Sábado, 13 de Setembro de 2008

A nova cidade do Huambo

Retirado do livro “Repórter de Guerra”

A antiga Nova Lisboa (Huambo) tem menos refugiados do que Silva Porto (Kuito), mas mesmo assim são cem mil… esqueletos. Um desses «mortos-vivos» teve de ser transportado por outros dois não menos «vivos-mortos» até ao local de distribuição de comida. Mais atrás, uma velha caminha com a ajuda de um pau e chora porque, quando chegar, muito provavelmente, já não haverá comida para ela; os gritos das crianças ouvem-se por todo o campo e as mães nem forças têm para elas, quanto mais para os filhos. Um cenário horrível que começa a ser comum.

 

Estendo o microfone a uma mulher que, deitada no chão, repousa a cabeça sobre o braço direito.

   - Tenho fraqueza, não dá para pegar minha criança.

   - Como tem alimentado a criança?

   Silêncio...

   “A pergunta ficou sem resposta porque a Margarida, como não come há três dias, não tem leite para amamentar a bebé. E, à semelhança destas panelas, também a lata desta criança vai continuar vazia.” A parte final do texto da reportagem é acompanhada por uma imagem que mostra uma menina de três ou quatro anos a brincar com uma lata de conserva, ferrugenta e amassada. Vai colocando pauzitos por debaixo da lata, imaginando que está a cozinhar.

 

A serenidade desta criança contrasta com a gritaria, aqui mesmo ao lado, dos adultos, que se agridem e se insultam por um lugar na fila da distribuição do PAM, o Programa Alimentar Mundial. As mulheres são as mais esgotadas e poucas se mantêm de pé. Os homens deambulam pelo campo, sem que se perceba na busca de quê. “É melhor transportarem-nos de regresso à mata. Assim, a UNITA mata-nos e acaba o sofrimento. Veja as nossas crianças...” É um depoimento forte. Fecho a reportagem dizendo que, segundo as ONG internacionais, dificilmente haverá no mundo um drama humanitário com as dimensões deste que se nos depara em Angola.  

 

O texto relata uma reportagem feita por mim em 1999.

Agora vejam o que é o Huambo em 2008.

 

Praça Agostinho Neto (antiga Praça Norton de Matos), Com os correios e o Palácio do Governador, respectivamente.

 

Av. 5 de Outubro, à entrada da cidade.

 

Nilton, Jorge e Tassi, três irmãos que estudam nas escadas da futura Universidade do Grupo Lusófona no Huambo. Querem ser professores.

 

Mas ainda nem todos os meninos têm a mesma sorte…

http://groups.msn.com/ComunidadeVirtualdoHuambo/obrigadaluscastro.msnw

 

http://ww1.rtp.pt/noticias/index.php?headline=98&visual=25&article=363103&tema=31 

 

Luís Castro no Huambo

publicado por Luís Castro às 09:02
link do post | comentar | ver comentários (37)

Reportagem Angola - 1999



Reportagem Iraque - 2005


Reportagem Guiné - 2008


Reportagem Guiné - 2008


Reportagem Afeganistão - 2010

Livros

"Repórter de Guerra" relata alguns dos conflitos por onde andei. Iraque, Afeganistão, Angola, Cabinda, Guiné-Bissau e Timor-Leste. [Comprar]



"Por que Adoptámos Maddie" aborda o fenómeno mediático gerado à volta do desaparecimento de Madeleine McCann. [Comprar]


Sugestões para reportagem



Milhão e meio de portugueses elegem diariamente o Telejornal da RTP.
E porque o fazemos para vós, quero lançar-vos um desafio: proponho que usem o meu blogue para deixarem as vossas sugestões de reportagem.

Luís Castro
Editor Executivo
Informação - RTP

E-mail: cheiroapolvora@sapo.pt

Perfil

Jornalista desde 1988
- 8 anos em Rádio:
Rádio Lajes (Açores)
Rádio Nova (Porto)
Rádio Renascença
RDP/Antena 1

- Colaborações em Rádio:
Voz da América
Voz da Alemanha
BBC Rádio
Rádio Caracol (Colômbia)
Diversas - Brasil e na Argentina

- Colaborações Imprensa:
Expresso
Agência Lusa
Revistas diversas
Artigos de Opinião

RTP:
Editor de Política, Economia e Internacional na RTP-Porto (2001/2002)
Coordenador do "Bom-Dia Portugal" (2002/2004)
Coordenador do "Telejornal" (2004/2008)
Editor Executivo de Informação (2008/2010)

Enviado especial:
20 guerras/situações de conflito

Outras:
Formador em cursos relacionados com jornalismo de guerra e com forças especiais
Protagonista do documentário "Em nome de Allah", da televisão Iraniana
ONG "Missão Infinita" - Presidente

Obras publicadas:
"Repórter de Guerra" - autor
"Por que Adoptámos Maddie" - autor
"Curtas Letragens" - co-autor
"Os Dias de Bagdade" - colaboração
"Sonhos Que o Vento Levou" - colaboração
"10 Anos de Microcrédito" - colaboração

Pesquisar blog

Arquivos

Abril 2016

Janeiro 2016

Outubro 2015

Junho 2015

Maio 2015

Fevereiro 2013

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Agosto 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Categorias

política

economia

angola 2008

iraque 2008

sexo

afeganistão 2010

mau feitio

televisão

eua

mundo

amigo iraquiano

futebol

curiosidades

telejornal

saúde

iraque

missão infinita

religião

repórter de guerra - iraque

euro2008

guiné

humor

repórter de guerra - cabinda

acidentes

criminalidade

jornalismo

polícia

segurança

solidariedade

rtp

sociedade

terrorismo

afeganistão

caso maddie

crianças talibés

desporto

diversos

férias

futuro

justiça

todas as tags

subscrever feeds