Segunda-feira, 29 de Setembro de 2008

Terra vermelha

Uma das coisas que me fascinam em África: poder olhar longe.

Por cá, sempre que se olha, há uma parede, uma porta, um prédio ou outra coisa qualquer à nossa frente que nos corta a profundidade.

Em Angola, como no resto do continente, conseguimos ver até à linha do horizonte.

E como gosto desta terra vermelha...

... e do cheiro quando chove.

Sinto que a minha alma se mistura com esta terra de barro vermelho.

 

O vermelho é a cor do sentimento, da paixão, do amor e do desejo.

Mas também da violência que os angolanos não querem mais; do poder de uma democracia que está a crescer e da agressividade contra os seus inimigos.

Esta terra vermelha, tal como o da bandeira do país, simboliza o sangue derramado pelos angolanos durante as lutas pela independência. 

Agora é sobre ela que se faz a reconstrução do país.

 

 

Luís Castro em Angola

publicado por Luís Castro às 12:00
link do post | comentar
81 comentários:
De Fatima a 29 de Setembro de 2008 às 21:11
Fascinantes as imagens.
Tudo de bom
De Luís Castro a 30 de Setembro de 2008 às 01:49
Obrigado, Fátima.
Não é difícil gostar dsta terra.
Bjs
LC
De Filipa Jardim a 29 de Setembro de 2008 às 21:13
Luís,
As fotos têm estado muito bonitas.
Continuação de bom trabalho e de boa viagem.
Bjs

