Terça-feira, 29 de Setembro de 2009

Tanto barulho para isto?

 

Afinal basta um bom técnico de informática para resolver o problema de Cavaco Silva!

 

 

O que o Presidente dissera:

- Que não é ingénuo.

- Que depois das eleições iria pedir explicações sobre Segurança.

 

O que o Presidente disse:

- Que o PS tentou colá-lo ao PSD.

- Que foi forçado a divulgar as suas leituras pessoais

 

O que o Presidente não disse:

- Suspeita ter sido escutado?

- Mandou Fernando Lima plantar uma notícia no Público?

 

O que o Presidente não tem bem a certeza:

- Pelo que lhe disse, Fernando Lima não falou em nome do PR.

- Pelo que lhe dizem, elementos da Casa Civil não participaram na elaboração do programa eleitoral do PSD.

 

O que o Presidente teme:

- Que os seus mails possam ser violados .

- Que há vulnerabilidade no sistema informático da Presidência da República

 

O que o Presidente pergunta várias vezes:

- É crime ter suspeitas?

- Será que alguém lê os meus mails?

 

Após ESCUTAR bem o PR, pergunto eu:

 

Era necessária tanta polémica e suspense?

Não deveria o PR ter esclarecido logo as dúvidas?

Não deveria ter colocado um ponto final no assunto durante a sua intervenção ao país?

Cavaco Silva hipotecou um segundo mandato pela forma como geriu a polémica das escutas?

Como será o seu relacionamento daqui em diante com José Sócrates?

Como fica o Jornalismo no meio de toda esta confusão?

Como estarão os portugueses a ver tudo isto?

 

Espero pelas vossas respostas - pertinentes, como sempre.

 

Luís Castro

publicado por Luís Castro às 21:58
link do post | comentar
46 comentários:
De Jorge Soares a 29 de Setembro de 2009 às 23:05
Olá Luís

No fim de tudo isto, eu não percebi de que foi o homem falar, esteve ali não sei quanto tempo e não disse nada... quer dizer, nada que fizesse sentido.

A estas alturas já o PSD está a pensar em quem será o seu candidato para as presidenciais... acho que a carreira politica deste senhor... já era.

