados como "razões" para se intervir no Iraque e Afeganistão.

Mas pronto, como já referi acima, dá pano para muitas mangas e não há comentários que cheguem para isto
De Luís Castro a 11 de Julho de 2009 às 21:32
Visto.
LC
De Luís Castro a 11 de Julho de 2009 às 21:31
Aquilo está para durar.
Ab.
LC
De RUI FERREIRA a 10 de Julho de 2009 às 17:29
A POLÍTICA EXTERNA AMERICANA "SEMPRE DEIXOU MUITO A DESEJAR". ESTES CONFLITOS IRÃO MANTER-SE, INFELIZMENTE ETERNAMENTE.
HÁ UMA SOLUÇÃO PARA PELO MENOS "NÃO AGRAVAR O CONFLITO".
PRIMEIRO: EVITAR O FORNECIMENTO DE MATERIAL...
SEGUNDO: DIALOGAR DIRECTAMENTE COM OS LÍDERES.
TERCEIRO: CONSEGUIR ESTABELECER UM ACORDO "DE PAZ".
QUARTO: RETIRAR TODA A TROPA ENVOLVIDA NO CONFLITO.
FAZ-ME RECORDAR "A TEIMOSIA PORTUGUESA", QUE SE ARRASTOU POR LONGOS ANOS, MAS NO FUNDO ERA SIMPLES. BASTAVA DIALOGAR E USAR DE INTELIGÊNCIA...O MESMO ACONTECE, NESTE SÉCULO...OBAMA ESTÁ A AGIR AINDA "SOBRE INFLUENCIA BUSH", MAS QUANDO ACORDAR, CERTAMENTE QUE ENCONTRA UMA SOLUÇÃO...
O PROBLEMA POR DETRÁS DE ALGUNS CONFLITOS "SÃO "OS INTERESSES DE ALTAS ESFERAS", QUE LUCRAM COM O "NEGÓCIO DE ARMAS".JÁ NÃO ME REFIRO AOS "MERCENÁRIOS"...
FICAMOS POR AQUI BF LC RUI
De Luís Castro a 11 de Julho de 2009 às 21:33
O Mundo não sabe viver sem uma guerra em curso, pelo menos.
LC
De Filipe Alves a 10 de Julho de 2009 às 20:02
Olá Luís,

Estou exactamente a trabalhar o conflito no Afeganistão na minha tese de mestrado (UM), ou melhor a NATO no Afeganistão, para a qual esta é a prioridade das prioridades.
Este é um conflito importante, não só para a NATO como para o subsistema Ocidental, se bem que este conflito está ele a moldar o sistema internacional.
A manutenção de Robert Gates no cargo não foi por acaso e Obama está avisado da importância deste conflito , e embora muitos portugueses critiquem (por vezes não compreendem a necessidade do envio de tropas), o nosso PR tem estado também muito consciente da importância deste conflito.
Digo que não é fácil, se lermos a história do Afeganistão, principalmente a partir de Durrain , facilmente compreendemos porquê.
De Luís Castro a 11 de Julho de 2009 às 21:41
Filipe,
és jornalista?
Se necessitares de ajuda, avisa.
Ab.
LC
De Filipe Alves a 12 de Julho de 2009 às 14:53
Olá Luis,
Por acaso não sou jornalista :) sou de relações internacionais e o mestrado é também em RI.
Talvez venha a utilizar a sua ajuda :)
Parabéns pela coragem de ir a um território como o Afeganistão, onde o perigo está ao virar da esquina.
Ab.
Filipe Alves
De Luís Castro a 12 de Julho de 2009 às 17:25
Obrigado.
Quando necessitares, envia contacto para o mail do blogue que eu ligo de volta.
Abraço
LC
De Cibereporter a 11 de Julho de 2009 às 18:23
É importante salientar que o conflito no Afeganistão é vital na guerra ao terrorismo, em particular contra a Al-Qaida. E esse terá sido um dos principais motivos para os aliados se terem mudado de armas e bagagens para aquele "safe haven" de Bin Laden, Al-Zawihiri e companhia (principalmente o norte do Paquistão). A presença massiça dos Estados Unidos no Iraque foi obrigatória para salvar a face após uma invasão que terá sido um grande erro (económico talvez não). O Irão (xiita) bem que pode agradecer aos EUA, já que a ameaça de armas de destruição massiça servia, aparentemente, para Saddam Hussein meter o inimigo iraniano em sentido. Agora, os xiitas dominam Bagdade e o país está destruído. Depois de um banho de sangue no Iraque (ainda hoje houve mais um atentado) e 8 anos após o 11 de Setembro, a ameaça terrorista continua bem viva onde sempre terá tido a sua origem.