Filipa
De Luís Castro a 30 de Setembro de 2008 às 01:50
Obrigado, Filipa.
Mas ainda há mais...
Bjs
LC
De Top gun a 29 de Setembro de 2008 às 22:23
Boa noite Luís. Es é um grande profissional e uma excelente pessoa. Passo por aqui muitas vezes mas nem sempre deixo comentários, como sabes sou estudante de jornalismo e o teu livro "Reporter de Guerra" foi novamente sugerido como referencia de trabalho. Boas férias
De Luís Castro a 30 de Setembro de 2008 às 01:51
Ai é?
Espero que acabes rápido o curso.
Abraço, amigo.
LC
De Vânia Antunes a 29 de Setembro de 2008 às 22:46
O seu blogue é simpllesmente fantastico!
Como estudante de Comunicação Social a cada dia que venho visita-lo fico com mais vontade de exercer a profissão.
Excelente trabalho o seu!
De Luís Castro a 30 de Setembro de 2008 às 01:52
Força, Vânia!
Espero que acabes rapidamente o curso.
Quem sabe se ainda nos encontraremos algures num qualquer lugar como este.
Bjs
LC
De Vânia Antunes a 6 de Outubro de 2008 às 20:23
Obrigado Luis. Ja falta pouquinho!
De Luís Castro a 7 de Outubro de 2008 às 12:34
Bjs e boa sorte!
LC
De Anónimo a 8 de Outubro de 2008 às 19:59
Vou tentar, ao que sei não está nada facil para nós os novatos!
Somos a geração da incerteza:) nunca sabemos ao certo onde estaremos amanhã, se na nossa área, se fora dela.
De Luís Castro a 8 de Outubro de 2008 às 23:44
Espírito positivo!
Bjs
LC
De Vânia Antunes a 8 de Outubro de 2008 às 20:08
Esqueci de assinar...:)
De Luís Castro a 8 de Outubro de 2008 às 23:44
Visto.
LC
De milhafre a 29 de Setembro de 2008 às 23:54
Luís,
há tempos afirmavas que a guerra não mais voltaria a Angola. Oxalá!
O final do teu post é apaziguador... com uma imagem que nos transporta para a reconstrução do país.
A mim parece-me que te falta a tal profundidade do olhar...e a terra vermelha. De facto, de tão invulgar, prende-nos o olhar... e presumo que o seu cheiro também se nos entranhe! Disso se fazem as memórias e, às vezes, um novo percurso de vida.
Boa noite. bjs.
De Luís Castro a 30 de Setembro de 2008 às 01:54
Todos os dias sinto necessidade de profundidade no olhar.
Muita gente deveria saber o que issio significa.
Bjs grandes.
LC
De Jms a 30 de Setembro de 2008 às 00:45
Um dia destes levo-te ao topo da Arrábida. Lá terás horizonte, cheiro a mar e a serra!
Abraço
De Luís Castro a 30 de Setembro de 2008 às 01:56
Abraço, amigo!
Sei do que falas, mas falta o cheiro a África.
E esse, só mesmo lá!
Ab.
LC
De Joao a 30 de Setembro de 2008 às 01:39
Luís Castro,
Tenho acompanhado a tua aventura em Angola através deste teu blogue e felicito te pela forma como nos estas a transmitir cada momento passado aí.
Acho importante que Angola possa ser, cada vez mais, notícia pela boa terra que é, pelo desenvolvimento que tem conhecido e, já agora, pelo papel que a comunidade portuguesa tem assumido.
Estou a trabalhar em Angola há 2 anos e por isso partilho de todos os sentimentos que vais expressando relativos a essa terra e a essas gentes.
Continua.
Abraço,
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Luís Castro, <BR>Tenho acompanhado a tua aventura em Angola através deste teu blogue e felicito te pela forma como nos estas a transmitir cada momento passado aí. <BR>Acho importante que Angola possa ser, cada vez mais, notícia pela boa terra que é, pelo desenvolvimento que tem conhecido e, já agora, pelo papel que a comunidade portuguesa tem assumido. <BR>Estou a trabalhar em Angola há 2 anos e por isso partilho de todos os sentimentos que vais expressando relativos a essa terra e a essas gentes. <BR>Continua. <BR>Abraço, <BR><BR class=incorrect name="incorrect" <a>JP</A> <BR>
De Luís Castro a 30 de Setembro de 2008 às 01:57
JP,
calculo que és dos que beberam água do bengo, não?
Estás em Luanda? A fazer o quê?
Ab.
LC
De joao a 30 de Setembro de 2008 às 03:14
Luis,
Pode se dizer que sou um desses...
Estou em Luanda onde trabalho nos escritorios de uma empresa local.
Ja deves estar proximo do teu regresso a PT. Quando te imaginas a voltar a Angola? E que reportagem gostarias de fazer?
Ab.
JP
De Luís Castro a 30 de Setembro de 2008 às 17:11
João,
bem, na verdade, já cá estou...
Comecei hoje a trabalhar na redacção...
Se conseguir, talvez vá ainda este ano.
Caso contrário, no início de 2009.
Abraço
LC
De umcasoraro a 30 de Setembro de 2008 às 10:02
Olá Luís,
O meu marido nasceu em Moçambique, veio de lá pequeno, mas ainda hoje diz que "sente" o cheiro da terra molhada. Ele diz que durante o tempo em que esteve a trabalhar no Algarve foi a época em que se sentiu mais próximo desse cheiro.
Umbeijo,
Joana
De Luís Castro a 30 de Setembro de 2008 às 17:13
Joana,
são cheiros que nunca mais se esquecem!
"Ficam-nos" entranhados na alma!
Bjs
LC
De Augusto Silva a 30 de Setembro de 2008 às 12:35
Olá, Luís , um abraço.

Onde fica essa terra vermelha? A Costa Andrade falou do Lépi ( será provavelmente parente do Costa Andrade N´Dunduma We Lépi !"

Não me admiraria que fosse o Lépi , onde existia uma grande fábrica de cerâmica , construída com aquele barro vermelho, e por onde passei algumas vezes a caminho do Cuma .