Abraço
Jorge Soares
De Luís Castro a 30 de Setembro de 2009 às 14:37
As ideias estavam muito confusas e pouco ou mal estruturadas.
Gostava de ter ouvido o PR a terminar a intervenção colocando uma pedra sobre o assunto.
Não aconteceu.
LC
De Anónimo a 29 de Setembro de 2009 às 23:09
- Não há sistemas de comunicação (telefones, telemóveis , internet, intranet ,...) que estejam blindados ao ponto de impedirem o acesso por quem não esteja autorizado. Poderá ser mais ou menos fácil de o fazer!
- E, assumindo como verdadeiras a existência de vigilância, será que têm/tiveram/terão assim tanto valor politico? Servem para quê? Honestamente?
Qualquer jornalista que acompanhe com regularidade o PR ou o PM sabem, mais ou menos, do que se fala e como se fala. Conhecem várias "fontes", funcionários, colaboradores... sabem de conversas de corredor, off-records ... Por isso tenho as minhas dúvidas de que as novidades sejam assim tantas!!
- Que deixou de haver um clima de confiança e de "cooperação estratégica" entre o PR e o PM parece óbvio.
- Só para recordar, há uns anos, não muitos, houve uma série de OCS a noticiar a facilidade com que se poderia escutar o Palácio de Belém, desde a rua ou do rio Tejo, bastando um microfone direccional... Será que já não é assim? Ou agora já não importa... E o microfone encontrado no gabinete do antigo PGR Cunha Rodrigues...
De Luís Castro a 30 de Setembro de 2009 às 14:40
A imprensa está a ajudar, a criar ou alimentar muitos factos artificiais.
O jornalismo não é o 4º poder, dorme é no quarto do poder!
LC
De Márcia a 30 de Setembro de 2009 às 00:32
Bom, falhei a minha previsão de que não abordava o caso das escutas, mas não na que não ia dizer "nada"...ou melhor, disse muito, mas não algo que possamos entender. Pessoalmente fiquei com mais dúvidas, afinal não há verdade nas notícias que o colam às escutas, mas a notícia saiu no Público...ora terá o jornalista sonhado com a fonte durante a noite? O PR indigna-se com o Diário de Noticias e com o Público, não seria igualmente motivo de indignação?Ora acredito que ele não tem culpa da utilização que foi feita do caso, nem do PS ter aproveitado para se vitimizar, nem do PSD ter transformado o caso numa arma de arremesso, mas potenciou o caso. Se tivesse dito em Agosto que as notícias não eram da sua responsabilidade, não seria mais fácil? Quanto à participação dos membros da casa civil na elaboração do programa, afinal quem tem razão, ele diz que não, a reacção do PS diz que até foi publicitado no site do PSD?! Se hipotecou o 2º mandato não sei, mas que a imagem do PR saiu muito beliscada saiu...veremos quem se irá candidatar à esquerda e que partidos irá congregar...Depois a questão da vulnerabilidade dos sistemas informáticos é demasiado ambígua , todos sabemos que há vulnerabilidade em todos os sistemas, a questão era saber se ele acha que o governo/PS utilizou essa vulnerabilidade..acho que os portugueses queriam essa frontalidade, ou é, ou não é...agora nim não me parece que sirva! Para a maioria dos portugueses a politica parece um jogo cada vez mais sujo e assistem a este digladiar sem perceber porque esse confronto é mais importante que resolver os nossos problemas. Finalmente quanto aos comportamento dos jornalistas, peço desculpa ao Luís, que não é pessoalmente incluído nesta crítica, mas foi miserável. A proporção que isto assumiu deve-se à facilidade com que se publicam rumores como se de factos se tratassem l, normalmente com o intuito de lançar mais que suspeitas, polémica...Parece que há um certo prazer em ver o "circo pegar fogo". O pior é que nunca se responsabilizam os autores da "brincadeira", a minha dúvida é saber como o poderíamos fazer sem limitar a necessária liberdade de expressão dos jornalistas. É um dos casos em que a solução não se afigura fácil...mas acho que indubitavelmente a situação neste domínio tem piorado.
De Luís Castro a 30 de Setembro de 2009 às 14:42
O Jornalismo não sai nada bem nesta fotografia.
Bj
LC
De Gomez a 30 de Setembro de 2009 às 01:29
..... a maçonaria no seu melhor......!!!!!!
De Luís Castro a 30 de Setembro de 2009 às 19:15
Quem?
Cavaco ou quem supostamente escuta?
LC
De Gomez a 1 de Outubro de 2009 às 00:34
Cavaco não sei se é .... agora quem escutou ou queria escutar não tenho dúvidas!! Eles (ou ela,maçonaria) estão em todas!! É omnipresente!!!
De Luís Castro a 1 de Outubro de 2009 às 13:42
Já acredito em tudo...
Ab.
LC
De manel a 30 de Setembro de 2009 às 01:34
Que falta de caridade!
Meus senhores, tenham dó da criatura. Já pensaram no sofrimento que tantas dúvidas provocam a um homem que as não tinha?
E nem se atrevam a pôr em causa a possibilidade de se ter enganado nas suas suspeitas. Seria o fim de quem nunca se engana.
Haja decência!
De Luís Castro a 30 de Setembro de 2009 às 14:43
É verdade.
Cavaco Silva raramente tinha dúvidas e ontem revelou que afinal tem como qualquer um dos mortais.
LC
De Virgínia a 30 de Setembro de 2009 às 08:54
Bom dia Luís
Tal como comentei o PR falou, mas não disse nada em especial.
O diz que disse; o que sabe que nós sabemos que ele sabe; o que não acontece mas que se supõe que acontece para ver o que seria se acontecesse.... ufa! Tenho aqui um neurónio avariado!
E eu que já lhe tinha perdoado as besteiras de quando foi PM!
Uma coisa é certa ou o nosso PR está muito mal aconselhado ou os conselhos que recebe são da primeira-dama, à noite, quando já está a cair de sono!
Haja paciência!
Beijo
De Luís Castro a 30 de Setembro de 2009 às 14:44
Bjs
LC
De Luís Castro a 30 de Setembro de 2009 às 14:46
O travesseiro costuma ser bom conselheiro.
Ab.
LC
De JAlves a 30 de Setembro de 2009 às 09:19
O que penso disto tudo? Acho que estes políticos portugueses (e não estou só a falar do PR) devem trabalhar mais e falar menos. Eles adoram o exercício mental da politiquice para se evidenciarem neste Portugal pequenino!
Na Ass. Rep. adoram criar comissões para tudo e para nada! Chamam ex-ministros, ex-empresários, presidentes de organismos oficiais, quem eles quiserem!!! Resultados???? Rien...
Nas TVs e rádios adoram aqueles debates para se picarem uns aos outros e darem nas vistas para poderem ir a mais debates, escreverem para um jornal, serem convidados para palestras, conferências e afins...
Resultados??? Nada que se veja!

E nós é que trabalhamos e pagamos para esses senhores (com honsosas excepções) viverem...
Pobre país...

Deixem-me trabalhar!
De Luís Castro a 30 de Setembro de 2009 às 14:50
E o papel dos comentadores?
E as teorias fantásticas que eles debitam a toda a hora e a todo o minuto?
Ab.
LC
De JAlves a 1 de Outubro de 2009 às 12:46
Também, também! Abraços
De Luís Castro a 1 de Outubro de 2009 às 13:55
E o nosso café?
LC
De Dakota a 30 de Setembro de 2009 às 09:34
Era necessária tanta polémica e suspense? Não. Mas que seria da politíca sem polémica e suspense?

Não deveria o PR ter esclarecido logo as dúvidas? Sim. Não lhe apeteceu porque pensou que estaria acima de todos e que não teria de dar explicações. Engana-se. Não está acima de ninguém. As explicações têm mesmo de ser dadas.

Não deveria ter colocado um ponto final no assunto durante a sua intervenção ao país? Pois ...

