Domingo, 23 de Março de 2008

Fim-de-semana em Bagdade

.
Bagdade está a viver um fim-de-semana de calma aparente. Noto que as famílias iraquianas vieram para a rua fazer compras e sigo rumo à zona comercial da cidade. Gastamos dez minutos a fazer imagens e o guia começa a ficar apreensivo. “Estás a abusar da sorte!”, diz-me Bassim. E tem razão. Até os comerciantes começam a ficar inquietos com a nossa presença. Os polícias pedem que abandonemos o local, pois podemo-nos tornar num chamariz para os bombistas suicidas. Obedeço de imediato.

Colunas de soldados americanos passam ao nosso lado e perante a indiferença dos iraquianos. Pego no microfone e pergunto-lhes se ainda sentem necessidade das forças ocupantes. “Pagámos sangue por esta segurança. Não queremos mais tanques dos Estados Unidos nas nossas ruas. Pedimos aos americanos que partam.”, atira de imediato um habitante de Bagdade, opinião confirmada mais ao lado por um oficial do exército iraquiano: “Temos uma civilização de milhares de anos. Sabemos tomar conta de nós.” Na realidade, até há pouco tempo as novas forças de segurança não tinham capacidade para combater a resistência e os insurgentes da Al-Qaeda. Agora já não é assim, os “comandos” do Ministério do Interior vieram dar mais uma demonstração de força, juntando-se ao Exército e à Polícia. É altura de mudar novamente de sítio.

Dou de caras com um parque infantil numa das margens do rio Tigre. Fantástico. É isto mesmo. Uma excelente oportunidade de mostrar lá para Portugal como a vida em Bagdade começa a mudar, embora muito lentamente. Pais com crianças, fazendo piqueniques e guardados por homens com kalashnikovs. Convidam-me para almoçar. Digo que não mas o guia alerta-me para o facto de, uma vez feito o convite, já não poder recusar. E ainda bem, pois a comida é tradicional e muito saborosa: arroz, massa, frango e cebola, tudo num paladar adocicado. Como eu gosto, de resto. Ao lado, as crianças brincam, ignorando na sua inocência a loucura que vai para lá destes seguranças armados. À minha pergunta: que futuro para este Iraque, Rana, de dezasseis anos, diz-me que o Iraque será bom, “porque as flores continuam a abrir todos os dias.” Ninguém conseguiria resumir melhor a esperança deste povo.


 
publicado por Luís Castro às 07:00
link do post | comentar
45 comentários:
De Luís Castro a 23 de Março de 2008
Patti,
sinto que estás em sintonia connosco. E isso é bom. Dá-nos força.
Ainda bem que respondi desta forma à tua pergunta.
Quanto ao Bassim, o homem é um máquina. Está sempre bem disposto, por isso é que me preocupou vê-lo tão assuatado, ontem.
LC
De Patti a 24 de Março de 2008
... e o meu post de hoje veio encontrar inspiração nestas imagens...
De Luís Castro a 24 de Março de 2008
Patti,
e onde o posso encontrar?
LC
De patti a 24 de Março de 2008
Simples. É só picar no meu nome, que vais lá parar.

E espero que hoje o dia por aí esteja mais calmo.
De Luís Castro a 24 de Março de 2008
Ok.
Como estou a responder pela caixa de mensagens, por aqui não tem link. Mas vou ao blog.
Sim, um pouco menos violento, até agora...
LC
De Luís Castro a 24 de Março de 2008
Patti,
queria responder no teu post, mas, não sei por que razão, aparece-me tudo em árabe. Estranho.
Mas seja como for, gostei do desabafo da tua alma.
Na verdade, andamos neste Mundo à procura da felicidade. Alguns nunca a encontram...
Por vezes está ali mesmo ao lado, basta reposicionar as nossas prioridades.
LC
De Patti a 24 de Março de 2008
Não tem importância, mas não deixava de ter piada um comentário escrito em árabe!

Os "vigias" americanos da net mergulhavam logo de cabeça no meu sitemeter.

Ficamos todos a aguardar a próxima reportagem e até lá muito cuidado.
De Luís Castro a 24 de Março de 2008
Patti,
estive a ver a origem das entradas no meu blog e descobri uma de "Forte Wayne".
Curisoso. Ou será algum português que anda por lá?
LC
De Patti a 24 de Março de 2008
Aconteceu-me a mesma coisa nos primeiros tempos de blog.

São os "mirones" da net em acção sempre que, segundo critérios deles, se escrevem palavras "suspeitas".

Passado uma ou duas semanas, depois de verem que não se passa nada, volta tudo ao normal e deixam de "espiar".
De Luís Castro a 24 de Março de 2008
Patti,
andam "passarinhos" na rede.
Quanto a mim desconfio de outra coisa, mas amanhã tirarei as dúvidas.
LC

Comentar post

Perfil

Jornalista desde 1988
- 8 anos em Rádio:
Rádio Lajes (Açores)
Rádio Nova (Porto)
Rádio Renascença
RDP/Antena 1

- Colaborações em Rádio:
Voz da América
Voz da Alemanha
BBC Rádio
Rádio Caracol (Colômbia)
Diversas - Brasil e na Argentina

- Colaborações Imprensa:
Expresso
Agência Lusa
Revistas diversas
Artigos de Opinião

RTP:
Editor de Política, Economia e Internacional na RTP-Porto (2001/2002)
Coordenador do "Bom-Dia Portugal" (2002/2004)
Coordenador do "Telejornal" (2004/2008)
Editor Executivo de Informação (2008/2010)

Enviado especial:
20 guerras/situações de conflito

Outras:
Formador em cursos relacionados com jornalismo de guerra e com forças especiais
Protagonista do documentário "Em nome de Allah", da televisão Iraniana
ONG "Missão Infinita" - Presidente

Obras publicadas:
"Repórter de Guerra" - autor
"Por que Adoptámos Maddie" - autor
"Curtas Letragens" - co-autor
"Os Dias de Bagdade" - colaboração
"Sonhos Que o Vento Levou" - colaboração
"10 Anos de Microcrédito" - colaboração

Pesquisar blog

Arquivos

Abril 2016

Janeiro 2016

Outubro 2015

Junho 2015

Maio 2015

Fevereiro 2013

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Agosto 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Categorias

política

economia

angola 2008

iraque 2008

sexo

afeganistão 2010

mau feitio

televisão

eua

mundo

amigo iraquiano

futebol

curiosidades

telejornal

saúde

iraque

missão infinita

religião

repórter de guerra - iraque

euro2008

guiné

humor

repórter de guerra - cabinda

acidentes

criminalidade

jornalismo

polícia

segurança

solidariedade

rtp

sociedade

terrorismo

afeganistão

caso maddie

crianças talibés

desporto

diversos

férias

futuro

justiça

todas as tags

subscrever feeds