Vamos ver que futuro reserva aos aliados num terreno onde os soviéticos perderam. Para os interessados aconselho este filme: http://www.imdb.com/title/tt0417397/ -----------------> Amostra: http://www.youtube.com/watch?v=5MwZCyAhjz8
Uma perspectiva russa sobre o conflito soviético no Afeganistão num filme com alguma qualidade.

Desculpem lá mas hoje deu-me para este lado. Continuação do bom trabalho, Luís.
De Cibereporter a 11 de Julho de 2009 às 18:50
Bom, com tantos tiros no meio escrevi por lapso massiça quando é na verdade maciça. É a eterna confusão entre massivo e maciço. Aliás, o termo massivo tem sido centro de debate se é menos correcto dizer armas de destruição massiva (em vez do usual termo maciça), pois os franceses dizem "armes de destruction massive" (ADM). Pessoalmente, acho que vai dar ao mesmo.
De Luís Castro a 11 de Julho de 2009 às 21:51
Visto.
LC
De Luís Castro a 11 de Julho de 2009 às 21:50
Não me parece que as tropas da NATO tenham tarefa fácil.
Conheço o Norte e o Sul do Afeganistão e aquilo não é um buraco, é um atoleiro!
Ab.
LC
De mugabe a 13 de Julho de 2009 às 20:58
Hoje vi na RTP Márcia Rodrigues a fazer reportagem no Afeganistão e gostei. Objectiva e natural,..não como um certo Cócó armado em Rambo que julga que é o maior!!

AHHH espero sinceramente que as tropas invasoras tanto no Iraque como no Afeganistão, principalmente depois das torturas infligidas, levem no toutiço e tenham as maiores baixas possíveis,..principalmente os Américas e os Bifes que são uns grandes filhos da puta.
De Anónimo a 14 de Julho de 2009 às 09:01
Onde será que eu vi estas imagens?

Um grande abraço

"O do lápis azul"
De Luís Castro a 15 de Julho de 2009 às 20:55
Também lá estavas, meu amigo!
ehehehehe
Ab.
LC

Comentar post

Reportagem Angola - 1999



Reportagem Iraque - 2005


Reportagem Guiné - 2008


Reportagem Guiné - 2008


Reportagem Afeganistão - 2010

Livros

"Repórter de Guerra" relata alguns dos conflitos por onde andei. Iraque, Afeganistão, Angola, Cabinda, Guiné-Bissau e Timor-Leste. [Comprar]



"Por que Adoptámos Maddie" aborda o fenómeno mediático gerado à volta do desaparecimento de Madeleine McCann. [Comprar]


Sugestões para reportagem



Milhão e meio de portugueses elegem diariamente o Telejornal da RTP.
E porque o fazemos para vós, quero lançar-vos um desafio: proponho que usem o meu blogue para deixarem as vossas sugestões de reportagem.

Luís Castro
Editor Executivo
Informação - RTP

E-mail: cheiroapolvora@sapo.pt

Perfil

Jornalista desde 1988
- 8 anos em Rádio:
Rádio Lajes (Açores)
Rádio Nova (Porto)
Rádio Renascença
RDP/Antena 1

- Colaborações em Rádio:
Voz da América
Voz da Alemanha
BBC Rádio
Rádio Caracol (Colômbia)
Diversas - Brasil e na Argentina

- Colaborações Imprensa:
Expresso
Agência Lusa
Revistas diversas
Artigos de Opinião

RTP:
Editor de Política, Economia e Internacional na RTP-Porto (2001/2002)
Coordenador do "Bom-Dia Portugal" (2002/2004)
Coordenador do "Telejornal" (2004/2008)
Editor Executivo de Informação (2008/2010)

Enviado especial:
20 guerras/situações de conflito

Outras:
Formador em cursos relacionados com jornalismo de guerra e com forças especiais
Protagonista do documentário "Em nome de Allah", da televisão Iraniana
ONG "Missão Infinita" - Presidente

Obras publicadas:
"Repórter de Guerra" - autor
"Por que Adoptámos Maddie" - autor
"Curtas Letragens" - co-autor
"Os Dias de Bagdade" - colaboração
"Sonhos Que o Vento Levou" - colaboração
"10 Anos de Microcrédito" - colaboração

Pesquisar blog

Arquivos

Abril 2016

Janeiro 2016

Outubro 2015

Junho 2015

Maio 2015

Fevereiro 2013

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Agosto 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Categorias

política

economia

angola 2008

iraque 2008

sexo

afeganistão 2010

mau feitio

televisão

eua

mundo

amigo iraquiano

futebol

curiosidades

telejornal

saúde

iraque

missão infinita

religião

repórter de guerra - iraque

euro2008

guiné

humor

repórter de guerra - cabinda

acidentes

criminalidade

jornalismo

polícia

segurança

solidariedade

rtp

sociedade

terrorismo

afeganistão

caso maddie

crianças talibés

desporto

diversos

férias

futuro

justiça

todas as tags

subscrever feeds