Enquanto escrevo, vejo-me a dar um salto ao
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Olá, Luís , um abraço. <BR><BR>Onde fica essa terra vermelha? A Costa Andrade falou do Lépi ( será provavelmente parente do Costa Andrade N´Dunduma We Lépi !" <BR><BR>Não me admiraria que fosse o Lépi , onde existia uma grande fábrica de cerâmica , construída com aquele barro vermelho, e por onde passei algumas vezes a caminho do Cuma . <BR><BR>Enquanto escrevo, vejo-me a dar um salto ao <BR class=incorrect name="incorrect" <a>Balombo</A> ( antigo Norton de Matos), ou a virar para a direita e dar um mergulho nas "Águas Quentes do Alto Hama ", o Alto Hama , onde um gracioso viravento " de asfalto nos indica os caminhos do Lobito, Bailundo, Uaco-Cungo /Luanda, e Huambo, a bela capital do Planalto! <BR><BR>Obrigado, Luís, pelas imagens que nos dás a beber, por essa seiva que alimenta os lábios sedentos da nossa saudade. <BR><BR>Um abraço, extensivo a toda a gente boa que passeia pelo teu blogue. <BR><BR><BR>Augusto
De Luís Castro a 30 de Setembro de 2008 às 17:20
Augusto,
foto 1 - entre Calussinga e a Quibala
foto 2 - perto de Viana, durante o último comício do MPLA
foto 3 - entre Huambo e Kuito, se não me engano
fotos 4 e 7 - entre Alto Cubal e Huambo
fotos 5 e 6 - entre Kuito e Andulo

Abraço
LC
De Luís Castro a 30 de Setembro de 2008 às 17:21
Obrigado e bons mergulhos!
Mas cuidado com os alicates!!!
rs...rs...rs...
LC
De Sandra Claudino a 30 de Setembro de 2008 às 16:39
Tás mesmo apaixonado por Angola.
Como eu te percebo.
bjos
De Luís Castro a 30 de Setembro de 2008 às 17:22
Estou.
Mas já há muito tempo.
Agora mais ainda!
Bjs
LC

Comentar post

Reportagem Angola - 1999



Reportagem Iraque - 2005


Reportagem Guiné - 2008


Reportagem Guiné - 2008


Reportagem Afeganistão - 2010

Perfil

Jornalista desde 1988
- 8 anos em Rádio:
Rádio Lajes (Açores)
Rádio Nova (Porto)
Rádio Renascença
RDP/Antena 1

- Colaborações em Rádio:
Voz da América
Voz da Alemanha
BBC Rádio
Rádio Caracol (Colômbia)
Diversas - Brasil e na Argentina

- Colaborações Imprensa:
Expresso
Agência Lusa
Revistas diversas
Artigos de Opinião

RTP:
Editor de Política, Economia e Internacional na RTP-Porto (2001/2002)
Coordenador do "Bom-Dia Portugal" (2002/2004)
Coordenador do "Telejornal" (2004/2008)
Editor Executivo de Informação (2008/2010)

Enviado especial:
20 guerras/situações de conflito

Outras:
Formador em cursos relacionados com jornalismo de guerra e com forças especiais
Protagonista do documentário "Em nome de Allah", da televisão Iraniana
ONG "Missão Infinita" - Presidente

Obras publicadas:
"Repórter de Guerra" - autor
"Por que Adoptámos Maddie" - autor
"Curtas Letragens" - co-autor
"Os Dias de Bagdade" - colaboração
"Sonhos Que o Vento Levou" - colaboração
"10 Anos de Microcrédito" - colaboração

Pesquisar blog

Arquivos

Abril 2016

Janeiro 2016

Outubro 2015

Junho 2015

Maio 2015

Fevereiro 2013

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Agosto 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Categorias

política

economia

angola 2008

iraque 2008

sexo

afeganistão 2010

mau feitio

televisão

eua

mundo

amigo iraquiano

futebol

curiosidades

telejornal

saúde

iraque

missão infinita

religião

repórter de guerra - iraque

euro2008

guiné

humor

repórter de guerra - cabinda

acidentes

criminalidade

jornalismo

polícia

segurança

solidariedade

rtp

sociedade

terrorismo

afeganistão

caso maddie

crianças talibés

desporto

diversos

férias

futuro

justiça

todas as tags

subscrever feeds