Cavaco Silva hipotecou um segundo mandato pela forma como geriu a polémica das escutas? Sem dúvida. Pelo menos, enquanto estiver na memória de todos. A ver se surgem mais polémicas ...

Como será o seu relacionamento daqui em diante com José Sócrates? Como será o relacionamento de José Sócrates com o Presidente?

Como fica o Jornalismo no meio de toda esta confusão? Na mesma. Como ficam os portugueses perante o Jornalismo? Mais atentos.

Como estarão os portugueses a ver tudo isto? À espera de Godot ...

De Luís Castro a 30 de Setembro de 2009 às 15:15
E será que os portugueses querem assistir esta novela?
Duvido!!!
LC
De Sónia Pessoa a 30 de Setembro de 2009 às 10:26
Sinceramente? Sem me alongar, acho que os portugueses vêm tudo isto como uma novela mexicana, como um diz que disse, como uma forma de animar uma política desgastada e enfadonha. Rídicula a intervenção do presidente da república, um sei mas não sei que mete até dó... beijocas
De Luís Castro a 30 de Setembro de 2009 às 15:17
Mas eu não quero uma política animada desta forma.
Quero gente que olhe para mim/nós e não para os seus umbigos, como têm andado os políticos (na generalidade) a fazer.
bj
LC
De Sónia Pessoa a 30 de Setembro de 2009 às 16:55
Claro, Luis, foi isso mesmo que eu quis dizer, estou farta destas novelas baratas a que assistimos diariamente, com maus actores à frente dos nossos destinos. Beijoca
De Luís Castro a 30 de Setembro de 2009 às 19:18
Bjs
LC
De Helder a 30 de Setembro de 2009 às 10:50
Bom dia Luís.

Pedes comentários, achas sinceramente que isto de ontem é passível de ser comentado?

É aquilo o Presidente de todos os Portugueses e o garante da Democracia? Uma pessoa que ainda vai inflamar mais os ânimos e não esclarecer NADA do que tem feito?

Não me merece comentários...
De Luís Castro a 30 de Setembro de 2009 às 15:19
O Presidente é e deve ser o garante da estabilidade.
Mas assim não é.
Ab.
LC

Comentar post

Reportagem Angola - 1999



Reportagem Iraque - 2005


Reportagem Guiné - 2008


Reportagem Guiné - 2008


Reportagem Afeganistão - 2010

Livros

"Repórter de Guerra" relata alguns dos conflitos por onde andei. Iraque, Afeganistão, Angola, Cabinda, Guiné-Bissau e Timor-Leste. [Comprar]



"Por que Adoptámos Maddie" aborda o fenómeno mediático gerado à volta do desaparecimento de Madeleine McCann. [Comprar]


Sugestões para reportagem



Milhão e meio de portugueses elegem diariamente o Telejornal da RTP.
E porque o fazemos para vós, quero lançar-vos um desafio: proponho que usem o meu blogue para deixarem as vossas sugestões de reportagem.

Luís Castro
Editor Executivo
Informação - RTP

E-mail: cheiroapolvora@sapo.pt

Perfil

Jornalista desde 1988
- 8 anos em Rádio:
Rádio Lajes (Açores)
Rádio Nova (Porto)
Rádio Renascença
RDP/Antena 1

- Colaborações em Rádio:
Voz da América
Voz da Alemanha
BBC Rádio
Rádio Caracol (Colômbia)
Diversas - Brasil e na Argentina

- Colaborações Imprensa:
Expresso
Agência Lusa
Revistas diversas
Artigos de Opinião

RTP:
Editor de Política, Economia e Internacional na RTP-Porto (2001/2002)
Coordenador do "Bom-Dia Portugal" (2002/2004)
Coordenador do "Telejornal" (2004/2008)
Editor Executivo de Informação (2008/2010)

Enviado especial:
20 guerras/situações de conflito

Outras:
Formador em cursos relacionados com jornalismo de guerra e com forças especiais
Protagonista do documentário "Em nome de Allah", da televisão Iraniana
ONG "Missão Infinita" - Presidente

Obras publicadas:
"Repórter de Guerra" - autor
"Por que Adoptámos Maddie" - autor
"Curtas Letragens" - co-autor
"Os Dias de Bagdade" - colaboração
"Sonhos Que o Vento Levou" - colaboração
"10 Anos de Microcrédito" - colaboração

Pesquisar blog

Arquivos

Abril 2016

Janeiro 2016

Outubro 2015

Junho 2015

Maio 2015

Fevereiro 2013

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Agosto 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Categorias

política

economia

angola 2008

iraque 2008

sexo

afeganistão 2010

mau feitio

televisão

eua

mundo

amigo iraquiano

futebol

curiosidades

telejornal

saúde

iraque

missão infinita

religião

repórter de guerra - iraque

euro2008

guiné

humor

repórter de guerra - cabinda

acidentes

criminalidade

jornalismo

polícia

segurança

solidariedade

rtp

sociedade

terrorismo

afeganistão

caso maddie

crianças talibés

desporto

diversos

férias

futuro

justiça

todas as tags

subscrever feeds