Quinta-feira, 20 de Novembro de 2008

Por que não se entendem?

Já ouvi dizer que os pais começam a ter dificuldade em compreender alguns dos argumentos dos professores.

Já disseram que por cada voto perdido de um professor, Sócrates ganha três de outros eleitores.

Já pediram a demissão de Maria de Lurdes, mas Sócrates garante que não será um sindicato a derrubar a ministra.

 

 

Será que a ministra tem condições políticas para continuar?

Será que a ministra tem razão ao não suspender o processo?

 

Devem os professores fazer greve prejudicando a avaliação dos alunos?

Devem os professores voltar à rua para mostrar a sua indignação?

 

Opinem, por favor.

 

Luís Castro

publicado por Luís Castro às 00:59
link do post | comentar
40 comentários:
De Carlos Oliveira a 20 de Novembro de 2008
Respondo com duas perguntas:

- Que outra classe profissional vai para a rua protestar ao Sábado no seu dia de folga?

- Os camionistas derrotaram ou não o Governo? Será que fizeram greve quando não incomodava ninguém, ou pelo contrário, foram ao máximo impacto?

A segunda das manifestações foi organizada sem intervenção dos sindicatos, mas mesmo assim vence o show-off da quem tem mais lábia e falinhas mansas.
De Luís Castro a 20 de Novembro de 2008
Visto.
LC
De Cristina a 20 de Novembro de 2008
Se calhar foi por isso que se marcou um conselho d eministros de emergência para hoje dia 19, para discutir o quê? A Educação.

De Luís Castro a 20 de Novembro de 2008
Visto.
LC
De Anónimo a 20 de Novembro de 2008
OPINEM PARA QUÊ?!?!
ESTÁ EM CURSO ALGUMA EXPERIÊNCIA PAVLOVIANA?!?
De Luís Castro a 20 de Novembro de 2008
Caro anónimo,
este blogue não é narcisista.
É um espaço de todos e para todos.
Onde todos escrevem livremente o que lhes vai na alma.
E, para mim, já me serviu de muito na minha actividade profissional.
É importante, para nós jornalistas, sabermos o que as pessoas sentem e entendem.
LC
De Maria Araújo a 20 de Novembro de 2008
Sou professora, não sou uma Excelente professora, sou o que dou aos meus pequenos alunos, com muita determinação, como posso, e com muito carinho.
Por vezes incuto mais os valores, que muitos não têm, do que os conteúdos a ensinar.
Mas este comentário vai para a SI, desculpe-me Luís, por que penso que ela foi objectiva no seu comentário.
Dou-lhe os parabéns. Ela tem razão, e não é professora.
De Luís Castro a 21 de Novembro de 2008
Visto.
LC
De Helder Pereira a 21 de Novembro de 2008
Nem sei por onde começar. Se for pela noticia acrescento o seguinte, com greve ou não os alunos já estão a ser prejudicados desde á muitos anos. Não é de agora, desde as reformas iniciadas com as PGA's e afins. Mas vou aproveitar muito do que já se opinou: Sim, os professores já lutam faz bastante tempo mas nunca souberam explicar devidamente as razões e isso prejudicou-os imenso na sua imagem publica. É claro que esta avaliação é errada e obtusa pelo casos já falados atrás noutros comentários. E agora qualquer pessoa (Pai/Mãe) consegue compreender o porquê da indignação. Quem ainda os critica gostaria de ser avaliado no seu trabalho por alguém sem experiência e sem capacidade nem conhecimentos suficientes para isso? Com o sistema de quotas de acesso á carreira superior de professor, que impede que todos os que realmente forem bons possam subir simplesmente porque não há vagas? Que lógica tem isto? Como se pode aceitar que um professor que concorre a essa vaga possa estar a avaliar outro que também concorre á mesma vaga? Tenham bom senso e nem sequer vou falar dos decretos de lei que passado um ano da implementação destas quotas criaram a excepção para os professores que estivessem requisitados pelo ministério permitindo assim contrariar a regra das quotas só para os "amigos" poderem subir. Qual é a moral nisto?

