Segunda-feira, 8 de Dezembro de 2008

Tripeiros e Mouros

Afinal o que os separa?

 

 

A eterna rivalidade entre "mouros" e "tripeiros" passou para as páginas de um livro pela mão de dois jornalistas que defendem no papel as maravilhas das suas cidades e aproveitam para desdenhar os símbolos da cidade rival.

 

Não é um assunto novo e reza a história que já no século XIX o "ódio" existia. Pelo menos assim escreveu Eça de Queiroz: "Lisboa inveja ao Porto a sua riqueza, o seu comércio, as suas belas ruas novas, o conforto das suas casas, a solidez das suas fortunas, a seriedade do seu bem-estar. O Porto inveja a Lisboa a Corte, o Rei, as Câmaras, S.Carlos e o Martinho".

 

Hoje, as invejas são outras. No livro "Porto versus Lisboa", António Costa Santos garante que os "mouros" não se importavam nada de ter um Parque da Cidade, "o símbolo acabado da qualidade de vida em ambiente urbano", uma Casa da Música, "um altar dedicado a todas as melomanias", ou um Fantas (festival de cinema dedicado ao fantástico), "o Fantas é o Fantas e está tudo dito".

 

Já António Eça de Queiroz admite que na Invicta dava jeito um Metro, "a sério, estão a ver? Com túneis debaixo da terra e não no meio de autocarros", um Oceanário, "o que o Porto não daria por um oceanário!", ou o Jardim Zoológico, porque não chega "uma cerca com bichos pálidos" nos jardins do Palácio de Cristal.

 

Os autores do livro admitem as invejas, mas só nas últimas páginas. Até lá chegar, dissertam sobre o que de melhor tem a cidade onde nasceram e escolheram viver.

 

A obra foi dividida em capítulos, onde não poderiam faltar os "Santos da Casa" (Santo António e São João), os "Rios do Peito" (Douro e Tejo), as "Bebidas e Petiscos" (pastéis de Belém, francesinhas, pipis, tripas, ginjinha e vinho do Porto), as "Naites" (Bairro Alto e Docas, Ribeira e Cais de Gaia), as "Guerras" (Do levantamento de 1828 ao Cerco do Porto e 1910-1974: a mesma luta) e a "Grande Guerra" (Sport Lisboa e Benfica/ Futebol Clube do Porto).

 

Para que a rivalidade não se tornasse demasiado séria foi dedicado um capítulo às anedotas. E já mesmo no fim do livro, os Antónios assumem que até nem detestam assim tanto a cidade rival. "Gosto muito da granítica, sólida, reivindicativa capital do Norte", admite o "mouro". "Gosto imenso de Lisboa, e continuarei a gostar enquanto puder contar com o apoio da minha paquidérmica memória afectiva", assume por seu lado o "tripeiro".

 

"Porto versus Lisboa" já está nas livrarias e terá duas apresentações oficiais que contarão com a presença de "figuras" que representam as duas cidades.

 

Texto LUSA

publicado por Luís Castro às 21:53
link do post | comentar | ver comentários (42)

Reportagem Angola - 1999



Reportagem Iraque - 2005


Reportagem Guiné - 2008


Reportagem Guiné - 2008


Reportagem Afeganistão - 2010

Livros

"Repórter de Guerra" relata alguns dos conflitos por onde andei. Iraque, Afeganistão, Angola, Cabinda, Guiné-Bissau e Timor-Leste. [Comprar]



"Por que Adoptámos Maddie" aborda o fenómeno mediático gerado à volta do desaparecimento de Madeleine McCann. [Comprar]


Sugestões para reportagem



Milhão e meio de portugueses elegem diariamente o Telejornal da RTP.
E porque o fazemos para vós, quero lançar-vos um desafio: proponho que usem o meu blogue para deixarem as vossas sugestões de reportagem.

Luís Castro
Editor Executivo
Informação - RTP

E-mail: cheiroapolvora@sapo.pt

Perfil

Jornalista desde 1988
- 8 anos em Rádio:
Rádio Lajes (Açores)
Rádio Nova (Porto)
Rádio Renascença
RDP/Antena 1

- Colaborações em Rádio:
Voz da América
Voz da Alemanha
BBC Rádio
Rádio Caracol (Colômbia)
Diversas - Brasil e na Argentina

- Colaborações Imprensa:
Expresso
Agência Lusa
Revistas diversas
Artigos de Opinião

RTP:
Editor de Política, Economia e Internacional na RTP-Porto (2001/2002)
Coordenador do "Bom-Dia Portugal" (2002/2004)
Coordenador do "Telejornal" (2004/2008)
Editor Executivo de Informação (2008/2010)

Enviado especial:
20 guerras/situações de conflito

Outras:
Formador em cursos relacionados com jornalismo de guerra e com forças especiais
Protagonista do documentário "Em nome de Allah", da televisão Iraniana
ONG "Missão Infinita" - Presidente

Obras publicadas:
"Repórter de Guerra" - autor
"Por que Adoptámos Maddie" - autor
"Curtas Letragens" - co-autor
"Os Dias de Bagdade" - colaboração
"Sonhos Que o Vento Levou" - colaboração
"10 Anos de Microcrédito" - colaboração

Pesquisar blog

Arquivos

Abril 2016

Janeiro 2016

Outubro 2015

Junho 2015

Maio 2015

Fevereiro 2013

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Agosto 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Categorias

política

economia

angola 2008

iraque 2008

sexo

afeganistão 2010

mau feitio

televisão

eua

mundo

amigo iraquiano

futebol

curiosidades

telejornal

saúde

iraque

missão infinita

religião

repórter de guerra - iraque

euro2008

guiné

humor

repórter de guerra - cabinda

acidentes

criminalidade

jornalismo

polícia

segurança

solidariedade

rtp

sociedade

terrorismo

afeganistão

caso maddie

crianças talibés

desporto

diversos

férias

futuro

justiça

todas as tags

subscrever feeds