Tenho duas filhas uma no 3º e outro no 1º ano. Optei pela escola pública porque continuo a acreditar que permite transmitir valores ás minhas filhas que os privados não me garantem e também porque nos privados também existem maus professores como em qualquer lado existem bons e maus profissionais. Acima de tudo não me demito de ser Pai e acompanhar a educação das minhas filhas e não espero que seja só a escola a dar-lhes educação. Mas só para terminar, o que nós precisamos mesmo é de uma VERDADEIRA reforma do ensino onde haja turmas pequenas, condições na escola, livros iguais para todos (os da minha filha mais velha não servem para a mais nova e só têm dois anos de diferença), um programa bem definido (e com a noção do que é a vida de hoje em dia) e universal. Não andar atrás dos lobbies dos livreiros. Precisamos de um verdadeiro pacto entre todos os partidos para que quem vier a seguir não destrua o que já foi feito (norma comum neste país de vistas curtas), isto sim é importante.

Só mais um aparte em relação ao Magalhães, antes de haver esta necessidade, seria melhor garantir que todas as crianças possam ter papel higiénico nas escolas, se calhar é mais básico do que um portátil...

E para terminar mesmo quero falar sobre a segurança nas escolas e a falta de educação dos miúdos de hoje. A real situação é esta, se um professor contrariar um aluno, exigir que não use telemóvel na sala de aula (isto então não percebo como pais permitem isto, mas pronto...) ou seja lá o que for que contrarie os meninos, existem pais que entram na escola para agredir esse professor. Se um Pai se for queixar dos abusos de miúdos maus e mal educados perante o seu educando, existem Pais desses maus alunos que invadem a escola para agredir esse Pai. Estes casos e muitos outros passam-se todos os dias nas nossas escolas e isso não pode acontecer pois demonstra a anarquia total. Logo sugiro só isto: responsabilizem civilmente e criminalmente os Pais pelo comportamento dos seus filhos dentro da escola (como se faz, por exemplo em Inglaterra, um país com nível muito superior a este nosso rectângulo) e logo vêm a drástica redução de casos de violência e abuso. Experimentem só...

Abraço Luís , pelo seu blog, pelo sua postura, que tenho acompanhado apesar de esta ser a minha primeira intervenção.
De Luís Castro a 21 de Novembro de 2008
Seja bem-vindo, amigo.
também concordo: os partidos e o governo deviam entender-se num pacto para a Educação.
Sobre a falta de educação nas escolas, em muitos casos com a cobertura dos pais, volto a concordar.
Ab.
LC

Comentar post

Perfil

Jornalista desde 1988
- 8 anos em Rádio:
Rádio Lajes (Açores)
Rádio Nova (Porto)
Rádio Renascença
RDP/Antena 1

- Colaborações em Rádio:
Voz da América
Voz da Alemanha
BBC Rádio
Rádio Caracol (Colômbia)
Diversas - Brasil e na Argentina

- Colaborações Imprensa:
Expresso
Agência Lusa
Revistas diversas
Artigos de Opinião

RTP:
Editor de Política, Economia e Internacional na RTP-Porto (2001/2002)
Coordenador do "Bom-Dia Portugal" (2002/2004)
Coordenador do "Telejornal" (2004/2008)
Editor Executivo de Informação (2008/2010)

Enviado especial:
20 guerras/situações de conflito

Outras:
Formador em cursos relacionados com jornalismo de guerra e com forças especiais
Protagonista do documentário "Em nome de Allah", da televisão Iraniana
ONG "Missão Infinita" - Presidente

Obras publicadas:
"Repórter de Guerra" - autor
"Por que Adoptámos Maddie" - autor
"Curtas Letragens" - co-autor
"Os Dias de Bagdade" - colaboração
"Sonhos Que o Vento Levou" - colaboração
"10 Anos de Microcrédito" - colaboração

Pesquisar blog

Arquivos

Abril 2016

Janeiro 2016

Outubro 2015

Junho 2015

Maio 2015

Fevereiro 2013

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Agosto 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Categorias

política

economia

angola 2008

iraque 2008

sexo

afeganistão 2010

mau feitio

televisão

eua

mundo

amigo iraquiano

futebol

curiosidades

telejornal

saúde

iraque

missão infinita

religião

repórter de guerra - iraque

euro2008

guiné

humor

repórter de guerra - cabinda

acidentes

criminalidade

jornalismo

polícia

segurança

solidariedade

rtp

sociedade

terrorismo

afeganistão

caso maddie

crianças talibés

desporto

diversos

férias

futuro

justiça

todas as tags

subscrever feeds